Dicas valiosas para médicos e dentistas melhorarem as redes sociais de suas clínicas ou consultórios

As redes sociais são uma verdadeira extensão do atendimento que você oferece aos seus pacientes em sua clínica ou consultório. Esse ambiente digital, além de ser uma forte ferramenta para prospecção de novos pacientes, é o local onde o seu negócio está exposto para o mundo. Essa enorme vitrine online tem inúmeras vantagens, mas, caso seja utilizada de forma incorreta, pode ser um grande fator de risco para a saúde da sua empresa.

Como ninguém quer ser malvisto no universo da internet, a Proativa separou algumas dicas valiosas para você, médico ou dentista, aproveitar as redes sociais para consolidar a imagem do seu negócio e até aumentar seu faturamento. Continue a leitura e prepare-se para colocar tudo em prática!

Antes de tudo, conheça seu público

Tão importante quanto ser especialista na sua área é conhecer o seu público. Isso irá determinar o tipo de conteúdo e a linguagem que o seu negócio deve ter nas redes sociais. Informações como faixa etária, interesses, localização e gênero fazem toda a diferença. Por exemplo, se você tem um consultório de odontopediatria, seu público não é de crianças, mas muito provavelmente de mães. Você pode buscar entender o comportamento dessas mães e direcionar um conteúdo realmente relevante para elas.

Cuidado com o conteúdo

Um ponto de atenção que profissionais de saúde precisam levar em consideração é que, se o seu discurso é direcionado para clientes/pacientes, você precisa se comunicar para eles. O que isso quer dizer?

Muitos médicos ou dentistas postam imagens de cirurgias ou qualquer outro procedimento e ainda enchem as legendas com termos técnicos e difíceis para o público geral compreender.

É necessário ter bom senso. Escolha imagens que transmitam o resultado do seu trabalho e não o “problema” que você solucionou. Você pode tomar como exemplo as campanhas publicitárias de grandes hospitais: elas nunca vão mostrar um paciente debilitado, em tratamento ou sendo operado, mas sempre feliz e sorridente, transmitindo a sensação de que foi bem cuidado. O discurso segue a mesma linha e precisa cumprir sua missão de ser entendido.

Fique dentro da lei

Tanto o Conselho Federal de Medicina, quanto o de Odontologia possuem seus códigos de ética e precisam ser respeitados. Posts como “antes e depois”, consulta e diagnóstico online, promessas de resultados e exposição vexatória de pacientes não são permitidos. Caso você fique na dúvida se o que você vai postar está de acordo com o código de ética da sua classe, não hesite em pesquisar e confirmar antes.

Não deixe seu público “a ver navios”

Busque solucionar qualquer eventual problema e sempre demonstre preocupação com a solicitação do seu cliente. Lembre-se, todas essas pessoas são formadoras de opinião na internet, mesmo que em pequena escala.

Também é importante prestar atenção na frequência de postagens. Monte um cronograma e programe-se para cumpri-lo.

Considere investir

Mesmo as redes sociais fazendo parte do nosso dia a dia, manter um perfil ou página profissionais exige alguns investimentos, seja de tempo e/ou dinheiro.

Caso você não tenha uma agenda que permita que você dê uma atenção especial a essa área do seu negócio, procure capacitar algum funcionário ou busque a ajuda de profissionais especializados.

Analise seus resultados

Mais do que números de curtidas, comentários ou compartilhamentos, você pode utilizar as redes sociais para escutar as necessidades (ou reclamações) do seu público e transformá-las em soluções para a sua clínica ou consultório. Por exemplo, se você recebe muitas mensagens perguntando sobre um serviço X, que você não oferece, considere estudar melhor a possibilidade de implementá-lo.

A Proativa Consultoria Contábil e Empresarial está sempre buscando soluções para que o seu negócio seja ainda mais bem-sucedido. Continue acompanhando nosso blog e, caso surja alguma dúvida, entre em contato com o nosso time!

Como montar uma clínica odontológica: Quais os equipamentos necessários?

