Especial Dia dos Pais: licença-paternidade

Neste domingo (11), comemora-se o Dia dos Pais no Brasil e nós aproveitamos essa data tão significativa para fazer um post especial para aqueles que estão prestes a entrar nesse mundo cheio de desafios, alegrias e muitas descobertas. Geralmente, os marinheiros de primeira viagem colecionam muitas dúvidas em relação à licença-paternidade, seus direitos e deveres. Por isso, a Proativa Consultoria Contábil e Empresarial separou tudo que quem está nessa fase precisa saber para curtir os primeiros dias dessa nova experiência com tranquilidade.

Um ponto muito importante é frisar que a licença-paternidade é um direito para pais biológicos e adotivos, funcionando da mesma maneira para ambas as situações. Agora, sobre o período que o funcionário CLT pode retirar para curtir a criança, recentemente o Brasil registrou uma mudança nas possibilidades.

Desde 1988, a Constituição Federal prevê o direito dos pais terem a licença de cinco dias. Mas, em 2008, o Governo lançou um programa chamado “Empresa Cidadã” que busca valorizar as relações entre empresas e funcionários, proporcionando alternativas mais humanizadas. 

O Empresa Cidadã não é obrigatório, mas as organizações que aderirem, garantem benefícios para os funcionários e também incentivos fiscais. Então, com essa saída, os pais podem acrescentar mais 15 dias, totalizando 20 dias de pausa remunerada. 

Durante a licença, o funcionário tem o direito de receber seu salário integral. Já na lista de deveres, os papais não podem realizar qualquer outra atividade remunerada, nem deixar o filho em alguma creche. A ideia do programa é proporcionar que os pais vivam essa experiência sem preocupações.  

E para as empresas, como funciona?

É muito simples! As pessoas jurídicas poderão aderir ao Programa Empresa Cidadã por meio do Atendimento Virtual (e-CAC). Basta acessar o link utilizando o código de acesso ou certificado  digital. 

As empresas tributadas com base no lucro real, poderão deduzir do Imposto sobre a Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ) devido, em cada período de apuração, o total pago ao funcionário durante o período de prorrogação da licença. É importante saber que não é permitida essa dedução como despesa operacional.

Além disso, a dedução também se aplica ao IRPJ determinado com base no lucro estimado, recebendo algumas regras específicas, que você pode conferir aqui.

Tanto a licença maternidade quanto a paternidade são fatores determinantes no desenvolvimento da criança e da rotina da família. Principalmente nos primeiros dias, a mãe precisa de todo apoio possível e a presença paterna pode fazer parte disso.

Que tal fazer parte deste programa que só traz benefícios para todos? Além disso, sua empresa pode ser inspiração para outras organizações. Conte com a Proativa para tirar todas as suas dúvidas e realizar o melhor planejamento tributário para o seu negócio!

6 dicas para construir um ambiente colaborativo em sua empresa e ter muito sucesso nos negócios!

Muitas características definem um negócio bem sucedido, tais como, uma abordagem inovadora, estratégias bem definidas, exclusividade, liderança forte e bem preparada, inteligência criativa, confiança, a cultura da empresa, funcionários criativos e que pensem fora da caixa, trabalho em equipe, desenvolvimento colaborativo, dentre outros fatores.

Porém, um dos maiores fatores mais importantes e que deve ser levado muito a sério, para que pequenas, médias e grandes empresas tenham sucesso é conscientização de sua equipe de profissionais sobre o valor da comunicação e da colaboração.

Construir um ambiente de confiança dentro de uma equipe, e capacitar o espírito colaborativo, é primordial para o crescimento de qualquer empresa”

Hoje em dia, empresas e organizações têm criado diversos ambientes virtuais para a comunicação entre os membros das diversas equipes envolvidas no planejamento, desenvolvimento e conclusão de um projeto. Este tipo de ambiente possibilita também, caso haja necessidade, a participação de especialistas altamente qualificados – até de fora da empresa – para atender as demandas de um projeto desafiador. Além, é claro, de permitir a interação ativa do cliente para que o projeto esteja sempre alinhado com suas expectativas.

Em tais projetos, os membros da equipe devem se comunicar livremente, compartilharem conhecimentos e habilidades, compreenderem e respeitarem a inteligência emocional de cada um, serem capazes de aprender uns com os outros, compartilharem recursos, serem flexíveis e terem objetivos em comum – todas as qualidades de uma cultura colaborativa forte.

