Transformação digital – sua clínica ou consultório precisa?

Provavelmente você já deve ter ouvido falar da transformação digital. Essa é uma das tendências mais comentadas da atualidade e se tornou um processo de expansão em diversos setores, principalmente o da saúde. 

Mas o que de fato seria esse processo? São medidas que as empresas estão tomando para utilizar a tecnologia para melhorar o desempenho, aumentar o alcance e gerar resultados mais eficientes.É importante entender que essas mudanças englobam também a chegada de novos hábitos e comportamentos. Afinal, a tecnologia precisa ser utilizada como uma ferramenta para desbloquear potenciais humanos.

Na prática, já não existe outra saída. O mundo mudou e a transformação digital é algo imprescindível. Para clínicas e consultórios, isso significa melhorar a gestão, otimizar processos, diminuir a margem de erros, melhorar o atendimento e experiência do paciente e, inclusive, gerar novas oportunidades de negócio. Não é por acaso que a cada dia presenciamos o surgimento de mais e mais startups na área da saúde.

E agora, por onde começar?

Para que sua clínica ou consultório realize a transformação digital, o primeiro passo é enxergar o negócio de uma maneira completa, assim, com essa visão macro e micro, você conseguirá identificar as necessidades da empresa e investir com maior assertividade nas ferramentas de gestão.

Esse tipo de mudança exige planejamento, investimento em soluções tecnológicas e também treinamento para a equipe.

Quais são os benefícios?

As vantagens giram em torno dos pontos apresentados anteriormente. Por exemplo, a clínica ou consultório precisa ter um software de gestão que auxilie na otimização do tempo, que armazene dados relevantes para análises futuras – como entendimento de gastos, fluxo de caixa, dias e horários com mais movimento, procedimentos mais utilizados etc -, que seja de fácil consulta, que tenha uma navegação intuitiva e que também possua um serviço de suporte de qualidade.

O prontuário eletrônico também é uma solução muito eficaz. Ele permite que os profissionais tenham acesso ao histórico do paciente. Isso faz com que essas informações facilitem até um atendimento multiprofissional, sem contar que o médico ou dentista pode utilizar alguns recursos para discutir casos e encontrar alternativas melhores para os pacientes.

Também falamos sobre novas oportunidades de negócio. Um exemplo recente disso é a telemedicina que pode ser uma nova atividade na rotina dos profissionais de saúde. Essa área de atendimento ainda está sendo discutida e precisa se consolidar, mas a cada dia percebemos que a tecnologia avança e que ela continuará modificando todas as formas de consumir, trabalhar, estudar e se cuidar.

Se você ainda não iniciou o processo de transformação digital, procure profissionais especializado para te auxiliar nesse caminho. Caso precise de ajuda para planejar a gestão financeira e contábil, conte com os serviços da Proativa. É só falar com um dos nossos consultores!

Veja como fazer o faturamento de convênios e evitar glosas

Quando um profissional de saúde resolve abrir sua própria clínica ou consultório, além dos conhecimentos técnicos específicos de sua área, ele também acaba se tornando responsável pela administração de seu negócio. Essa nova função exige outras habilidades desse médico ou dentista, que precisa ser ainda mais organizado, consciente de suas decisões e, muitas vezes, metódico para que todos os processos funcionem perfeitamente.

Se o profissional opta por realizar seus atendimentos via operadoras de convênios, essa escolha se torna um dos principais fatores para a saúde financeira da empresa e deve ser tratada com muita dedicação, especialmente porque as chamadas glosas, que são faturamentos não recebidos ou recusados, podem afetar significativamente o negócio como um todo.

Fuja das glosas e tenha vantagens para a sua clínica ou consultório

Evitar glosas permite que o seu planejamento financeiro seja mantido, proporciona um controle maior do fluxo de caixa, evita retrabalho, perda de tempo, prejuízos e também abre um espaço maior para dedicação à uma gestão de pacientes, que gera serviços de qualidade e fidelização.

As glosas são classificadas de três formas: administrativas, técnicas e lineares

Glosa administrativa: normalmente mais fáceis de resolver, são falhas nos processos administrativos, como preenchimento incorreto de informações do beneficiário do plano de saúde, inclusão de serviços que não fazem parte das coberturas, falta de assinaturas etc.

Glosa técnica: esse tipo exige uma auditoria para avaliar os procedimentos que foram cobrados sem argumentações técnico-científicas.