Você finalmente decidiu montar sua clínica odontológica e vai começar o empreendimento do zero? Uau, isso é sensacional! E agora você esta fazendo sua lição de casa, isto é, pesquisando as melhores soluções em tecnologia para equipar a sua clinica e torna-la segura, atraente para o seu público, respeitando todas as normas legais, exigências e especificações da vigilância sanitária. Muito bom. Você está mesmo no caminho!

É importante você saber que para montar uma clínica odontológica – do zero, reformar uma já existente ou aumentar o tamanho de seu empreendimento dental, contratando novos funcionários ou integrando novos serviços e especialidades – será necessário que você invista na compra de novos equipamentos dentários para concluir o projeto.

Mais do que pensar apenas no tipo de tecnologia que será utilizada para tratar seus pacientes, você precisa considerar que entre os equipamentos para uma clinica odontológica estão inclusos também os sistemas de gestão, sistemas para monitorar os processos usados para protocolos de controle de infecção e até mesmo todos os equipamentos usados para esterilização e desinfecção dos instrumentos usados durante os procedimentos.

Os equipamentos para uma clínica odontológica podem ser divididos em várias categorias para abranger os tipos de tratamentos e especialidades que serão oferecidos pelas mesmas, tais como, a endodontia ou a cirurgia bucal.

Neste 6º artigo da nossa série: como montar uma clínica odontológica, os especialistas do SEBRAE nos mostram todas as exigências em relação aos equipamentos para uma clínica odontológica.

Boa leitura!

Equipamentos para uma Clinica Odontológica

No caso da clinica odontológica a legislação prevê que a estrutura mínima a ser considerada, independente do número de salas de atendimento, deverá ser uma sala de espera ou recepção, banheiro, área para estocagem de material de limpeza (depósito), central de material esterilizado (CME), sendo composto por 2 ambientes: área suja e área limpa.

Itens a serem considerados para os espaços que compõem a clinica odontológica:

    Consultório clínico

– Ar condicionado com potência apropriada para a metragem da sala

– Cadeira odontológica

– Micromotor odontológico

– Aparelho de radiografia intra/ extra oral

– Aparelho de sucção de alta/baixa potência

– Equipamento para profilaxia odontológica bicarbonato de sódio/ ultrassom

– Motor elétrico

– Fotopolimerizador

– Aparelho de polimerização de resinas

– Compressor

– Armário com gaveteiro

– Foco cirúrgico

– Negatoscópio

– Toalhas e materiais descartáveis

– Pia para lavagem de materiais

   Recepção ou sala de espera

– Iluminação apropriada

– Poltronas para espera

– Mesa de apoio

– Suporte para revistas

– Mesa de apoio

– Purificador de água

– Copos

– Garrafa térmica para café

– Aparelho telefônico

– 1 computador desktop

– Mesa escrivaninha

– 1 Impressora multifuncional

– Material de escritório

– 1 aparelho televisor com medidas pertinentes à metragem do ambiente

    Banheiro

– Papel higiênico

– Sabonetes

– Álcool em gel

   Depósito (área para estocagem de produtos de limpeza)

– Armário

– Materiais de limpeza, em geral

    Área suja – CME

– Bancada de apoio

– Pia

    Área limpa – CME

– Autoclave

– Seladora

– Geladeira

– Materiais odontológicos, em geral.

– Armários

A escolha para a aquisição de equipamentos para uma clínica odontológica deve ser criteriosa. No processo de aquisição de equipamentos devem ser avaliadas as aplicações clínicas, o custo do equipamento e de sua manutenção e sua conformidade com as leis sanitárias do país. O custo de manutenções, o material de consumo, a disponibilidade de fornecedores destes materiais, a garantia de segurança aos usuários (pacientes e operadores) desses equipamentos, o custo de calibrações, o tempo de garantia, bem como o tempo médio de vida dos equipamentos e dos acessórios são informações decisivas para garantir a viabilidade econômica do uso dos equipamentos.

Assim, é necessário planejar antes da aquisição, o custo de manutenção mensal e/ou anual do equipamento, além de analisar o valor percentual que será gasto em manutenção, a necessidade e o custo de equipamentos para calibração, o valor das peças de reposição e dos acessórios, e o tempo de entrega dos mesmos. Recomenda-se fazer a previsão orçamentária para os insumos descartáveis ou os acessórios e partes que sofrem desgaste natural em função do uso.

