Peça fundamental para uma boa gestão empresarial – a expertise de pessoas no desenvolvimento das estratégias

É muito comum que os empresários e líderes dediquem um tempo bem maior nas análises que envolvem as movimentações estratégicas e que são necessárias para que a empresa consiga crescer no mercado de uma maneira sustentável. Mas, o que é preciso para ter uma boa gestão empresarial?

Com toda certeza, essa questão é uma prioridade, porém, em grande parte das vezes, a solução que a empresa busca para resolver seus problemas está mais perto do que se pensa.

Você acertou se pensou nos seus funcionários! Porque eles são indispensáveis e fazem uma grande diferença na hora de alcançar seus objetivos e conquistar uma diferenciação dos seus concorrentes.

De uns tempos para cá, o mercado tem se aquecido bastante, gerando várias exigências, entre elas profissionais que tenham mais autonomia, ao ponto de conseguirem escolher até mesmo as empresas em que querem trabalhar.

Mas, é claro que os empreendedores precisam criar expectativas relacionadas aos colaboradores que estão em suas organizações.

Por esta razão, hoje vamos falar sobre a peça fundamental para uma boa gestão empresarial – a expertise de pessoas no desenvolvimento das estratégias!

Planejamento

Dentro da empresa, existem três tipos de planejamento que são essenciais para o seu desenvolvimento.

Vamos descobrir mais sobre eles!

Planejamento estratégico

O planejamento estratégico tem como foco a definição das estratégias da empresa a longo prazo. Neste planejamento, são levados em conta os fatores externos e internos da organização, como a situação econômica atual, por exemplo.

Para a realização desse tipo de planejamento, é preciso que a visão da empresa e processos dela estejam integrados.

A visão do planejamento estratégico geralmente alcança de 5 a 10 anos.

Mesmo que o alcance da visão do planejamento seja de 10 anos, é fundamental que ele seja atualizado frequentemente. Caso isso não aconteça, o planejamento pode ficar ultrapassado e acabar não sendo usado pela empresa como deveria ser.

Planejamento tático

O planejamento tático é aplicado de uma forma diferente, dependendo da área da empresa. A área de RH vai ter o seu próprio planejamento tático, assim como a de marketing, a financeira e assim por diante.

Nessa parte, entra em foco um pouco mais do planejamento estratégico, que tem associação com vários planos táticos.

O planejamento tático precisa ser feito a cada ano e tem como objetivo otimizar cada área da organização na busca por melhores resultados.

Planejamento operacional

No plano operacional, o objetivo é colocar em prática todos os planos táticos desenhados pela empresa. Seu projeto é de curto prazo e se relaciona com cada uma das metas e tarefas estabelecidas pela organização.

Ou seja, no operacional, devem ser realizados todos os planejamentos, recursos, metas e prazos dos projetos e tarefas dentro da empresa. Como ele é a etapa final do planejamento, é essencial que seja um plano mais detalhado, explicando de forma isolada cada uma das tarefas que devem ser cumpridas.

Alto desempenho

Quando a empresa contrata um funcionário, a contribuição mais importante e também o primeiro critério avaliado, é o quanto ele pode contribuir para que a empresa seja mais produtiva e se o colaborador atenderá as expectativas.

Porém, só será possível que o funcionário consiga fazer suas tarefas quando forem definidas as metas e os objetivos pelos gestores, fazendo ainda um acompanhamento periódico do desempenho dos profissionais.

Por esta razão, é muito importante que sejam traçados mapas e definidos os objetivos estratégicos não só para a empresa, mas também para cada um dos setores que fazem parte da organização.

Isso faz com que a visualização e a compreensão da visão de todos os funcionários sejam mais fáceis, tornando o acompanhamento periódico de desempenho algo diário.

Uma empresa que é capaz de definir bem suas estratégias, aplicando de maneira correta cada etapa dos planejamentos, e que pode contar com profissionais competentes que agreguem valor para a organização, alcança rápido seus objetivos e consegue crescer de maneira significativa no mercado.

Somos especializados em contabilidade e podemos te ajudar!

Ficou uma dúvida?  Que tal entrar em contato conosco? Será um prazer falar com você.