Glosa linear: acontecem de acordo com um posicionamento unilateral dos convênios. Podem caracterizar práticas irregulares e necessitarem de medidas regulatórias da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

Confira as dicas que a Proativa separou para você

1. Entenda o processo como um todo e invista em treinamento

Os procedimentos para faturar com os convênios são realmente complexos. O passo número um para evitar erros é entender como tudo funciona e garantir que todos os profissionais que fazem parte das etapas estejam alinhados. Investir em treinamento e ter recursos para consultas, em caso de dúvidas, faz com que a equipe se torne capacitada e gere resultados bem-sucedidos.

2. Tenha uma gestão diária das informações

Esse controle do fluxo das informações, desde o momento da chegada do paciente até a realização do último procedimento, é fundamental para evitar prejuízos e perda de tempo. Afinal, se o responsável por aquela etapa tiver acesso facilitado a esse banco de dados (que muitas vezes pode ser uma simples planilha), ele não perde tempo procurando em lugares diferentes e resolve qualquer eventual pendência mais rápido.

3. Use a tecnologia ao seu favor

Atualmente existem softwares de gestão que facilitam muito o dia a dia das clínicas e consultórios, permitindo que o trabalho manual seja reduzido e resultando em menos oportunidades de erros. Esses programas são ótimas ferramentas para organização e integração das informações. Existem inúmeras opções no mercado, por isso, pesquise a que se encaixe melhor às necessidades do seu negócio.

Quer manter a saúde financeira da sua clínica ou consultório? Conte com os serviços especializados da Proativa Consultoria Contábil e Empresarial. Entre em contato conosco!

Dicas valiosas para médicos e dentistas melhorarem as redes sociais de suas clínicas ou consultórios

As redes sociais são uma verdadeira extensão do atendimento que você oferece aos seus pacientes em sua clínica ou consultório. Esse ambiente digital, além de ser uma forte ferramenta para prospecção de novos pacientes, é o local onde o seu negócio está exposto para o mundo. Essa enorme vitrine online tem inúmeras vantagens, mas, caso seja utilizada de forma incorreta, pode ser um grande fator de risco para a saúde da sua empresa.

Como ninguém quer ser malvisto no universo da internet, a Proativa separou algumas dicas valiosas para você, médico ou dentista, aproveitar as redes sociais para consolidar a imagem do seu negócio e até aumentar seu faturamento. Continue a leitura e prepare-se para colocar tudo em prática!

Antes de tudo, conheça seu público

Tão importante quanto ser especialista na sua área é conhecer o seu público. Isso irá determinar o tipo de conteúdo e a linguagem que o seu negócio deve ter nas redes sociais. Informações como faixa etária, interesses, localização e gênero fazem toda a diferença. Por exemplo, se você tem um consultório de odontopediatria, seu público não é de crianças, mas muito provavelmente de mães. Você pode buscar entender o comportamento dessas mães e direcionar um conteúdo realmente relevante para elas.

Cuidado com o conteúdo

Um ponto de atenção que profissionais de saúde precisam levar em consideração é que, se o seu discurso é direcionado para clientes/pacientes, você precisa se comunicar para eles. O que isso quer dizer?

Muitos médicos ou dentistas postam imagens de cirurgias ou qualquer outro procedimento e ainda enchem as legendas com termos técnicos e difíceis para o público geral compreender.

É necessário ter bom senso. Escolha imagens que transmitam o resultado do seu trabalho e não o “problema” que você solucionou. Você pode tomar como exemplo as campanhas publicitárias de grandes hospitais: elas nunca vão mostrar um paciente debilitado, em tratamento ou sendo operado, mas sempre feliz e sorridente, transmitindo a sensação de que foi bem cuidado. O discurso segue a mesma linha e precisa cumprir sua missão de ser entendido.

Fique dentro da lei

Tanto o Conselho Federal de Medicina, quanto o de Odontologia possuem seus códigos de ética e precisam ser respeitados. Posts como “antes e depois”, consulta e diagnóstico online, promessas de resultados e exposição vexatória de pacientes não são permitidos. Caso você fique na dúvida se o que você vai postar está de acordo com o código de ética da sua classe, não hesite em pesquisar e confirmar antes.

Não deixe seu público “a ver navios”

Busque solucionar qualquer eventual problema e sempre demonstre preocupação com a solicitação do seu cliente. Lembre-se, todas essas pessoas são formadoras de opinião na internet, mesmo que em pequena escala.

Também é importante prestar atenção na frequência de postagens. Monte um cronograma e programe-se para cumpri-lo.