Como as empresas podem capacitar suas equipes de modo a se tornarem fortemente colaborativas?

Se você quer saber realmente o que faz uma empresa ser muito bem sucedida, então leia as 6 dicas que preparamos para você sobre como construir uma cultura de colaboração mútua em sua empresa.

1º Defina expectativas realistas

  • Por que a equipe foi criada?
  • Cada membro da equipe compreende seu papel?
  • Eles compreendem suas tarefas?

Quando as expectativas não estão claramente definidas e os papéis não são muito bem definidos e compreendidos, a equipe não é capaz de se concentrar nas tarefas e objetivos da empresa.

O sucesso da equipe depende de expectativas realistas

Para transformar um grupo de estranhos em uma equipe unida, você como gestor, precisa permitir que a equipe participe ativamente de sua formação e tomadas de decisão. Dê-lhes também a oportunidade para apresentarem suas ideias e fundamentalmente, dê apoio às mesmas.

2º Crie uma liderança forte

O fracasso ou sucesso em colaborar reflete a liderança da empresa.

Se os líderes e gerentes possuem uma abordagem inovadora para a formação de equipes, demonstram comportamento colaborativo, apoiam à criatividade e as relações sociais, as equipes são focadas e eficientes, conseguem resultados expressivos e o seu desempenho é excelente.

Líderes inovadores, que são solidários, flexíveis, orientados a tarefas e relacionamentos, lideram as equipes mais produtivas.” 

 3º Estimule um ambiente de confiança mútua

Inovação e criatividade prosperam quando as pessoas confiam umas nas outras e têm confiança em sua organização.

Sempre há certo risco envolvido na inovação, pois algumas ideias e sugestões podem parecer irrelevantes, ridículas e até estúpidas.

“Para que sua equipe se comunique livre e facilmente, é preciso construir um ambiente de confiança”

Se os funcionários não se sentem confiáveis e respeitados, eles não serão participativos e também não irão compartilhar suas ideias.

O medo de ser ridicularizado é uma grande barreira para a inovação e o sucesso empresarial. Se você promover a autonomia da equipe, você estará apoiando sua equipe a descobrir novas maneiras de atingirem suas metas.

Enquanto a autonomia pode resultar em erros de execução e erros de julgamento, é essencial ter uma equipe que esteja pronta para aprender com seus erros e ineficiências.

4º Apoie o espírito comunitário

Empresas bem-sucedidas compreendem a importância de promover e reforçar a ideia de que uma empresa é uma comunidade, uma família.

A importância das atividades de construção de equipes, redes informais ocasionais e atividades aleatórias e de alívio do estresse são muitas vezes subestimadas. O networking informal e formal desempenha um papel crítico no cultivo do espírito de equipe. Através dessas atividades, a empresa estará construindo uma comunidade forte. Além disso, uma comunidade forte e unida capacita e motiva a criatividade.

 5º Invista nas habilidades e nos conhecimentos de seus funcionários

A empresa que apoia seus funcionários através de seminários, orientação, treinamentos, mentorias e participação em conferências e eventos relevantes, capacita o comportamento colaborativo, apoia a comunidade e promove o ambiente no qual as pessoas sabem que podem se destacar. Essa política da empresa é especialmente importante para o trabalho em equipe.

“Os funcionários mais produtivos são aqueles prontos para aprender e melhorar sempre sua atuação em seu campo de interesse.”

Agindo assim, você terá uma equipe altamente motivada para participar ativamente e contribuir para o sucesso do negócio.

6º Invista em tecnologia colaborativa

O que acontece quando você tem uma equipe que quer colaborar, compartilhar conhecimento e se comunicar livremente, porém não possui meios para que isso aconteça?

Hoje, a tecnologia colaborativa é crucial para uma comunicação eficaz. Uma equipe pode ter uma cultura colaborativa, mas ainda lhe faltam as habilidades necessárias para se trabalhar em ferramentas colaborativas. Investir em treinamento e na tecnologia que realmente se adapte às necessidades de sua equipe e as tarefas que estão executando, é o primeiro passo para a criação de uma cultura colaborativa eficiente.

O fortalecimento do espírito colaborativo em sua equipe depende de uma série de fatores, como, atitudes colaborativas da liderança, habilidades de comunicação, confiança mútua e um cenário realista e bem estruturado, onde cada um entenda efetivamente o seu papel.  Entretanto, o mais importante é entender que desenvolver as capacidades da sua equipe leva tempo e investimentos de longo prazo.