5 dicas de gerenciamento de tempo para proprietários de pequenas empresas

Organize-se, aumente a produtividade e mantenha a eficiência com estas cinco dicas para melhorar suas habilidades de gerenciamento de tempo

Qualquer empresário sabe que tempo é dinheiro. Não é incomum para proprietários de pequenas empresas trabalharem de 12 a 16 horas por dia, muitas vezes sete dias por semana, especialmente nos estágios iniciais de um negócio. Parece muito tempo, mas para a maioria, não é suficiente. Grande parte desse tempo é gasto em e-mails, em reuniões e em tarefas tediosas.

Logo, temos algumas perguntas a lhe fazer:

  • Quando você conseguirá usar seu precioso tempo com aquilo que realmente influencia no crescimento de sua empresa?
  • Como você consegue se focar somente nas tarefas tediosas enquanto sua empresa deixa de crescer?

Aqui estão cinco dicas de gerenciamento de tempo para ajudá-lo a permanecer organizado e focado ao longo de cada dia:

  1. Não seja Multitarefa

Isso é contra intuitivo em relação ao que muitos de nós fomos ensinados em toda a nossa vida. Porém vários estudos e pesquisas comprovam que ser multitarefa é ineficaz. Se você se concentrar em uma coisa de cada vez, você será mais produtivo e eficiente, pode ter certeza!

  1. Mantenha uma Lista de Tarefas Prioritárias

Seu maior trunfo será construir uma lista de tarefas prioritárias. Isso irá ajudá-lo a manter cada tarefa organizada mediante seu nível de prioridade e lhe dará uma ideia tangível do que precisa ser feito. Coloque os projetos mais importantes no topo, e trabalhe as demais prioridades abaixo. Existem vários programas de gerenciamento de tarefas disponíveis online e em forma de aplicativo que podem ajudar a mantê-lo organizado e concentrar-se nas prioridades.

  1. Trabalhe em blocos de tempo

Trabalhar em blocos de tempo pode ajudá-lo a se concentrar em tarefas específicas. Vários donos de empresas e CEO’s bem sucedidos usam este método e aprovam sua eficácia. Você pode bloquear uma hora – ou mesmo um dia inteiro – e dedicar esse tempo a um projeto. As possibilidades são infinitas. Apenas certifique-se de dar a cada tarefa ou projeto um intervalo de tempo.

  1. Contrate um treinador ou mentor

Ter alguém para responsabilizá-lo, cobrá-lo e fornecer suporte onde você precisar também ajudará com produtividade. É bom ter alguém desafiando você ou orientando-o quando as coisas ficam esmagadoramente complicadas.

  1. Estabeleça uma jornada regular de trabalho

Estabeleça um cronograma regular de trabalho e mantenha-o. Na maioria das vezes é melhor criar uma jornada de trabalho baseada em ritmos naturais do seu corpo, assim você não viverá lutando constantemente com a fadiga e os bloqueios mentais gerados por ela. Além disso, é importante que você cuide de si mesmo fisicamente, emocionalmente, mentalmente e espiritualmente. Se você não fizer isso, isso se refletirá negativamente em seu trabalho e em sua produtividade.

Um dia tem apenas 24 horas e você precisa definir quantas dessas horas serão necessárias para você gerenciar com eficácia e eficiência o seu negócio. Muitos empresários, principalmente os donos de pequenas empresas, costumam trabalhar regularmente no limite, alguns trabalhando até 18 horas por dia. Concluir as tarefas diárias é um desafio para o pequeno empresário, especialmente quando elas começam a se acumular.

Esperamos que essas dicas possam ajudar a tirar um pouco do estresse de seus ombros e ajudá-lo a permanecer produtivo e principalmente saudável física e emocionalmente.

Pense nisso e muito sucesso!

7 erros terríveis que você pode estar cometendo na sua Corretora de seguros

Recentemente, com a crise econômica vivenciada em todo o país, as pessoas passaram a controlar seus gastos como modo de sobrevivência para adquirir somente o que de fato necessitam.

Com isso, muitas empresas passaram a sentir o impacto da crise por trabalharem com consumidores diretos que passaram a rejeitar suas ofertas.

Na área de corretagem de seguros não foi diferente, com isso cresceu, e muito, o número de empresas corretoras que fecharam os últimos meses no vermelho.

