COMO MONTAR UMA CLÍNICA ODONTOLÓGICA: A IMPORTÂNCIA DA AUTOMAÇÃO PARA A GESTÃO!

Cuidar bem da saúde bucal é uma das coisas mais importantes que as pessoas podem fazer por sua saúde física e mental. Porém, a maioria das pessoas odeia ir ao dentista. É por isso que os dentistas empreendedores precisam utilizar as ferramentas certas para fazer com que seus pacientes se sintam confortáveis. Precisam também educar os pacientes sobre as medidas proativas que podem tomar para melhorar e manter sua saúde dental.

Neste 9ª artigo de nossa série: COMO MONTAR UMA CLÍNICA ODONTOLÓGICA, iremos falar exatamente sobre a importância da automação dos processos para que a gestão de uma clínica odontológica seja bem sucedida.

A importância da Automação para a gestão de uma clínica odontológica

Assim como em qualquer ramo de negócios, na odontologia se faz necessária a automação de seus procedimentos, sendo a informatização um processo que já se tornou indispensável no dia a dia da atividade de uma clínica, em alguns casos até substituindo antigos métodos como no caso das radiografias digitais.

Para tanto, é necessário que o profissional selecione softwares, metodologias e procedimentos que se adequem à suas necessidades. Grande parte dos sistemas desenvolvidos para esse ramo realizam tarefas com diversos recursos gráficos, textos de apoio e relatórios. Através destes programas é possível armazenar históricos de atendimento, odontograma com alta resolução, periograma, índices de placa e cáries.

É de extrema importância possuir um cadastro de fornecedores, protéticos, relatórios e mailing atualizado dos clientes. Através do mailing atualizado dos clientes podem ser enviadas  mensagens de boas festas, aniversários e avisos de retorno, por exemplo.

Antes de adquirir um programa ou software, tenha certeza de que ele atenderá as necessidades da clínica e que ele se adaptará à rotina do negócio. O programa deve possuir um sistema de senhas que permita acessos limitados a diferentes pessoas. Lembrando que os dados dos pacientes não podem ser divulgados, pois isto configura infração do Código de Ética profissional e também um crime, e o profissional passa a responder por tal fato, sujeito às penalidades cabíveis.

O software adquirido também deve permitir a vinculação de outros arquivos como radiografias, fotografias, exames, na ficha do paciente. Na ficha do paciente deve haver espaço para uma anamnese completa, com todos os dados dos pacientes e possíveis observações.

Em um mundo onde a tecnologia de informação e comunicação está cada vez mais presente na vida das pessoas através da utilização de smartphones e tablets, para acompanhar essa tendência, uma alternativa de automação que pode ser uma aliada tanto na prospecção como na fidelização de clientes, pode ser a criação de aplicativos mobile. Essa ferramenta pode servir como um canal direto com os clientes, que efetivará a comunicação, além de servir como agenda, controle de informações cadastrais, entre outros. Essa opção pode ser um tanto onerosa, caso o profissional deseje um aplicativo com características específicas, no entanto, existem plataformas web onde o profissional pode conceber o próprio aplicativo e pagar uma taxa de utilização anual.

Para maiores informações, agências de marketing digital ou programação web podem contribuir para o melhor entendimento de como funcionam estes mecanismos.

Até a próxima!

Próximo artigo:

COMO MONTAR UMA CLÍNICA ODONTOLÓGICA: ESTRATÉGIAS DE MARKETING E CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO DOS SERVIÇOS ODONTOLÓGICOS

 

Como montar uma clínica odontológica: Conceitos iniciais e Mercado

À partir de hoje começaremos uma série de artigos sobre: Como montar uma clínica odontológica, para que você, que deseja ser um dentista empreendedor possa estar por dentro de tudo que é necessário para montar uma clínica odontológica de sucesso. A Fonte destes artigos é o SEBRAEServiço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas.

Esperamos que goste da leitura.

Como montar uma clínica odontológica: Conceitos Iniciais

De acordo com o Conselho Federal de Odontologia (CFO), há dez anos o segmento de odontologia é o que mais se destaca dentre outros que integram a indústria brasileira de saúde, pois é o único setor que apresenta superávit na balança comercial. Em 2011 o saldo positivo foi de aproximadamente US$ 7 milhões. A quantidade de pessoas que vem se preocupando com a saúde bucal ou mesmo com questões estéticas vem aumentando de uma forma muito intensa. Fato esse que justifica o crescimento exponencial do segmento no país. O CFO publicou, em 2014, uma pesquisa sobre saúde bucal, revelando que cerca de 3 milhões de pessoas nunca foram ao dentista. Por outro lado, nove a cada dez brasileiros declararam ser muito importante ir regularmente ao dentista, e 72% costumam ir pelo menos uma vez por ano.

A prestação de serviços odontológicos abrange todas as classes sociais. Dependendo da especialidade de atuação da clínica odontológica e das possibilidades financeiras do empreendedor, é possível abrir uma clínica odontológica com várias especialidades, o que pode atrair mais clientes pela diversificação de serviços. Outra opção é a prestação de serviços para as camadas mais carentes da sociedade que necessitam de acesso a serviços básicos e rotineiros.