Para o controle total dos equipamentos em um serviço de Odontologia é recomendável que se tenha o registro histórico do equipamento, formado por: relatórios de Manutenção Preventiva (MP) e Manutenção Corretiva (MC), histórico de incidentes, histórico de falhas técnicas e operacionais e outras informações pertinentes ao equipamento, além do seu custo total. Outro aspecto importante a ser considerado é o ergonômico, que busca respeitar as interações entre o ser humano e outros elementos de um sistema, de modo a otimizar o bem-estar humano e o desempenho geral do sistema.

Dicas importantes:

  • Listar os melhores equipamentos: procurar fabricantes reconhecidos e que prestem assistência técnica adequada, ou seja, rápida e eficiente. Pode-se optar pela montagem do equipamento, entretanto deve-se certificar que os componentes são de boa origem e executados por um técnico capaz e que preste a devida assistência. Não é possível paralisar o andamento do negócio e ficar esperando a boa vontade da assistência;
  • Definidas as configurações e possíveis fornecedores, é necessário orçar os equipamentos, comparando preços e condições de pagamento;
  • Fabricantes de equipamentos odontológicos usualmente promovem descontos de seus produtos em congressos, feiras e seminários. Mantenha-se informado.
  • Equipamentos de segunda mão podem ser uma solução mais barata e eficiente para início das atividades.
  • Recomenda-se a aquisição de sistema de segurança e seguro contra incêndios, acidentes, furtos, etc., em função do alto valor do maquinário e equipamentos adquiridos.
  • Deve-se prever a necessidade de contratação de serviços de pintura, elétrica e hidráulica.

Conclusão

Há muitas coisas a se considerar quando você está planejando comprar novos equipamentos para uma clínica odontológica, e a maioria destas considerações são muito específicas e devem ser analisadas de acordo com cada tipo de equipamento que você estiver pesquisando. No entanto, existem alguns princípios universais que devem ser levados em conta sempre que você estiver pensando em investir em melhorias para a sua clínica odontológica com a adição de novos equipamentos.

Primeiro, é importante ter um plano de como o equipamento será configurado e usado em sua clínica. Em seguida, certifique-se de que você e sua equipe receberão um suporte adequado a fim de obter o máximo de benefícios dos equipamentos.

Importante: Você deve considerar e planejar os investimentos em marketing para clínicas odontológicas, para que assim você possa obter o mais rápido possível o retorno de todos os investimentos que disponibilizou para montar uma clinica odontológica. Divulgue seus serviços e especialidades, enfatize seus diferenciais e faça com que seus pacientes saibam muito sobre todos os tipos de tratamentos que você oferece e também sobre o atendimento personalizado que cada um receberá ao optar por cuidar da saúde bucal em seu empreendimento!.

Não perca o nosso próximo artigo:

Como montar uma clinica odontológica: Matéria Prima e Mercadorias para os tratamentos odontológicos!

Até a próxima!

Como montar uma clínica odontológica: A importância da Localização

Neste segundo texto da série como montar uma clínica odontológica, falaremos sobre a importância da localização de seu consultório odontológico. Porque a localização é um dos fatores determinantes para que sua clinica odontológica seja um sucesso?

Boa leitura!

Em se tratando da decisão quanto ao local onde a clínica odontológica será estabelecida, não há regras. Neste caso, o empreendedor que deseja se estabelecer em uma cidade ainda desconhecida, deve coletar dados e pesquisar sobre cidades promissoras e que se encontram em ascensão econômica. Geralmente, cidades interioranas que transitam entre o médio e o grande porte são ideais para o investimento na carreira odontológica, segundo profissionais engajados que procuraram locais com crescimento potencial para se estabelecerem.

Ao escolher uma localização para a sua clínica odontológica, o empreendedor deve se atentar quanto aos dados demográficos da cidade, a renda per capita, o crescimento populacional, a quantidade de profissionais lá estabelecidos e suas respectivas especialidades, além do custo de vida, para que não hajam surpresas capazes de abalar o planejamento previamente realizado. Recomenda-se visitas ao local antes da decisão ser tomada.