Algumas empresas apenas se desestruturaram, outras vieram a sofrer impactos mais profundos. No entanto sobreviver a esta crise pode ser uma questão de adequação e melhoramento de uma gestão ineficaz para este momento.

Se este é o seu caso, fique atento, pois preparamos uma matéria sobre os 7 principais erros que sua empresa Corretora de Seguros pode estar cometendo e que podem ser solucionados através de uma gestão eficiente.

Erro 01 – Falta de Organização nas Finanças e estabelecimento de prioridades

Esse é o primeiro e o principal erro financeiro cometido por diversas empresas de todos os segmentos em momentos de crise.

Deixar de organizar e priorizar as principais necessidades é crucial para qualquer negócio que passa por momentos de instabilidade.

Erro 02 – Falta de responsável específico para concentração de pagamentos

Atribuir as mesmas responsabilidades a diversas pessoas é um erro, no entanto deixar de nomear a pessoa principal que ficará responsável por alguma tarefa ou rotina é imperdoável.

Para qualquer negócio crescer é necessário ter total controle das estruturas do mesmo, e com uma corretora de seguros não é diferente. Sendo assim é imprescindível uma figura administrativa responsável por todos os pagamentos, evitando assim transtornos e prejuízos na falta dos mesmos.

Erro 03 – Falta de controle nos gastos

O gasto excessivo, ainda que em valores minúsculos, muitas vezes aparentemente imperceptíveis podem trazer grandes variações no orçamento do período, para uma corretora de seguros.

Isso porque a falta de controle nos gastos é cometida por muitas empresas que acabam não vendo seu lucro descendo ralo à baixo em pequenas proporções, porém, em grande variedade de vezes no período.

Erro 04 – Busca contínua por recursos de terceiros

Muitas corretora de seguros ainda não estruturadas procuram em terceiros, principalmente em instituições bancárias, a chance de se estruturar.

No entanto se parar para pensar, ninguém trabalha de graça, menos ainda os bancos. Com isso, o empresário que trabalha com recursos de terceiros acaba pagando caro por isso, sem nem mesmo ter necessidade de fazê-lo, apenas para não perder o costume.

Em momentos de crise, situações como essa devem ser bem analisadas para evitar ainda mais desperdícios de dinheiro sem necessidade.

Verificar as condições atuais e trabalhar com o que tem em caixa é sempre a melhor opção em momentos de instabilidade financeira.

Erro 05 – Falta de conhecimento de Gestão de Negócio

Todo empreendedor que deseja crescer necessita buscar cada vez mais aprimorar seus conhecimentos como técnica de sobrevivência dos negócios.

Buscar capacitação e melhorias na gestão de sua corretora de seguros é essencial para qualquer empresa, principalmente quando se trata de prestação de serviços, onde a relação com o fator humano se torna efetiva.

Erro 06 – Falta de separação das finanças empresariais x finanças pessoais

Muitos microempresários e até mesmo empresários de empresas de pequeno porte pecam pela não separação das finanças empresariais das pessoais.

Com essa situação qualquer negócio sofre. Isso porque não se tem total controle de quanto à corretora de seguros está sendo rentável e se isso ocorre, é visto apenas pelas projeções e na prática não é sentido no bolso.

Erro 07 – Falta de visão da importância de uma gestão contábil eficiente

Muitos empresários ainda não se deram conta da importância que os trabalhos de um profissional contábil trazem para o seu negócio.

Não apenas para transparecer as movimentações contábeis e gerar as declarações que devem ser enviadas à Receita Federal, o profissional contábil tem papel importante nas tomadas de decisões de qualquer empresa, independente do seu segmento.

Com a constante melhoria e agilidade nos processos, atualmente escritórios de contabilidade trabalham de modo personalizado de acordo com as necessidades dos nichos de atuação que atendem. Isso traz diversos benefícios a relação contabilidade/cliente, trazem recursos para minimizar os custos através de uma inteligência administrativa.

Então não perca mais tempo, agora que você já conhece os principais erros que pode estar cometendo em sua corretora de seguros, comece já a corrigi-los e volte a se estruturar o seu negócio ainda em momentos de crise!