Considere investir

Mesmo as redes sociais fazendo parte do nosso dia a dia, manter um perfil ou página profissionais exige alguns investimentos, seja de tempo e/ou dinheiro.

Caso você não tenha uma agenda que permita que você dê uma atenção especial a essa área do seu negócio, procure capacitar algum funcionário ou busque a ajuda de profissionais especializados.

Analise seus resultados

Mais do que números de curtidas, comentários ou compartilhamentos, você pode utilizar as redes sociais para escutar as necessidades (ou reclamações) do seu público e transformá-las em soluções para a sua clínica ou consultório. Por exemplo, se você recebe muitas mensagens perguntando sobre um serviço X, que você não oferece, considere estudar melhor a possibilidade de implementá-lo.

A Proativa Consultoria Contábil e Empresarial está sempre buscando soluções para que o seu negócio seja ainda mais bem-sucedido. Continue acompanhando nosso blog e, caso surja alguma dúvida, entre em contato com o nosso time!

COMO MONTAR UMA CLÍNICA ODONTOLÓGICA: ESTRATÉGIAS DE MARKETING E CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO DOS SERVIÇOS ODONTOLÓGICOS

Crescer um negócio não é nada fácil, principalmente quando você não tem tempo para pensar em ações de marketing e distribuição dos seus serviços.  A maioria dos dentistas é treinada para prestar serviços odontológicos e quase nunca têm tempo de encontrar novas maneiras de como eles podem comercializar estes serviços.

É por isso que ler sobre ideias de marketing odontológico e formas de distribuir (vender) seus serviços ou sua clínica pode ajudá-lo imensamente a divulgar seu negócio. No final, tudo se resume a quão bem você conseguirá gerenciar suas estratégias de marketing odontológico usando tanto de meios tradicionais, bem como de marketing digital.

Neste 10º artigo da nossa série: COMO MONTAR UMA CLÍNICA ODONTOLÓGICA, vamos falar sobre os canais estratégicos de marketing e distribuição dos serviços odontológicos.

Estratégia de Marketing Odontológico  e canais de distribuição

Como um dentista empreendedor você deve pensar não somente em ser o melhor profissional no tipo de prestação de serviços que oferece aos seus pacientes. Deve pensar também em como você irá divulgar estes serviços, em como atrair pacientes para sua clínica odontológica e atingir suas metas de vendas para que seu empreendimento seja lucrativo e você alcance os seus objetivos como profissional.

Sendo assim, criar estratégias de marketing odontológico e canais de distribuição dos serviços odontológicos é o que poderá garantir o sucesso e o crescimento de sua clínica.

Canais de Distribuição

Os serviços odontológicos se limitam a poucos canais de distribuição e vendas. Isso se dá pela necessidade da presença do dentista para realização e conclusão dos procedimentos e tratamentos oferecidos. Logo, os canais de distribuição se restringem a adesão a convênios com planos de saúde, contratos ou parcerias com médias e grandes empresas, pacotes promocionais a clientes individuais e a estratégias de marketing de atração de pacientes para que frequentem a clínica a fim de realizarem tratamentos. Qualquer outro mecanismo que amplie os canais de distribuição deve ser iniciado a partir de uma revisão do modelo de negócios atual e investimentos em adequações.

Porém, várias estratégias de marketing odontológico podem ser utilizadas pelo dentista empreendedor, tais como:

  1. Definição do perfil do cliente – Quem você deseja segmentar?

Uma coisa que você precisa incluir em sua estratégia de marketing odontológico é uma descrição do tipo de pacientes que você deseja atingir. Você está direcionando seus esforços para ser um consultório odontológico que vence a concorrência através de preços, isto é, oferecendo descontos e cobrando mais barato seus tratamentos a fim de ter uma lucratividade através de um apelo de marketing maciço? Se assim for, então você provavelmente seu público alvo será de famílias de classes tipo C,D, e E,  e também de pessoas com mais idade, provavelmente aposentados, que dependem exclusivamente de uma renda fixa mais baixa para sobreviver.

Você quer que a maior fatia do seu lucro venha através de cirurgias estéticas?  Tem a intenção de se tornar um dentista diferenciado, principalmente para os pacientes de classe média alta? Então você tem que direcionar suas ações de marketing para profissionais como médicos, advogados, executivos de grandes empresas, famosos, etc.