Como todo negócio, existe a fase inicial onde são necessários investimentos, sendo a fase de estabelecimento e formação da carteira de clientes, e uma última fase que compreende o retorno dos gastos iniciais, que contribuem para estruturação do negócio. Para a abertura de uma clínica odontológica, inicialmente é importante realizar uma pesquisa sobre a cidade onde o empreendimento será instalado. Informações sobre o número de profissionais na cidade, quais as suas especialidades e áreas de atendimento são informações estratégicas que podem garantir uma rápida formação de clientela e recuperar os investimentos mais rapidamente. Na maioria dos casos, para regiões mais populares ou carentes, ser generalista é suficiente, enquanto áreas onde a população tem maior poder aquisitivo exigem um nível de especialização maior, por terem maior conscientização sobre a necessidade de cuidados com a saúde bucal.

A exemplo de qualquer atividade econômica, o ramo de serviços odontológicos é competitivo e exige grandes esforços para formar uma clientela fiel. No caso da clínica odontológica, há diferenças se o empreendedor optar por se estabelecer em uma cidade interiorana ou em cidades de grande porte. Em cidades do interior, geralmente a competição é mais acirrada pela existência de profissionais que são conhecidos e atuam por muitos anos, além da formação de grupos dominantes. Em cidades de grande porte existe um fator mais impessoal, que leva a clientela a recorrer a uma busca por indicação de profissionais ou na escolha aleatória, fato que tornam os gastos com comunicação e marketing mais recorrentes.

Em resumo, é importante que o empreendedor interessado em montar uma clínica odontológica:

  • Conheça o mercado odontológico da região, por meio de pesquisa e monitoramento;
  • Desenvolva um plano de negócio;
  • Tenha domínio gerencial sobre o negócio;
  • Esteja em constante aperfeiçoamento de suas habilidades técnicas e gerenciais;
  • Participe de eventos do setor para conhecer novos fornecedores, clientes e/ou parceiros;
  • Conheça o perfil dos seus clientes;
  • Invista em campanhas de conscientização para a atração de clientes;
  • Crie pacotes de serviços que agregue maior valor para o cliente;
  • Aperfeiçoe constantemente o atendimento e capacite seus funcionários.

Como montar uma clínica odontológica: Mercado

Segundo dados do Euromonitor 2014 (órgão de pesquisa internacional que realiza o aferimento de dados de desempenho da indústria e comércio de diversos países) sobre cuidados bucais, o Brasil ocupa a quarta posição no mercado de higiene bucal do mundo e faturou, somando todos os seus segmentos, R$ 38 bilhões em 2013.

Segundo o Sindicado dos Cirurgiões Dentistas no Estado do Rio de Janeiro – SCDRJ , há 40 anos com 100 milhões de habitantes, o Brasil registrava cerca de 62 mil cirurgiões-dentistas. Com os seus 201 milhões de habitantes, o país atinge aproximadamente, 261 mil cirurgiões-dentistas, dos quais 55% se concentram em São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. Assim, os dados demonstram que a população brasileira duplicou e o número de cirurgiões- dentistas quadruplicou.

O crescimento do setor odontológico pode estar ligado ao aumento de renda da classe C, que passou a utilizar mais produtos e consumir mais serviços odontológicos, bem como ao uso de tecnologias de ponta na elaboração de produtos de maior qualidade e alcance de resultados mais satisfatórios. O aumento da qualidade e da expectativa de vida do brasileiro, que está cada dia mais ligado nos aspectos de saúde e estéticos também podem ter contribuído para esse crescimento. Em 2014, o CFO divulgou uma pesquisa em que 23% da população brasileira apresentou algum problema de ordem bucal, com ênfase aos indivíduos sem convênios, que corresponde a 82% da população. A utilização de convênios ou planos odontológicos por parte da população, mesmo que discretos se comparados aos médicos, também tem contribuído para o aumento da prestação de serviços na área. São cerca de 500 empresas credenciadas na Agência Nacional de Saúde (ANS), atendem 2 milhões de pessoas com R$ 1,5 bilhão de faturamento.

As clínicas odontológicas abrangem desde empreendimentos individuais, até franquias e grandes corporações. Neste caso, o empreendedor deve se atentar quanto ao modelo de negócio que mais atende aos seus anseios e necessidades de investimentos, rentabilidade e lucro. O setor de franquias é um segmento que vem crescendo amplamente. Hoje já somam mais de 500 unidades, em mais de 20 redes, onde atendem mais de 5 mil cirurgiões-dentistas, produzindo no total um expressivo faturamento de mais de R$ 25 milhões por mês. Porém é necessário que o empreendedor analise os valores para investimentos, bem como as taxas e percentuais praticados por cada franquia.