Uma vez escolhida a cidade, o dentista empreendedor deve partir em busca de seu “ponto-de-venda”, ou o local onde a clínica odontológica será estabelecida. Se o empreendedor desejar atuar em uma especialidade de alto valor agregado para o cliente, ou serviços mais caros dentro da odontologia (ex: estética), é certo que uma fatia da população com maior poder aquisitivo irá acessar esse serviço. Por isso, os cuidados devem ser redobrados quanto a escolha do bairro, do imóvel e seu estado de conservação, o atendimento de recepcionistas, a pontualidade de atendimento, a flexibilidade para abrir exceções em casos de necessidade, a acessibilidade do local, a conveniência de estacionamento, ar condicionado e outras exigências demandas pelo perfil desse público classe A e B.

Caso o empreendedor opte na oferta de serviços para a população das classes C, D e E, com serviços mais básicos (ex: clínica geral e pequenas cirurgias), suas necessidades são outras. Nessa circunstância, as prioridades do empreendedor devem estar focadas na quantidade de pacientes que são possíveis de ser atendidos durante o horário comercial. Uma vez que serviços mais básicos possuem menor valor, o profissional ganha no volume de atendimento, ou seja, quanto mais atender, mais rentável é a clínica. Para isso, é necessário que o empreendedor organize o estabelecimento com o mínimo de condições para a espera de seus clientes.

Uma tendência de mercado que vem crescendo é a locação/aquisição de espaços em estabelecimentos comerciais, como prédios de escritórios, centros comerciais, shoppings, etc., por terem um maior fluxo de pessoas com potencial de se tornarem clientes fidelizados. Regiões centrais também são valorizadas por concentrarem a maior movimentação de pessoas durante o dia. Locais com estacionamento acessível ou próximos a linhas de transporte público possuem vantagem por trazer mais comodidade àqueles que buscam qualquer tipo de serviço.

Excepcionalmente, a realização de pesquisas que estabeleçam um mapeamento do local onde o empreendimento será instalado, se faz fundamental. O dentista empreendedor deve conhecer profundamente seus concorrentes, se aproximar de seus fornecedores, além de obter informações estratégicas do local, como dados do mercado imobiliário local, eventos locais onde possa realizar a prospecção de clientes e a divulgação de seus serviços, além de mapear o perfil de seus pacientes para utilizar ações de marketing e publicidade com maior efetividade.

Viram como a escolha do local para montar uma clínica odontológica deve seguir critérios de acordo com o modelo de negócios pré-estabelecido em sua estratégia empreendedora? Esses critérios quando bem observados e seguidos à risca, são determinantes para que seu consultório odontológico tenha visibilidade e seja realmente um empreendimento de sucesso!

Não perca o próximo post da série: Como montar uma clínica odontológica: Exigências Legais e Específicas

Se você esta curtindo nossos posts, COMPARTILHE em suas Redes Sociais. Deixe também seus comentários, opiniões, dúvidas e sugestões sobre temas que gostaria de ler em nosso blog. Teremos um imenso prazer em interagir com você e publicar artigos que realmente sejam do seu interesse.

Até a próxima!

Fonte: SEBRAE

Leia também: COMO MONTAR UMA CLÍNICA ODONTOLÓGICA: CONCEITOS INICIAIS E MERCADO

Impostos de um consultório odontológico: quais são e quais os regimes de tributação?

Os impostos dentro das contas a pagar de uma empresa são itens prioritários para que um fluxo de caixa correto e preciso seja realizado. É claro que as contas chegam, seja para um dentista que dirige um consultório, seja para o dentista que trabalha para uma ou mais empresas. Nesse contexto, o essencial é conhecer cada imposto para administrá-los bem, se organizar e não se assustar com encargos e descontos ou contas que não fecham no fim do mês.

Para auxiliar na rotina financeira de controle de gastos, listamos impostos e explicamos a diferença entre tributar como autônomo e pessoa jurídica. Confira!