Uma vez que você define o perfil de público que deseja atrair para sua clínica odontológica, então você terá dado o primeiro passo para divulgar o seu negócio de forma eficiente. As estratégias de marketing odontológico agora irão definir como e para quem você irá se mostrar em seu mercado.

  1. Defina suas metas – Quantos novos pacientes por mês?

Depois de ter decidido sobre para quem irá direcionar seus serviços, você precisa definir suas metas e objetivos, para que assim, você possa medir seus esforços de marketing. Para isso, ao invés de dizer “eu quero muitos pacientes, quanto mais, melhor”, defina de forma clara e objetiva uma meta realista para si mesmo em quantidade de novos pacientes por mês.

Defina metas viáveis, metas que sejam alcançáveis. Porém, metas que lhe tragam satisfação ao alcançá-las.  Não defina metas muito fáceis, pois não lhe trarão motivação alguma. Também não defina metas “surreais”, inalcançáveis, pois as mesmas só irão drenar sua energia e matar seu espírito empreendedor.

  1. Teste suas ideias no mercado – que está trabalhando?

Agora que você sabe para quem você deseja vender e quais são suas metas de pacientes por mês, você precisará definir alguns parâmetros importantes para medir se sua estratégia de marketing  é eficiente ou não.

Se você assiste a série  Shark Tank , no Canal Sony, você provavelmente está muito familiarizado com esses conceitos.

Conceito 1: Lifetime Value (LTV) – Quanto vale cada paciente ao longo do tempo? Ter uma compreensão do valor de vida de cada um de seus pacientes irá lhe dar uma ideia de quanto você pode investir em marketing odontológico para adquirir um novo paciente. Lembre-se, isso não precisa ser feito em uma base individual, isso deve ser calculado como uma média.

Se você acabar com uma ampla gama de opções, você pode querer optar por  segmentar grupos de clientes e criar estratégias para perfis de clientes separados.

Conceito 2: Custo de Aquisição do Cliente (CAC)  – Quanto custa você adquirir um cliente? É importante diferenciar seus custos operacionais (por exemplo, administrativos, higienistas, protéticos, recepcionistas…), pois estamos apenas medindo o custo do que é preciso para atraí-los. Nós não seremos capazes de calcular isso ainda, mas você precisa manter este conceito em mente para a hora de implementar cada estratégia de marketing.

Cada estratégia de marketing deve ser testada e acompanhada no tangente à sua eficácia para que você saiba onde “apostar” suas fichas (investir recursos / tempo / esforço). Sem calcular custos operacionais / serviços por cliente e assim por diante, uma regra geral seria: 3 x CAC < LTV

Conceito 3: Rastreando o sucesso –  Se você está aplicando estratégias de marketing digital, você pode acompanhar a eficácia usando softwares de análise da web como o  google analytics  para monitorar os resultados do seu site. Para obter detalhar o seu acompanhamento você pode usar as páginas de destino e direcionar o seu tráfego para essas páginas com base na estratégia de marketing / campanha.  Estratégias de Marketing off-line são muito mais difíceis de rastrear, mas podem ser feitas também, através de códigos de promoção.

É muito importante que você, como dentista empreendedor, entenda os conceitos de Marketing Odontológico e quais são os melhores canais de distribuição para os seus serviços.

Sendo assim, no nosso  11º post sobre: COMO MONTAR UMA CLÍNICA ODONTOLÓGICA, falaremos sobre: Estratégias eficientes de Marketing Odontológico.

Não perca!

Até a próxima!

Referência de pesquisa: SEBRAE

Como montar uma clínica odontológica: A Estrutura Física

Nos artigos anteriores sobre Como Montar uma Clínica Odontológica, destacamos que o segmento de odontologia é um dos setores que mais se destaca dentre outros que integram a indústria brasileira de saúde, pois é o único setor que apresenta superávit na balança comercial.

Falamos também sobre a escolha de uma localização para a clínica odontológica, onde o empreendedor deve se atentar quanto aos dados demográficos da cidade, a renda per capita, o crescimento populacional, a quantidade de profissionais lá estabelecidos e suas respectivas especialidades, além do custo de vida, para que não hajam surpresas capazes de abalar o planejamento previamente realizado.

E por último enfatizamos as exigências legais para abertura da empresa, etapas do registro, os alvarás sanitários, toda documentação necessária, as exigências da Anvisa e toda legislação que regulamenta a abertura de uma clínica odontológica.

No nosso 4º post da série, falaremos sobre a estrutura física de uma clínica odontológica. Como deve ser esta estrutura? Existem regras específicas?