Agora que você se conscientizou sobre a importância de incentivar e proporcionar condições para a criação e fortalecimento de um ambiente colaborativo em sua empresa, que tal colocar essas dicas em prática?

Você precisa entender que as empresas precisam se ajustar ao ambiente de negócios que mais lhes trazem resultados!

Construir um ambiente de trabalho colaborativo é um processo de longo prazo. 

Pense nisso e muito sucesso!

Contratação de Funcionários: CLT ou PJ? Entenda as principais diferenças

Muitos futuros empreendedores atualmente tem o sonho de transformar seu negócio em algo rentável e obviamente desejam ter um sucesso profissional.

No entanto, na hora de fazer girar o seu empreendimento, as questões que envolvem o Fisco como tributação, Contratação de funcionários, Receita Federal, alíquota, enfim, geram dúvidas acerca dos riscos que envolvem o seu negócio.

Na hora de contratar os profissionais que irão fazer alavancar os seus negócios é preciso ponderar o seguinte:

  • Qual tipo de profissional se torna mais vantajoso para a sua empresa: O profissional CLT ou o profissional PJ?

Se essa é a sua dúvida, então fique atento que as principais diferenças em CLT e PJ você descobre logo a seguir.

Mas afinal, o que é um profissional CLT?

O profissional CLT é aquele que tem sua carteira de trabalho profissional registrada, o que garante seus direitos perante a CLT.

Contratar um profissional neste tipo de regime, atualmente é o mais comum. Isso porque um profissional registrado com carteira, garante maior segurança e estabilidade aos empregadores.

A CLTse trata na verdade da Consolidação das Leis Trabalhistas e é o que rege o setor empresarial nas relações entre empregador x empregado.

Desde 1943, a CLT prevê direitos e deveres entre ambas as partes no relacionamento profissional, com isso é importante o novo empreendedor ter o mínimo de conhecimento dessas Leis para não correr riscos que possam vir a prejudicar os seus negócios.

Quais os direitos de um profissional CLT?

Com intuito principal de cuidar dos direitos do empregado, a CLT traz inúmeras obrigações para que o empregador possa dar alguma segurança aos seus empregados, dentre eles destacamos alguns:

  • Férias;
  • INSS;
  • Salário Mínimo;
  • FGTS;
  • 13º salário;
  • Multa rescisória;
  • Aviso Prévio;
  • Indenização;
  • Estabilidade, entre muitos outros.

São inúmeras as obrigações das empresas para com seus funcionários, sendo assim é imprescindível o empreendedor tomar conhecimento sobre os encargos de cada uma das questões legais – para minimizar os impactos no negócio empreendedor.

Quais os benefícios de se contratar um profissional PJ?

A contratação de profissionais como PJ tem crescido e muito nas últimas décadas.

Isso porque muitas empresas veem mais vantagens nesse tipo de contratação, exatamente pela falta de obrigatoriedades que o regime CLT impõe.

Reduzir os custos com esse tipo de contratação é o principal objetivo das empresas de pequeno e médio porte, afinal, neste tipo de regime o empregador não possui a obrigação de arcar com FGTS, INSS e uma série de outros encargos onerosos.

Como é feita a contratação nesse tipo de relação PJ?

Para este tipo de relação, o contrato específico de trabalho é aferido entre as partes e emitida a nota fiscal sobre o mesmo.

Dependendo do tipo de negócio e profissional à ser contratado, esse tipo de relação diminui os valores à serem pagos pela empresa contratante em cerca de 33%, comparado ao regime CLT, conforme pesquisas relacionadas.

Especificidades desse tipo de relação

Alguns cuidados devem ser tomados nesse tipo de relacionamento entre a empresa que contrata e o profissional contratado.

Isso porque neste tipo de relação não pode se ter nenhum tipo de subordinação entre os mesmos, uma vez que este profissional não é um trabalhador subordinado.

Na grande maioria dos casos, principalmente em casos de consultoria, as datas de contratação e expiração do contrato devem ser estipuladas de acordo com o período acordado entre as partes.

Optando pelo melhor regime de contratação de acordo com o perfil do seu negócio

Agora que você já conhece os dois tipos de contratação de profissionais para melhor atender o seu tipo de negócio, é importante avaliar qual se enquadra no perfil da sua empresa.

Lápis e borracha na mão, além do auxílio de um bom profissional contábil, pois todas essas informações são essenciais para a sua empresa.

