COMO MONTAR UMA CLÍNICA ODONTOLÓGICA: QUAIS OS INVESTIMENTOS NECESSÁRIOS?

Ter um planejamento é fundamental para qualquer empresa que deseja iniciar suas atividades de forma sólida e sustentável. Um empreendedor que tenha uma boa habilidade no planejamento pode se antecipar aos possíveis problemas e evitar ao máximo, incidentes que possam gerar estresse, perda de dinheiro, desafios e problemas que podem afetar a estabilidade da empresa.

É por meio do plano de negócio que o empreendedor dentista poderá estabelecer os serviços e especialidades que serão disponibilizados em sua clínica odontológica, a maneira como serão prestados tais serviços, como será o desempenho da empresa perante a concorrência, como atrair mais clientes/pacientes para o consultório, montar um ambiente que suporte todas as necessidades de pacientes e colaboradores, e quais profissionais contratar para execução dos serviços oferecidos.

Neste, que é o nosso 12º post da série: COMO MONTAR UMA CLÍNICA ODONTOLÓGICA, falaremos sobre um dos itens fundamentais do seu plano de negócio: Qual o investimento inicial para montar uma clínica odontológica? É a partir deste investimento que outras questões relacionadas com a empresa serão planejadas.

QUAIS OS INVESTIMENTOS NECESSÁRIOS PARA MONTAR UMA CLÍNICA ODONTOLÓGICA?

A abertura de uma clínica odontológica requer um investimento considerável para se iniciar suas atividades, principalmente por conta dos equipamentos que precisarão ser comprados, tais como cadeiras apropriadas, armários, alguns tipos de máquinas, equipamentos específicos, assim como uma diversidade muito grande de materiais. A adequação do espaço físico também é outra necessidade provável, sendo a estruturação e organização condições para a comodidade dos clientes e para o atendimento à legislação vigente.

O investimento para início das atividades de uma clínica odontológica varia de acordo com o porte do empreendimento e da estrutura pretendida para o negócio. Considerando uma clínica de pequeno porte, será necessário um investimento de cerca de aproximadamente R$ 65 mil, a ser alocado majoritariamente na adaptação do local e compra de móveis, equipamentos e instrumentais, incluindo:

DESCRIÇÃO TOTAL

Reformas e adaptação do Imóvel R$ 10.000,00
Fachada R$ 1.300,00
Abertura da Empresa R$ 1.800,00
Serviços de publicidade e marketing R$ 1.800,00
02 microcomputadores     R$ 3.200,00
02 impressoras multifuncionais      R$ 1.000,00
02 aparelhos telefônicos + linha  R$ 600,00
Contratação de internet banda larga R$ 250,00
Aparelho refrigerador    R$ 900,00
Purificador de água           R$ 500,00
02 ar condicionado 9000 BTUS(com instalação) R$ 2.500,00
Móveis e utensílios para escritório                   R$ 4.500,00
Equipamentos odontológicos                    R$ 26.000,00
Instrumentais odontológicos (clínicos e cirúrgicos)        R$ 5.000,00
Material de consumo odontológico e utensílios    R$ 5.000,00
TOTAL GERAL R$   64.350,00

Observação: Os valores contidos nessa cotação indicam a compra de equipamentos novos, entretanto, deve ser considerada a aquisição de materiais usados em bom estado de conservação. Outro fator relevante na aquisição de materiais odontológicos é a vasta disponibilidade de produtos de diferentes marcas (nacionais e importadas) que variam entre 10% e 80% de preço umas das outras, fato que pode diminuir os gastos para quase a metade do investimento aqui apresentado.

  • Valores com aluguel de imóvel não inclusos;
  • Valores com aquisição de imóvel não incluso.

Conclusão

O importante para que sua clínica odontológica seja realmente um sucesso e lhe traga os retornos esperados, é que antes de tudo você realmente planeje muito bem cada etapa do processo de abertura e funcionamento de seu empreendimento.

Independentemente se você está investindo numa nova clínica ou numa clínica que já atua há algum tempo, quanto mais você estruturá-la de forma adequada, melhores serão suas chances de sucesso. Por isso, não economize no planejamento e conte com o apoio de profissionais experientes na análise de custos, como um contador, por exemplo, pois ele lhe trará dados precisos sobre como você pode investir melhor os seus recursos e assim, iniciar suas atividades de forma segura e sustentável, fatores essenciais para o crescimento de qualquer negócio.