É isto que veremos a seguir.

Boa Leitura!

Estrutura Física de Uma Clínica Odontológica

É importante realizar a diferenciação entre Clínica Odontológica e Consultório Odontológico.

  • A clínica odontológica: é o estabelecimento de assistência odontológica caracterizado como um conjunto de consultórios odontológicos, independentes entre si, com uma área de espera em comum e um único responsável técnico como um todo.
  • Já o Consultório Odontológico:  é o estabelecimento de assistência odontológica caracterizado por possuir somente um conjunto de equipamento odontológico.

As clínicas odontológicas deverão ser mantidas nas mais perfeitas condições de ordem e higiene, inclusive no que se refere ao pessoal e ao material. É importante verificar, antes de construir, comprar ou alugar uma clínica odontológica, a legislação vigente junto à Vigilância Sanitária de seu município.

Conforme a RDC/Anvisa n.º 50/02, as clínicas odontológicas devem possuir os seguintes ambientes de apoio:

  • Sala de espera para pacientes e acompanhantes com área mínima de 1,2 m2 por pessoa;
  • Depósito de material de limpeza (DML) com área mínima de 2 m2 e dimensão mínima de 1 metro, equipado com tanque;
  • Sanitário (s) para pacientes com área mínima de 1,6 m2 e dimensão mínima de 1 metro;
  • Central de material esterilizado (CME) simplificada com dois ambientes contíguos, a saber:
  • Ambiente Sujo: sala de lavagem e descontaminação de materiais com bancada, pia e guichê para a área limpa (sala de esterilização de material), com área mínima de 4,8 m2.
  • Ambiente Limpo: sala de preparo/esterilização/estocagem de material, com bancada para equipamentos de esterilização, armários para guarda de material e guichê para distribuição de material, com área mínima de 4,8 m2.

São considerados ambientes opcionais:

  • Sanitários para funcionários com área mínima de 1,6 m2 e dimensão mínima de 1 metro;
  • Depósito de equipamentos/materiais com área mínima a depender dos tipos de equipamentos e materiais;
  • Sala administrativa com área mínima de 5,5 m2 por pessoa;
  • Copa com área mínima de 2,6 m2 e dimensão mínima de 1,15 m.

Outras exigências:

  • Iluminação sem ofuscamento ou sombras.
  • Ventilação: circulação e renovação de ar. Deve haver mecanismos para reduzir o nível de unidades formadoras de colônias (UFC) no ar ambiente (aparelho esterilizador de ar e/ou filtros especiais).
  • Os estabelecimentos de assistência odontológica que possuírem aparelhos de ar condicionado deverão mantê-los limpos e providenciar a troca ou limpeza de filtros periodicamente (6 meses). Manter registro escrito.
  • Devem ser adotadas medidas para evitar a entrada de animais sinantrópicos nos ambientes do EAS, devendo-se telar todas as aberturas externas.
  • Os pisos devem ser de material liso, lavável e impermeável. Resistente a produtos de limpeza.
  • As paredes de alvenaria ou divisórias de cor clara, de material liso, lavável e impermeável.
  • Forros de cor clara sem presença de mofo, infiltrações ou descontinuidades.
  • As superfícies da sala clínica devem ser impermeáveis, permitindo a desinfecção. Proibido o uso de mesas e bancadas de madeira.
  • As instalações elétricas ou hidráulicas embutidas ou protegidas por calhas ou canaletas externas, para não haver depósito de sujidade em sua extensão.
  • As cortinas devem ser de material que permita a higienização. Proibido uso de cortina de pano.
  • O escritório deve estar separado da área de atendimento. Evitar reservatórios de microrganismos.
  • O espaço clínico não deve conter plantas, aquários, quadros, sofás, brinquedos e outros materiais que possam se constituir em focos de insalubridade.
  • Compressor de ar comprimido instalado em ambiente com tomada de ar externa e/ou com proteção acústica eficiente. Se instalado no banheiro deve ser acoplado através de ducto a ponto de captação de ar externo.
  • O lavatório deve ter água corrente (água potável da rede pública), de uso exclusivo para lavagem de mãos, com dispositivo que dispense o contato de mãos com a torneira durante o seu fechamento (inclusive no lavatório da auxiliar, se houver). Toalhas de papel descartável não reciclado e sabonete líquido. As clínicas que realizam cirurgias devem possuir lavabo cirúrgico (100 x 50 x 50 cm) e utilizar degrane líquido para as mãos.
  • As clínicas odontológicas devem contar com equipamentos para esterilização fora da área de atendimento – CME (Central de Material Esterilizado), que devem apresentar duas áreas distintas (área suja e área limpa) e ventilações independentes, diretas ao exterior e separadas até o teto, com guichê de passagem, sem cruzamento de fluxo, sendo uma área dotada de ponto de agua, cuba e bancada para recepção de material contaminado, expurgo e lavagem e outra para o preparo, esterilização, guarda e distribuição do material.
  • É aconselhável que os consultórios isolados tenham CME separado da sala clínica. Na sala clínica adotar bancadas separadas para lavagem de mãos e lavagem de instrumentais para que o fluxo de materiais seja adequado. Quando estiverem na mesma bancada devem ter distância compatível entre elas, ou barreira para que respingos da pia para lavagem de instrumental não contamine a de lavagem de mãos (lavatório).
  • A sala de espera deverá proporcionar condições para que os pacientes aguardem o atendimento sentado e possuir boa ventilação natural ou artificial. Sanitário masculino e feminino, água potável e copo descartável; Um dos banheiros adaptado para uso de pacientes portadores de necessidades especiais.
  • Cadeira, equipo, refletor, mocho, sugador de saliva, amalgamador elétrico e demais equipamentos limpos e dentro das normas técnicas e as legislações específicas.
  • Possuir DML – Depósito de Material de Limpeza – Sala destinada à guarda de aparelhos, utensílios e material de limpeza, dotado de tanque de lavagem.
  • Todas as áreas “molhadas” do Estabelecimento de Assistência à Saúde – EAS devem ter fechos hídricos (sifões) e tampa com fechamento escamoteável. É proibida a instalação de ralos em todos os ambientes onde os pacientes são examinados ou tratados.
  • Rodapés: Não arredondar. Evitar ressalto junto à parede.
  • Instalação de som: somente caixa de som, preferencialmente metálica, dentro da sala clínica.
  • Possuir vestiário para o profissional e auxiliares.
  • Ambientes incompatíveis: Escritório x Sala Clínica, CME x DML, Copa x Sala Clínica.