Bons Negócios!!

Você conhece todas as regras para transformar seu comércio em um e-commerce de sucesso?

Existem vários aspectos a serem levados em consideração quando se decide abrir um comércio, isto é, você deve saber o tipo de produto que vai vender e onde será o local da sua loja, como será a decoração deste ponto de venda, o atendimento aos clientes e muito mais.

Um dos fatores mais importantes que você deve levar em consideração é:  Quem é o seu cliente e por que ela irá comprar de você?”

Talvez sua resposta seja: Eu quero clientes de todos os tipos e de todos os lugares, velhos, jovens, homens, mulheres, gays – todos eles. Isso soou familiar? Cada comerciante ao iniciar um negócio acha que pode simplesmente abraçar uma cidade inteira, região ou estado e ser muito bem sucedido. Será que é assim mesmo?

Antes de mais nada, temos uma notícia a lhe dar: Seus braços não são tão grandes para você poder abraçar o mundo, e “abraçar o mundo com as pernas” pode ser uma estratégia “Kamikaze” para qualquer tipo de comércio”.

Para que você tenha sucesso nos negócios, é preciso estreitar o seu foco. Então responda rapidamente: quem é o cliente que compra de você e para quem você quer vender? Ao definir isso, você terá dado um grande passo para definir sua estratégia de negócios.

Segundo, você deseja ampliar os negócios? Se a resposta for positiva, como você pretende fazer isso? Você pretende comprar ou alugar novos pontos de vendas físicos ou pretende expandir sua geo-localização atuando na web?

Se a sua pretensão for atrair um número maior de clientes, independente da sua localização física, projetar um e-commerce pode ser a decisão mais assertiva. Mas, você sabe como transformar o seu comércio em um e-commerce de sucesso?

Para quem deseja abrir um e-commerce é preciso legalizar a empresa virtual, pois se trata de uma organização que é constituída da mesma maneira que uma loja física.

Mesmo que a sua operação de vendas seja totalmente virtual, também será necessário ter um plano físico para definir, por exemplo, estoque e logística para trabalhar atender bem aos seus clientes. Por esse motivo, ter um contador ao lado é sempre essencial!

Com as facilitações tecnológicas trazendo cada dia mais variedades e flexibilidades para as transações de compra e venda, o empreendedorismo ganha força e o e-commerce gera grande potencial para as empresas.

Isso porque comprar se tornou prático, rápido e muitas vezes, mais econômico.

Muitos consumidores viram nessa modalidade de vendas a oportunidade de adquirir seus produtos através de pesquisas por oportunidades com melhor custo benefício e sem sair de casa.

Com isso, empreender no mundo virtual se tornou uma oportunidade de sucesso para você que deseja expandir os negócios.

Neste artigo elencamos algumas regras para que você possa avaliar e estruturar a sua decisão de expandir seus negócios para a web. Boa leitura!

Regra 01 – Seja Profissional

Montar um negócio virtual, embora parecer para muitas empresas uma necessidade secundária, deve ser encarado de modo profissional para se alcançar o sucesso.

É muito comum encontrar nesse meio, várias oportunidades de aquisição de uma estrutura de lojas virtuais gratuitas, no entanto sem adequação profissional. Este tipo de “sites gratuitos” é indicado apenas para amadores e não para empresas que desejam crescer e se estruturar no meio.

Você precisa pensar no tráfego que seu site terá, precisa pensar na estrutura de conteúdo, disposição das páginas, experiência do usuário, engenharia para os motores de busca da web (SEO para o Google), dentre outros fatores. Você acha mesmo que dá para fazer tudo isso com um “site gratuito” e sem o auxílio de profissionais especializados no assunto?

Com isso, busque sempre trazer o profissionalismo para o seu negócio. Investir nesse meio é vantajoso e muito lucrativo, e é fundamental para o sucesso do negócio. Portanto, da mesma forma que investiu na arquitetura do seu negócio físico, invista na sua infraestrutura virtual.

Regra 02 – Faça um Planejamento do seu e-commerce

Assim como em tudo que se deseja obter o sucesso, Planejar é a chave do empreendedorismo. Empreender na web com um e-commerce não é diferente.

Planejar sua empresa virtual, como será elaborada estruturalmente, quem será responsável pela atualização e controle da mesma, enfim, o planejamento é a alma do negócio.