Os impostos pagos pelo dentista que atua como profissional autônomo

Todo dentista que deseja trabalhar como autônomo tem de passar por alguns processos para ficar em dia com as obrigações fiscais. Para tanto, o correto a se fazer é a escrituração de um livro caixa. Nele serão lançadas – geralmente pelo contador – despesas dedutíveis para a redução do lucro tributável.

Todas as despesas como folha de pagamento, telefone, INSS, aluguel do local, IPTU, energia elétrica, água, material de limpeza e do consultório devem entrar na análise de gastos e faturamento.

A tributação será feita pelo Imposto de Renda de Pessoa Física (IRPF), o que gira em torno de 27,5%. Assim, o IRPF é calculado pelo valor líquido do rendimento, isto é, rendimento total bruto menos as despesas dedutíveis.

Os impostos do dentista que é Pessoa Jurídica

Em um consultório odontológico, existem três possibilidades como tributação: o lucro presumido, o lucro real e o simples nacional.

Lucro presumido

No lucro presumido, a porcentagem a ser aplicada sobre o faturamento da pessoa jurídica é de 11,33%, sendo que cada imposto recebe as seguintes tributações:

PIS 0,65%;

COFINS 3%;

CSLL 2,88%;

IRPJ 4,8%;

ISSQN pode depender do município, porém é comum as prefeituras estipularem um valor fixo por dentista.

O lucro presumido é mais indicado como a melhor opção tributária para as clínicas menores.

Lucro real

Já o lucro real, pode ser determinado a partir do lucro líquido do período de apuração obtido na escrituração comercial. Com isso, o lucro apurado na contabilidade da empresa estará pronto para ser distribuído aos sócios isento de impostos.

Simples Nacional

A partir de 2015, os consultórios odontológicos também poderão se enquadrar na tributação do Simples Nacional. Através desse regime, os impostos federais, estaduais e municipais unificaram-se em uma alíquota única, variando de acordo com cada faixa de faturamento até o teto de R$3,6 milhões por ano. O percentual da CPP (Contribuição Patronal Previdenciária) para microempresas e empresas de pequeno porte estará incluído na alíquota do Simples Nacional, sendo o recolhimento efetuado por meio do DAS.

Qual é a melhor forma de pagar os tributos?

A tributação realizada como pessoa jurídica é menor em relação à pessoa física. A busca por uma empresa de contabilidade,  é fundamental para a análise dos tributos e demonstração do melhor caminho a seguir. Mesmo assim, caso ainda queira trabalhar das duas maneiras, há essa possibilidade. É possível colocar parte do rendimento como pessoa física e parte como pessoa jurídica, tendo em vista menores tributos possíveis dentro da lei.

Garantia de sucesso e legalidade

Entendendo a importância e as condições de pagamento e das atividades como pessoa física ou jurídica, o seu consultório caminhará da melhor maneira possível, dentro da legalidade e com menos desperdícios. Sendo assim, opte pelo que fornece maior rendimento, informe-se mais sobre os tributos pagos e caso necessário, converse com uma empresa de contabilidade. Fique atento para garantir seu sucesso.

Qual é a tributação realizada em seu consultório? Como ela foi definida? Deixe seu comentário e compartilhe conosco suas experiências.

Fonte: Smile Cursos

Dentista: como andam seus negócios?

Naturalmente, com a crise, alguns dentistas sentiram a perda de clientes ou a diminuição de procura, e consequente minimização das vendas por tratamentos dentários.

E nessa história a conta é simples: ou seja, menos pacientes, significa dizer que haverá menos dinheiro.

Logo, para conseguir aumentar o volume de vendas e atrair mais clientes, logo se pensa em diversas opções. Muitos decidem fazer promoções, pacotes, novos tipos de convênios, mais sócios, e outra infinidade de alternativas para diminuir os prejuízos do negócio.

Muitos dentistas, visando poder sobreviver ao aperto, acabam por cortar vários gastos e muitas vezes até se sobrecarregam, no intuito de conseguir continuar de pé no mercado.

E como anda o seu negócio?

Obviamente é necessário fazer uma análise de como anda o empreendimento. Se o consultório dentário precisa cortar despesas, é preciso analisar em quê, e como isso pode ser feito, sem que para isso seja perdido algo que é essencial: QUALIDADE!