No caso do consultório odontológico, a exigência é que tenha área mínima de 9 m2. Devem dispor de instalações hidráulicas (água fria e esgoto), elétricas (pontos de força e iluminação), iluminação natural ou artificial, ventilação natural ou forçada e, caso necessário, gases medicinais (oxigênio, ar comprimido e vácuo medicinal).

Diante de todas estas exigências, os dentistas empreendedores devem entender que é fundamental conhecer todas as normas técnicas que determinam as adequações necessária da estrutura física de uma clínica odontológica, e isso deve ser abordado na elaboração do plano de negócios para abertura de seu empreendimento na área da saúde.

Não basta apenas pensar numa decoração atraente e confortável, com uso das mais modernas tecnologias e equipamentos odontológicos de última geração. Deve se levar em consideração em sua arquitetura alguns  quesitos básicos alinhados à ergonomia e a  biossegurança, e que principalmente,seja totalmente adequada às necessidades de todos, isto é, dos profissionais da saúde, dos pacientes, acompanhantes e também de todos os colaboradores do empreendimento.

Todos esses cuidados tornam a estrutura física de uma clínica odontológica  num empreendimento seguro e humanizado na prestação dos serviços de saúde odontológica!

Não deixe de ler o nosso próximo tema:

Como montar uma clínica odontológica: Contratando funcionários!

Até a próxima!

Fonte: SEBRAE

Leia também: OS SEGREDOS PARA MELHORAR A GESTÃO CONTÁBIL DO SEU CONSULTÓRIO ODONTOLÓGICO!

Os segredos para melhorar a gestão contábil do seu Consultório Odontológico!

Atualmente em meio às grandes inovações mercadológicas, empreender é a chave para o sucesso de qualquer empresa.

Ainda que micro, pequena, média empresa ou ainda um simples profissional que presta seus serviços de modo autônomo, é muito importante ter total controle do seu negócio de modo a estruturá-lo no mercado e torná-lo grande, assim como o seu sonho.

Muitos profissionais na área da saúde iniciam seus negócios abrindo um consultório próprio, como é o caso da maioria de cirurgiões dentistas com seus consultórios odontológicos.

Assim como qualquer outro negócio, um consultório odontológico presta serviços visando o lucro e assim a sobrevivência do mesmo, no entanto, prestar os serviços profissionais e ainda gerir o próprio empreendimento não é tarefa nada fácil e demanda muito empreendedorismo na veia.