Regra 03 – Estude o seu público virtual

Um plano de negócios bem estruturado tem como base o público alvo a que se deseja alcançar. Saber quem é o seu público alvo é fundamental para se definir metas, propósito e assim obter sucesso no mundo dos negócios.

Saber quais as suas necessidades, o que os atrai, quais os horários de maior procura dos seus produtos, entre muitas outras questões são importantes para saber como agir em seu segmento.

Regra 04 – Esteja sempre atento aos concorrentes

Com a facilidade na busca por produtos, é importante sempre estar atento à concorrência.

Isso porque se não o fizer, facilmente será “passado para trás” nesse meio virtual. Estar atento aos preços, promoções, meios de pagamentos e novidades é de grande valia profissional.

Regra 05 – Pesquise as opções e formas de pagamentos para o seu e-commerce

Mais do que trazer produtos bons e à preços acessíveis, é importante também definir meios de pagamentos para oferecer a seus clientes virtuais.

Isso porque este tipo de condições facilitadas atrai cada dia mais clientes aos sites.

Regra 06 – Defina suas estratégias de Marketing

O Marketing é sempre imprescindível em todos os negócios. Isso porque ele é responsável pela divulgação da imagem da empresa e captação de cada vez mais clientes. Além do site, invista em mídias sociais como Facebook, Instagram e Youtube, dentre outros que possam estreitar o seu relacionamento com seu público.

Logo investir nesse tipo de técnica empresarial é importante em todos os segmentos, principalmente no segmento virtual pela variedade de ofertas nesse ambiente.

Regra 07 – Nunca descuide do atendimento virtual

O cliente virtual é aquele que espera ter as suas dúvidas sanadas em um curto espaço de tempo. Isso porque é muito fácil para o mesmo buscar outras empresas que possam fazer o mesmo.

Estar sempre atento ao atendimento virtual ao cliente é a chave para alavancar qualquer relacionamento comercial pela web.

Regra 08 – Estruturar suas condições logísticas

Não adianta vender a preços competitivos e com facilidades de pagamentos se não conseguir atender as entregas devido às demandas.

Estruturar também as condições logísticas é importante para manter a confiabilidade do cliente e ganhar cada vez mais clientes.

Regra 09 – Mantenha-se sempre atualizado

Por fim, para se manter cada vez mais estruturado nesse ambiente virtual,  estar sempre atualizado é imprescindível.

Utilizar de tecnologias adequadas para controle e monitoramento de novas tendências e atualizações de seu mercado é muito importante neste segmento.

Regra 10 – Não descuide da contabilidade

Contabilizar as vendas físicas já não é tão simples, imagine então quando se trata de vendas virtuais? As coisas podem se tornar complicadas.

Com isso, é importante sempre manter a organização dos dados e contar sempre com o auxílio de um contador, pois o mesmo é quem cuidará do envio das informações ao fisco, da geração das guias de impostos e irá gerar dados contábeis precisos para suas melhores tomadas de decisão rumo ao sucesso do seu e-commerce.

Agora que você já sabe o que fazer para o seu comércio se tornar um e-commerce de sucesso, chegou a hora de levantar as mangas e planejar um futuro promissor como empreendedor.

Boa sorte e até a próxima!

 

Simples Nacional: Benefícios para Startup’s

Com a alta do empreendedorismo e as facilitações que a globalização trouxe ao mercado atual, abrir um negócio virou uma necessidade de conquista e ao mesmo tempo um desafio à ser conquistado.

Isso porque o Brasil é um dos países de maior carga tributária existentes, o que impossibilitava o nascimento e o crescimento de startups e empresas de pequeno porte.

Com isso, há poucos anos, o Governo implantou o Simples Nacional para facilitar a vida dos pequenos empresários e favorecer o crescimento econômico do país.

Então se você é um gestor de uma startup e quer conhecer os benefícios desse tipo de sistema simplificado, fique atento a este post, pois nele você encontrará as respostas que tanto precisa.

Você conhece o Simples Nacional?

O Simples Nacional é um sistema de tributação onde os tributos são unificados em um pagamento único cujo objetivo é gerir um melhor controle do imposto a pagar e propiciar o desenvolvimento das startups, empreendedores individuais e empresas de micro, pequeno e médio porte.

De modo simplificado, o recolhimento do Imposto do Simples Nacional é feito através do pagamento da DAS – Documento de Arrecadação do Simples Nacional, sendo recolhida mensalmente. Este documento unifica o recolhimento de impostos para as empresas optantes pelo Simples Nacional, repassando cada um deles automaticamente para as contas do estado, do município e da União.