Afinal, não adianta querer reduzir os gastos, se isso consequentemente trará insatisfação dos clientes e ainda mais perdas. É preciso ter lucro, mas do jeito certo, sem colocar o negócio em risco.

Nesse sentido, como o dentista deve gerir seu negócio?

Otimização de tempo é muitas vezes a solução!

Tudo bem, o dentista ser caloroso, querer tratar bem seus pacientes e desenvolver um diálogo salutar, mas filtrar as consultas e o que se fala nela no sentido de objetividade é imprescindível, se você deseja otimizar o tempo, ser mais produtivo e conseguir atender mais pacientes.

O primeiro passo para gerir melhor os seus negócios, tem a ver com saber fazer bom uso do tempo e realizar as ações necessárias para ampliar a produtividade e resultados.

Inbound Marketing no atendimento de seus serviços com dentista

O Inbound Marketing não somente trabalha para o nicho virtual. Pelo contrário, o campo físico e as empresas físicas também devem fazer uso dele. “Como assim”?

Ter um site publicado na web, e produzir conteúdo relevante para o seu público alvo, é a estratégia que tem garantido sucesso à muitos profissionais da área da saúde, dentre eles, muitos dentistas e seus consultórios.

Alguns planos pagam um valor baixo, por isso alguns profissionais preferem não atender determinados convênios, pois financeiramente, às vezes são insignificantes, só que em um momento de crise, se torna interessante atrair mais clientes, ou seja, estender o atendimento, mesmo para convênios que pagam menos é uma boa estratégia de aumentar o número da carteira e fidelizar, isso trará mais renda.

Já pensou em fazer um site para o seu consultório odontológico e começar a distribuir conteúdo relevante como Marketing de Atração de novos pacientes?

Marketing viral também funciona!

Como anda a popularidade de seu consultório dentário?

O dentista que possui um ótimo padrão de atendimento, acaba “caindo no gosto” dos clientes. Qualidade e bom atendimento fazem grande diferença. O relacionamento com o paciente também é de vital importância.

Se o dentista não pode ligar para desejar feliz aniversário para os seus clientes, porque isso sairia muito caro, o envio de e-mail como símbolo de atenção, além de reduzir despesas, permite que o paciente perceba que foi lembrado e que o especialista não se esqueceu dele. Assim firmando um elo mais sólido.

Como um cliente se sente ao perceber que tem essa atenção? Acaba recomendado os serviços dentários a outras pessoas, amigos, conhecidos e familiares e assim se distribui o marketing viral, tão essencial para o sucesso do negócio.

Além disso, seu site deve estar integrado às redes sociais, para que todo conteúdo que você publica, também seja distribuído em suas mídias sociais. E mais, clientes satisfeitos adoram contar suas experiências para os amigos, e hoje um dos meios mais simples de se contar aquilo de bom que acontece, é compartilhando experiências através das redes sociais. Já pensou… seus pacientes falando bem de você em seu facebook, por exemplo?

Pense nisso e contrate rapidamente um plano de Marketing Digital para o seu consultório odontológico!

Contabilidade

Obviamente, as finanças e a contabilidade nunca podem ser esquecidas, isso porque ambas são pilares fundamentais para a sobrevivência do negócio.

Por meio da contabilidade, o dentista tem como saber como está a receita e as despesas e assim é possível prever onde se pode cortar mais custos, e onde é preciso investir. Assim não se corre o risco de eliminar o que não se deve ou de aplicar dinheiro onde não se terá retorno.

O contador moderno é um gestor contábil habilitado e experiente, e o mesmo terá condições de posicionar seu cliente dentista nesses termos, permitindo com que o mesmo tenha um maior direcionamento do que é preciso fazer para melhorar o seu negócio.

E aí, quer nos contar a experiência de como andam os seus negócios doutor? Quer tirar dúvidas também sobre contabilidade ou marketing para o seu consultório odontológico? Deixe seus comentários abaixo. Nossos especialistas irão interagir com você e lhes mostrar o quanto seu negócio odontológico pode ser melhorado?

Até muito breve!