A gestão dos processos para as funções odontológicas não é nada dificultosa, principalmente pela prática e ainda formação dos mesmos. No entanto, os processos financeiros, combustível de todo o negócio, podem se tornar onerosos, e uma falha, pode trazer sérios prejuízos.

Encontrou alguma familiaridade com o seu negócio? Então fique atento que abaixo segue alguns segredos para fazer a melhoria da gestão contábil do seu consultório odontológico e assim, transformar o seu negócio numa empresa de sucesso.

Segredo 01: Organizando as finanças

O primeiro passo para o correto fechamento das movimentações financeiras é a organização e disciplina no armazenamento e confiabilidade das mesmas.

Fique atento a manter a disciplina de guardar todos os comprovantes de gastos relativos ao seu trabalho para não deixar nenhum passar batido sem ser contabilizado.

Segredo 02: Traga a tecnologia aliada ao seu controle financeiro

Atualmente com a crescente inovação tecnológica, cada dia mais cresce o número de equipamentos eletrônicos e de soluções, principalmente financeiras para todos os negócios.

Contar com a tecnologia para controlar as finanças é fundamental para minimizar os erros mais comuns de cálculos, além de minimizar o tempo dos mesmos.

Segredo 02: Faça um controle de recebimentos e recebíveis

Todos os recebimentos, inclusive os recebíveis futuros devem ser controlados e contabilizados. Não descuide dos recebimentos atuais, menos ainda do que tem a receber.

Segredo 03: Não descuide dos controles fiscais

Manter todas as informações contábeis de modo claro e objetivo é importante na hora de prestar contas com a Receita, ainda que sendo um profissional liberal.

Por isso, não descuide dos controles fiscais. Se for o caso, utilize de ferramentas como Auditorias Fiscais Digitais para certificação da veracidade das informações.

Qualquer erro, ainda que pequeno junto à Receita Federal, pode comprometer e muito o seu negócio através das multas geradas pelo mesmo.

Segredo 04: Faça um Planejamento Tributário

Impostos precisam ser pagos.  Isso não é novidade, mas você sabia que há como pagar menos, baseado em um Planejamento Tributário ?

O Planejamento Tributário pode auxiliar na maximização dos lucros gerados pelo seu negócio pelo simples fato de pagar menos impostos.

No entanto, não vacile. Somente um profissional contábil pode trazer informações legais e melhor adequação desse Planejamento para o seu Negócio.

Segredo 05: Conte sempre com um bom profissional contábil

Atualmente, com a crescente demanda de mercado, os escritórios de contabilidade vêm buscando atender a públicos específicos, de modo a maximizar seus resultados, atendendo de acordo com a sua especialização.

Sendo assim, a contabilidade vem de modo estratégico trazer subsídios para uma melhor gestão e controle dos negócios, ampliando os horizontes dos empreendedores através de informações relevantes para as tomadas de decisões.

Deste modo, buscar um profissional contábil competente no mercado é o modo mais estratégico de obtenção de lucros futuros.

Viu só? Não existe dificuldades em empreender, basta colocar em prática esses segredos de sucesso e começar a colher os frutos da sua produtividade financeira.

Bons negócios!

 

Como anda a contabilidade do seu consultório odontológico?

Seu consultório odontológico está crescendo de forma rápida, isto é sensacional! Agora, imagine… ao invés de isso te deixar tranquilo, porque está finalmente tendo sucesso em seu empreendimento, você começar a perder o sono por causa de problemas em seu fluxo de caixa? Você já pensou sobre como anda a contabilidade do seu consultório odontológico?

Alguns erros simples de escrituração podem causar um efeito cascata que resultará em graves problemas financeiros para sua clínica. Sabemos que você é um especialista em seu ofício, e quando falamos em tratamento odontológico, ninguém melhor do que você sabe como tratar a dentição de seus pacientes para que tenham uma excelente saúde bucal. No entanto, para que você possa realmente ter tranquilidade para exercer a sua especialidade, você precisa do apoio de especialistas em contabilidade para manter uma Gestão Contábil precisa de seu consultório odontológico, o que vai lhe permitir compreender a verdadeira saúde financeira de seus negócios.

A contabilidade do seu consultório odontológico requer uma compreensão da prática no que se refere à fluxo de caixa, escrituração contábil, gestão financeira, planejamento tributário, etc .