O Simples Nacional é obrigatório para estas empresas?

O regime de tributação do Simples Nacional traz como principal vantagem ser um regime optativo. Nesse regime, as empresas optam ou não por aderirem caso acreditem trazer vantagens à mesma.

Através da unificação de todos os impostos, o Simples Nacional na maioria das vezes apresenta uma taxação bem mais baixa comparada a outros regimes como o Lucro Presumido e o Lucro Real, pois é calculado através do faturamento anual da startup.

Embora seja um tipo de tributação optativa, o Simples Nacional após ser aderido se torna irrevogável e irretratável, devendo a empresa permanecer com o regime durante todo o ano calendário.

Atendendo aos requisitos desse tipo de regime de tributação

Embora optativo para as empresas, para aderir a este tipo de regime, as mesmas precisam atender alguns requisitos, como:

  • Não possuir faturamento anual superior a R$ 3,6 milhões de reais;
  • Os sócios não podem ter participação em nenhum outro tipo de empresa.

Principais vantagens do Simples Nacional

O Simples Nacional traz como principais vantagens às empresas optantes:

  • Menor taxa a pagar em comparação à outros regimes;
  • Isenção de pagamentos com contribuições sociais;
  • Reduz os custos trabalhistas;
  • Maior facilidade de controle contábil e gestão.

Quais impostos estão incluídos no Simples Nacional?

Antigamente, com os outros tipos de tributações os impostos eram recolhidos um a um, o que poderia gerar equívocos e transtornos nos pagamentos dos mesmos.

Com a simplificação do Simples Nacional, os principais impostos federais, estaduais e municipais estão todos incluídos.

Os principais impostos são:

  • Impostos Federais: IRPJ, PIS, COFINS, IPI, CSLL, CPP;
  • Impostos Estaduais: ICMS;
  • Impostos Municipais ISS .

Como está a aceitação desse tipo de tributação?

Desde 2015, vários empreendedores de modo individual ou através de micro, pequenas e médias empresas vêm optando por este tipo de tributação.

O recolhimento feito de modo simples através de contagem simples do percentual faturado no ano é de fácil entendimento e aceitação das empresas optantes.

Para empresas que estão iniciando as suas atividades e para as startups, esse tipo de tributação pode ser a ideal, exatamente por trabalhar com menores riscos e propiciar maior conforto e entendimento no pagamento.

Como Startup posso optar pelo Simples Nacional?

As startups , são quase que por definição em sua maioria, empresas prestadoras de serviços.  Este tipo de atividade, serviços, são regulamentados pela lei complementar nº 116 de 2003.

Em 2006 foi criada a  lei que permite a participação de empresas que desenvolvem sistemas ou as licenciam no Regime Tributário Simples. Em 2013 a Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado aprovou um projeto de lei que isenta as startups, do pagamento de impostos federais por pelo menos dois anos.

O texto do projeto de Lei diz que as startups podem ser enquadradas num regime especial de tributação, chamado de Sistema de Tratamento Especial a Novas Empresas de Tecnologia (SisTENET) e devem receber isenção por dois anos, prorrogáveis por igual período, do pagamento de impostos federais. Para estar nesse regime, as startups só poderão:

  • ter receita bruta trimestral de até R$ 30 mil e
  • no máximo quatro funcionários.

Se a empresa inscrita no SisTENET ultrapassar esse limite de receita bruta trimestral, ela terá de comunicar sua saída do cadastro no prazo de 30 dias e a opção pelo Simples Nacional, sob pena de serem retiradas do sistema e multadas. As startups que também passarem por todo o período no regime especial podem optar por aderir ao Simples Nacional.

As startups devem ficar atentas às alíquotas do Simples Nacional para verificarem se este é o melhor regime tributário a ser aderido, devido ao fato das alíquotas do Simples Nacional serem vinculadas ao crescimento da folha de pagamento. Para que esta opção valha a pena, é necessário que a folha de pagamento da Startup represente no mínimo 40% de seu faturamento.

Sendo assim, de acordo com as variáveis acima, o ideal é sentar-se com seu contador e verificar qual o melhor regime de tributação para sua startup, pois dependendo do caso o melhor será a opção pelo Lucro Presumido ou Lucro Real.  

Então fique atento!

Procurar por meios de melhor gerir os negócios é sempre um desafio para todos os empreendedores, principalmente para as startups que possuem como característica o trabalho em ambientes de risco.