Pense nisso e muito boa sorte!

Até o nosso próximo post da série: COMO MONTAR UMA CLÍNICA ODONTOLÓGICA: O CAPITAL DE GIRO

Fonte referência: SEBRAE

5 maneiras de gerenciar as suas “contas a receber” de forma mais eficiente

Administrar um negócio próprio é o sonho de muitos empreendedores. No entanto, quando a prática vem à tona nada é tão simples quanto possa parecer.

São muitas atribuições e tarefas que o empreendedor precisa executar na sua rotina. E uma das tarefas mais importantes a qual o empreendedor deve executar com muito critério se refere a administração financeira do negócio.

O setor financeiro de uma empresa é um dos setores mais importantes para a sobrevivência da mesma, uma vez que administra aquilo que a faz pulsar e gerar recursos necessários para o bom andamento da mesma.

Sendo assim, todo cuidado é pouco, toda a organização é necessária e ter o controle é imprescindível.

Você já parou para pensar que administrar as contas a receber é imprescindível no gerenciamento financeiro? Uma vez que facilita a visualização das entradas e as analisa as condições atuais e futuras das necessidades das contas a pagar.

Então para facilitar o crescimento do seu negócio e maximizar o bom andamento da Gestão Financeira dele, fique atento às algumas dicas para tornar o seu controle de Contas a Receber mais eficiente.

01 – Organização é a alma do negócio

Todos sabem que qualquer ambiente organizado se torna mais produtivo não é mesmo?

Isso ocorre devido a não ter que perder tempo procurando informações e nem mesmo sofrer prejuízos com as tais perdas. E por falar em prejuízo, se você quiser evitá-los, você precisa de uma gestão contábil muito eficiente.

Minimizar os custos e os gastos é importante para qualquer negócio, sendo assim a organização é imprescindível para a área financeira, exatamente pela precisão nas informações.

Mantenha sempre organizada as contas, os comprovantes e os documentos necessários na rotina do dia a dia.

02 – Delimitar os valores é imprescindível!

Definir as quantias que deverão ser usadas é importante no controle financeiro e mais ainda para controle das contas a receber.

Organizar e delimitar os valores é essencial para planejamento de gastos futuros e melhoria do controle dos mesmos.

A análise deve envolver as quantias que poderão ser incluídas no planejamento, assim como as quantias já recebidas.

Na delimitação dos valores é importante trabalhar com valores abaixo do risco, afinal a projeção poderá sair fora do real, uma vez que existe o fator “inadimplência” por conta de recebimentos de clientes, que pode impactar no faturamento da empresa.

03 – Cobrar também é necessário

Realizar cobranças pode ser um tanto incômodo, principalmente para o novo empreendedor.

O fato é que entrar dinheiro para o fluxo de caixa é essencial para a sobrevivência de qualquer negócio, logo a cobrança se torna necessária.

É claro que a empresa tem um nome a zelar e necessita de fazê-lo para crescer. Com isso a cobrança deve ser feita de modo ético, social e dentro da legislação.

04 – Pagamento antecipado pode trazer bons resultados

Antecipar os pagamentos pode ser uma ótima estratégia de economia. Isso porque, muitas contas se pagas antes do vencimento, evitam o acréscimo de correções, multas e ainda juros caso sejam atrasadas.

Com isso pagar antecipado pode trazer bons resultados no fluxo de caixa da empresa, além de minimizar os acúmulos de contas a pagar que em algum momento pode ser superior às contas a receber, buscando sempre o equilíbrio das contas de entradas e saídas.

05 – Automatizar para melhorar

Automatizar os processos envolve algum investimento, ainda que mínimo. No entanto pode ser a solução de muitos gargalos em uma organização.

No controle financeiro não é diferente. A automatização dos processos facilita o dia a dia além de gerar menos retrabalho e deste modo, menos prejuízos.

E por fim…

Agora que você já sabe como melhorar ainda mais o controle de Contas à Receber, basta colocar em prática essas técnicas e fazer crescer cada dia mais o seu empreendimento. A contabilidade do seu negócio agradece e o seu bolso também!