Por isso, fazer a contabilidade do consultório odontológico é primordial, pois é ela quem poderá equilibrar as entradas e saídas de recursos em seu negócio. Mas, e aí… como anda a sua contabilidade?

Conheça algumas vantagens que você terá ao cuidar da contabilidade para o seu consultório odontológico

Despesas fixas e variáveis

A regra mais importante aqui, tem a ver com o equilíbrio das despesas fixas e variáveis. Ou seja, tudo o que for do consultório deve permanecer na conta do estabelecimento. O seu consultório odontológico, naturalmente, possui despesas com funcionários, materiais, equipamentos, impostos, e até mesmo com a sua remuneração. Portanto, saber mensurar todas essas despesas é essencial para identificar os custos fixos e os variáveis.

E o que seriam os custos fixos?

  • Aluguel.
  • Telefone.
  • Salários.
  • Energia.
  • Água.
  • Impostos.
  • Condomínio.
  • Etc.

E o que são os custos variáveis?

  • Compra de materiais.
  • Manutenção de equipamentos.
  • Etc.

Gestão tributária e sua importância para a contabilidade do consultório odontológico

Se o dentista repassar todos os valores ao contador, poderá ter uma gestão tributária efetiva e adequada.

E como o consultório pode prosperar com essas ações?

O maior problema dos dentistas tem a ver com não estar atento ou não ter um acompanhamento adequado de todas essas despesas de seu consultório odontológico. Justamente, a gestão tributária estará para apoiar o empresário com o melhor regime de tributação, para que assim você possa economizar no pagamento de impostos e não gastar nada a mais que o valor necessário.

E como o contador pode ajudar?

Planejamento Tributário é o termo mais apropriado para elucidar o trabalho do contador. Este profissional será como uma bússola, posicionando o dentista empreendedor sobre as informações de sua empresa, evidenciando assim, sua situação financeira e econômica. Não basta apenas fazer a apuração de impostos e gerar guias de recolhimento, o contador deve possuir um papel-chave na construção na rotina de gestão de tributos, de modo a facilitar a vida do empreendedor do negócio.

A legislação tributária brasileira é complexa e o contador a conhece muito bem, por isso deve conscientizar seu cliente sobre as possibilidades, direitos e regras de nível tributário e contábil que ele deve seguir e pagar.

Portanto, quando você possui um suporte adequado na contabilidade para o seu consultório odontológico, consegue consequentemente, ter tomadas de decisões mais assertivas, conhecendo as vantagens e desvantagens de optar por cada caminho, expansão e atendimento.

É bem verdade que o Fisco é voraz e não perdoa. Portanto, uma tática para se manter seguro e não colocar o negócio no prejuízo, é justamente ter uma gestão tributária eficiente e assertiva. E isso se faz cuidando com carinho e atenção da contabilidade do seu consultório odontológico.

Além de todas essas ações, é preciso também estar atento a:

Onde o dinheiro está sendo desperdiçado?

Muitas vezes, o dentista empreendedor não percebe, mas está tendo gastos desnecessários na gestão de sua clínica. Com a ajuda de um contador , você  poderá verificar onde está se excedendo, e assim ficará mais fácil para poupar e minimizar os desperdícios, que são tão prejudiciais à saúde do negócio.

A contabilidade do seu consultório odontológico pode não estar sendo efetiva

Será que você não está deixando passar nada? Será que incluiu tudo nas planilhas?

Com tantas responsabilidades e demandas, controlar e gerir tudo sozinho dá trabalho e exigirá muito esforço mental. Para calcular é preciso estar bem, do contrário, você não terá informações reais e consistentes, porque se equivocou, se sobrecarregou de responsabilidades e se perdeu na contabilidade de seu consultório odontológico. Por isso ter uma assessoria contábil é tão vital para o êxito de sua gestão.

Planejamento é fundamental

O sucesso das finanças e da contabilidade do seu consultório odontológico dependerá de um planejamento e também da conscientização dos gastos.

Sem o apoio de uma assessoria contábil, empreender fica complicado, já que para ficar tranquilo com as demandas, não é somente exigido equilíbrio físico, mas também mental.

Tendo então, esta consciência de que a contabilidade de seu consultório odontológico está sendo bem executada, fica mais fácil gerir, atuar, atender bem e prosperar, não é mesmo?!

E então, percebeu as vantagens de de você cuidar bem da contabilidade do seu consultório odontológico?

Até breve!

contabilidade do seu consultório odontológico, Consultório Odontológico, Gestão Contábil, Planejamento Tributário, gestão,