Sendo assim não há momento para vacilar. Buscar auxílio de uma empresa contábil especializada  é sempre a resposta ideal para iniciar qualquer negócio.

Então, seja qual for o ramo de atuação e o tamanho do seu negócio, fique atento às oportunidades de simplificá-lo e assim fazê-lo crescer.

Até a próxima!

Referência: Senado aprova projeto que isenta startups de impostos federais

 

Corretora de seguros: Tudo que você precisa saber sobre consultoria contábil!

Todo empreendimento que preza pelo bom desempenho no mundo dos negócios, precisa de modo rotineiro controlar as informações contábeis de modo a gerir melhores resultados.

Com isso, a contabilidade se torna imprescindível para o bom desempenho dos resultados.

Ter uma assessoria contábil de excelência e especializada na área de atuação de qualquer empresa é significado de resultados rápidos e assertivos, de acordo com a particularidade de cada uma delas.

Por isso é importante saber os benefícios que uma consultoria contábil traz ao seu negócio.

Planejando o futuro

Antes mesmo de iniciar qualquer empreendimento é importante a análise do mesmo e a elaboração de um bom planejamento. Com ele você consegue apontar aonde quer chegar e prover os meios para tal.

Uma consultoria contábil pode te auxiliar a escrever esse futuro, alinhada com as necessidades do ramo.

Fazendo assim:

  • Uma análise de mercado,
  • Tributações,
  • Abertura do negócio,
  • Qual o melhor sistema tributário… tudo de acordo com a empresa.

Analisando o melhor regime tributário

Já parou para pensar nas inúmeras possibilidades de tributações de acordo com o regime escolhido?

Qualquer atitude mal pensada, pode implicar em prejuízos financeiros e ainda sociais ao seu negócio. Novamente voltamos à importância da consultoria neste momento.

Corretor de seguros autônomo ou abertura de firma para pessoa jurídica?  

Lucro Presumido ou Simples Nacional?

São questões impossíveis de serem respondidas por qualquer pessoa despreparada ou ainda com o mínimo conhecimento, pois exige uma apuração mais detalhada da situação.

Por isso na consultoria, é extremamente importante contar com a capacitação profissional específica na hora de escolher qual o meio de regularização com a Receita.

Iniciando os negócios

Para se iniciar o negócio, alguns pontos são fundamentais. Uma linha sucessória é definida de acordo com o tipo de empresa a ser aberta.

No caso da Corretora de Seguros, é importante estar atento às necessidades de acordo com o ramo escolhido, desde:

    • A formação profissional do empreendedor;
    • Burocracias governamentais para abertura da mesma;
    • Busca a apoios de Sindicato da área;
    • Documentação necessária para a SUSEP (Superintendência de Seguros Privados).

 

 

Em todos esses processos a consultoria contábil pode entrar como um amigo do empreendedor, para então iniciar as atividades de modo seguro e estável.

Assessoria contábil de qualidade

Trabalhar com movimentações contábeis é um desafio muito grande, afinal, ela é responsável por quantificar e qualificar os resultados do seu trabalho.

Rotinas como escrituração contábil, balancetes, demonstrações financeiras, análise do balanço, elaboração de plano de negócios, implantação de sistemas contábeis, entre muitos outros, são imprescindíveis para o bom desempenho da saúde financeira do negócio empreendedor.

Assessoria trabalhista

Por fim, mas não menos importante, existe também a assessoria trabalhista.

Além de controles contábeis e tributários, a empresa ainda necessita contabilizar e administrar os profissionais que auxiliam no bom desempenho da mesma de modo fixo e contínuo.

A assessoria trabalhista é imprescindível para evitar erros na hora de fechar as contas.

Exatamente por isso muitas empresas de contabilidade atuam também no papel de assessoria com o departamento pessoal, trazendo qualificação necessária para o perfeito funcionamento do controle contábil e todo cuidado necessário com os procedimentos determinados pela legislação trabalhista vigente.

Este tipo de assessoria trabalha desde a elaboração de folhas de pagamentos, revisões de declarações acessórias, administração dos benefícios, auditorias, entre muitas outras rotinas pertinentes.

Conseguiu perceber a importância que a consultoria contábil traz para a realização do seu negócio?

Empreender no mundo moderno requer muito mais que a boa vontade de crescer, é preciso o auxílio de profissionais qualificados para crescimento real do negócio!