Uma clínica odontológica atuará por meio da educação, prevenção, ações de recuperação, tratamento curativo e reabilitador, de forma a proporcionar uma melhor condição de saúde bucal a todos os indivíduos, a qual refletirá numa melhor qualidade de vida. A saúde bucal constitui fator de grande interferência na qualidade de vida dos indivíduos. A cárie dentária e a doença periodontal representam as doenças de maior prevalência na população brasileira e as maiores causas de perdas dentárias, consequência que reflete diretamente na qualidade de vida das pessoas, seja física, funcional, nutricional e até mesmo psicossocial (CROSC, 2014).

Uma clínica odontológica pode atender especialidades distintas como:

  • Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial
  • Dentística
  • Disfunção Têmporo-Mandibular e Dor-Orofacial
  • Endodontia
  • Estomatologia
  • Radiologia Odontológica e Imaginologia
  • Implantodontia
  • Odontologia Legal
  • Odontogeriatria
  • Odontopediatria
  • Odontologia do Trabalho
  • Odontologia para Pacientes com Necessidades Especiais
  • Ortodontia
  • Ortopedia Funcional dos Maxilares
  • Patologia Bucal
  • Periodontia
  • Prótese Buco-Maxilo-Facial
  • Prótese Dentária
  • Saúde Coletiva

Os serviços de saúde bucal são generalistas quanto à seleção de mercado consumidor, por possuir grande diversidade de especialidades. Por isso, é importante que o empreendedor conheça o seu mercado de atuação e o perfil dos seus clientes, para que as especialidades estejam de acordo com a necessidade de atendimento. No caso da especialidade de odontogeriatria, a maior parte de seu clientes ocupará a faixa de homens e mulheres acima dos 60 anos de idade. Caso opte pela clínica geral e pequenas cirurgias, o consumidor alvo é mais amplo, abrangendo todas as faixas etárias, sexo e classes sociais, não há restrições. Entretanto, se decidir pela odontopediatria, fica estabelecido que a o público consumidor compreende crianças de ambos os sexos, com idade entre 0 a 9 anos.

Uma especialidade que vem ganhando destaque é a implantodontia. Os brasileiros cada vez mais utilizam implantes dentários, além de uma questão estética o objetivo é eliminar o mal estar causado pela falta de dentes.

Anualmente, cerca de 800 mil implantes e 2,4 milhões de próteses dentárias são colocadas em pacientes por todo o país, de acordo com dados da ABIMO – Associação Brasileira da Indústria Médica, Odontológica e Hospitalar.

Um outro caso recorrente é a ortodontia, que leva 12 milhões de brasileiros a consultar o dentista para correções na arcada dentária, melhorar a qualidade de vida e a estética. Geralmente a maior procura se dá entre jovens por este problema representar barreiras de relacionamento e trabalho.

Uma das tendências do segmento de clínica odontológica é a unificação de profissionais com especialidades distintas em um mesmo estabelecimento, de modo a captar a maior quantidade de clientes que podem não apenas se submeterem a um tipo de tratamento, caso exista a necessidade. Esse fator gera maior comodidade ao cliente, que não precisa se deslocar a outro local para contratar um serviço diferente.

Para superar o mercado, cada vez mais concorrido, o que se observa é um esforço conjunto para a entrega de conveniência ao consumidor. Uma forte tendência é a concepção de modelos de negócios inovadores que conseguem manter um nível de qualidade aceitável, a um custo moderado, fato que permite ao empreendimento gerar lucro através do volume de atendimento.

Geralmente o mercado fornecedor é atendido pelas grandes empresas produtoras de equipamentos, produtos e utensílios. A exemplo da indústria farmacêutica, os estabelecimentos odontológicos recebem visitas de promotores de vendas contratados pela indústria, que se encarregam de realizar apresentações particulares em clínicas e consultórios, demonstrando a efetividade dos produtos. Nessas situações, os empresários podem realizar pedidos, receber informações necessárias ao controle de estoques e se manterem informados quanto às tendências do setor.

O empreendedor que deseja abrir uma clínica odontológica necessita deter as informações sobre o mercado e seus clientes. Para isso, deve estar atento às tecnologias que emergem constantemente no mercado, sejam tecnologias específicas para execução do ofício, ou tecnologias complementares que apoiam a atividade, como aplicativos para celulares, programas para computador, dentre outros.

Algumas atitudes podem ser o diferencial competitivo do empreendedor nesta atividade, como a participação em eventos do segmento, que denotem o envolvimento e a busca pelo aperfeiçoamento e aquisição de conhecimento. Exposições, congressos, simpósios e seminários são ótimas oportunidades para conhecer novos fornecedores, além do trabalho de empresas que estão intimamente ligadas ao desenvolvimento tecnológico com potencial inovador. A utilização de tecnologias atuais que possibilitem melhores resultados, bem como a utilização de equipamentos e materiais atuais podem garantir vantagem competitiva entre seus concorrentes e a atração de clientes. Além disso, a busca constante pelo aperfeiçoamento e qualificação técnica dos funcionários e profissionais da clínica odontológica, também contribuem para o sucesso da empresa.

Se você gostou deste artigo, não deixe de ler o próximo: Como montar uma clínica odontológica: A importância da Localização.

Até a próxima!

Fonte: SEBRAE