Mantenha um modelo seguro de contabilidade na sua empresa

Em meio ao crescimento desenfreado do mercado, onde cada vez mais empresas mergulham no mundo do empreendedorismo, buscando a realização financeira nos seus negócios, fica evidenciada a necessidade de utilização de estratégias para se manter ativa e competitiva em meio a essa imensidão.

Quando se fala em estratégias de sobrevivência, logo vem à cabeça investir em estratégias de marketing para ganhar o público e sair à frente da concorrência. Mas na realidade, essa linha de raciocínio é apenas uma das partes mais importantes da real necessidade.

De nada adianta ganhar o público, vender bem, porém, não saber administrar de modo correto o financeiro e a contabilidade de sua empresa. Deste modo, é necessário saber administrar principalmente as contas e assim, evitar cair nas armadilhas contábeis e ver todo o seu negócio ir por água abaixo.

A contabilidade como estratégia de negócios

A contabilidade é muito mais que entradas, saídas e demonstrativo do resultado.

Ela tem a função de checar a saúde financeira da empresa em modo de controle de registros de movimentações financeiras, prestação de contas das exigências fiscais e legais do País, além de ser especialmente importante na tomada de decisões de modo estratégico, como por exemplo, no estímulo ao estudo de novos investimentos e aplicações.

Através de uma contabilidade estratégica, a empresa pode também maximizar seus lucros de modo a reduzir a tributação a ser paga, e isto se faz com planejamento tributário. 

Uma gestão contábil equivocada pode trazer graves problemas à saúde financeira da sua empresa

Se uma empresa sobrevive de lucro, logo a contabilidade é a ferramenta ideal para análise da vida produtiva da mesma.

Como vender se não tiver fluxo de caixa e capital de giro para produzir?  Analisando por este ângulo fica clara a importância da análise contábil. Logo, se a mesma for ineficiente, os erros nos registros podem trazer prejuízos irreparáveis para uma empresa.

Qualquer erro do setor contábil de uma empresa, pode levar a prejuízos no seu faturamento, principalmente se estes erros estiverem relacionados ao FISCO.

Fuja da insegurança, adote um modelo seguro de contabilidade

Manter um modelo seguro de contabilidade é nada mais que evitar os problemas. Algumas falhas mais comuns nesse modelo tornam a contabilidade de uma empresa insegura, como por exemplo:

1- Não identificar a importância de um contador

Algumas empresas, principalmente as iniciantes se sentem confiantes em administrar seu próprio negócio, de modo a apurar financeiramente todas as entradas e saídas.

O grande problema é que essas empresas geralmente são as mais propensas a erros, exatamente por este motivo. Falhar no setor contábil pode fazer o pequeno negócio estagnar, além de gerar prejuízos e comprometer o orçamento.

Deste modo, é inegável a importância de um profissional qualificado, o contador, para apuração da contabilidade da empresa.

Este profissional com certeza tem maior preparo para auxiliar no seu negócio de modo eficiente, coisa que um empresário por mais dedicado que seja, se não for do ramo, pode prejudicar o próprio negócio.

2- Descartar os comprovantes dos gastos

Eis aí registros importantes para a contabilidade de qualquer pessoa, ainda mais se for uma empresa. Como controlar aquilo que não se registra?

Deste modo qualquer comprovante de gasto, por menor que seja o valor, precisa bater com as contas no fim do mês.

É necessário manter a disciplina de guardar todos os comprovantes de modo a contabilizar tudo perfeitamente no período.

3- Descuidar dos apontamentos do fluxo de caixa

Do mesmo modo que há necessidade de fidelidade em armazenamento dos comprovantes dos gastos, os apontamentos no fluxo de caixa são imprescindíveis para contabilização das entradas e saídas. Pequenos descuidos podem ser cruciais para o faturamento.

4- Deixar de emitir notas fiscais

Deixar de emitir as notas fiscais dos produtos ou serviços oferecidos por sua empresa pode constituir sonegação fiscal e acarretar multas que podem vir a prejudicar a saúde financeira da empresa.

Mesmo acreditando obter lucro por não emitir em algum momento as notas fiscais, ou ainda emitir com valores diferentes do que realmente está sendo ofertado, pode trazer graves consequências para o empreendimento e sair muito mais caro que o imposto que seria pago.

Sendo assim…

Manter um modelo seguro de contabilidade para sua empresa é a sua maior estratégia de negócios, pois você terá segurança de que a sua empresa estará com a saúde financeira estável!

Até a próxima!