Impostos para engenheiros e arquitetos. É possível reduzir?

É impossível não sentir o impacto que os impostos causam no nosso bolso todos os dias. O Brasil é o segundo país mais cobrador de tributos da América Latina, perdendo apenas para Cuba. Em 2017, a carga tributária nacional chegou a 32,4% do PIB, conforme dados da Receita Federal. Diante desse cenário, tornar e manter seu empreendimento um sucesso vai além de ser bom nesse mercado que já está saturado há tempos. É necessário ter um planejamento tributário especializado que entenda o seu negócio e que busque soluções realmente eficientes para você economizar e lucrar mais.

Pensando nisso, a Proativa Consultoria Contábil reuniu algumas dicas direcionadas para Engenheiros e Arquitetos que buscam uma ajuda especializada para reduzir o volume de impostos de sua empresa, sem entrar em desacordo com a lei.

 

  • Aposte em ajuda especializada
    Já falamos acima, mas é importante reforçar que uma consultoria especializada faz toda diferença. Uma equipe contábil que conhece a realidade do seu negócio é capaz de encontrar soluções com mais eficiência. Empresas de Engenharia e Arquitetura fazem parte de um nicho muito específico, e podem ter oportunidades de redução de impostos que empresas contábeis não especializadas não consigam identificar. Procure a ajuda correta e torne seu negócio ainda mais rentável!

    Escolha o regime tributário correto
    Determinar o regime tributário da sua empresa, muitas vezes, não é uma tarefa fácil. Essa é uma escolha que deve ser tomada diante de uma análise do seu negócio, assim você garante que tudo está dentro da lei e que você não está pagando mais impostos que o necessário. Existem três tipos de regime: Simples Nacional, Lucro Real e Lucro Presumido. Eles se diferenciam, basicamente, pelo limite de faturamento. Caso você tenha dúvidas na hora de escolher o regime tributário da sua empresa, falamos novamente, procure uma ajuda especializada e evite perdas de dinheiro e de tempo!

    Aproveite os incentivos fiscais
    Investir em uma consultoria especializada permite que profissionais estudem com você possibilidades reais de encontrar incentivos fiscais para o seu negócio. Essa é uma saída para utilizar a lei ao seu favor e aproveitar os recursos que seriam destinados ao pagamento de impostos para investir na sua empresa, como na compra de recursos materiais, softwares de gerenciamento ou treinamentos para colaboradores.

    Tudo isso faz parte do planejamento
    Quem planeja, tem mais chances de tornar seu empreendimento bem-sucedido. Não cansamos de dizer isso aqui porque há muitos anos a Proativa Consultoria Contábil atua no mercado auxiliando empresas a alavancarem seus rendimentos. Existem diferentes tipos de planejamento tributário e você pode conhecê-los clicando aqui.

 

Respondendo à pergunta do título: é possível reduzir a carga tributária da sua empresa de engenharia ou arquitetura a partir de um estudo personalizado do seu negócio. Para isso, conte sempre com a qualidade técnica e atendimento diferenciado da Proativa! Entre em contato conosco e previna, corrija ou impulsione seu planejamento tributário!

Especial Dia dos Pais: licença-paternidade

Neste domingo (11), comemora-se o Dia dos Pais no Brasil e nós aproveitamos essa data tão significativa para fazer um post especial para aqueles que estão prestes a entrar nesse mundo cheio de desafios, alegrias e muitas descobertas. Geralmente, os marinheiros de primeira viagem colecionam muitas dúvidas em relação à licença-paternidade, seus direitos e deveres. Por isso, a Proativa Consultoria Contábil e Empresarial separou tudo que quem está nessa fase precisa saber para curtir os primeiros dias dessa nova experiência com tranquilidade.

Um ponto muito importante é frisar que a licença-paternidade é um direito para pais biológicos e adotivos, funcionando da mesma maneira para ambas as situações. Agora, sobre o período que o funcionário CLT pode retirar para curtir a criança, recentemente o Brasil registrou uma mudança nas possibilidades.

Desde 1988, a Constituição Federal prevê o direito dos pais terem a licença de cinco dias. Mas, em 2008, o Governo lançou um programa chamado “Empresa Cidadã” que busca valorizar as relações entre empresas e funcionários, proporcionando alternativas mais humanizadas. 

O Empresa Cidadã não é obrigatório, mas as organizações que aderirem, garantem benefícios para os funcionários e também incentivos fiscais. Então, com essa saída, os pais podem acrescentar mais 15 dias, totalizando 20 dias de pausa remunerada. 

Durante a licença, o funcionário tem o direito de receber seu salário integral. Já na lista de deveres, os papais não podem realizar qualquer outra atividade remunerada, nem deixar o filho em alguma creche. A ideia do programa é proporcionar que os pais vivam essa experiência sem preocupações.  

E para as empresas, como funciona?

É muito simples! As pessoas jurídicas poderão aderir ao Programa Empresa Cidadã por meio do Atendimento Virtual (e-CAC). Basta acessar o link utilizando o código de acesso ou certificado  digital. 

As empresas tributadas com base no lucro real, poderão deduzir do Imposto sobre a Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ) devido, em cada período de apuração, o total pago ao funcionário durante o período de prorrogação da licença. É importante saber que não é permitida essa dedução como despesa operacional.

Além disso, a dedução também se aplica ao IRPJ determinado com base no lucro estimado, recebendo algumas regras específicas, que você pode conferir aqui.

Tanto a licença maternidade quanto a paternidade são fatores determinantes no desenvolvimento da criança e da rotina da família. Principalmente nos primeiros dias, a mãe precisa de todo apoio possível e a presença paterna pode fazer parte disso.

Que tal fazer parte deste programa que só traz benefícios para todos? Além disso, sua empresa pode ser inspiração para outras organizações. Conte com a Proativa para tirar todas as suas dúvidas e realizar o melhor planejamento tributário para o seu negócio!

Transformação digital – sua clínica ou consultório precisa?

Provavelmente você já deve ter ouvido falar da transformação digital. Essa é uma das tendências mais comentadas da atualidade e se tornou um processo de expansão em diversos setores, principalmente o da saúde. 

Mas o que de fato seria esse processo? São medidas que as empresas estão tomando para utilizar a tecnologia para melhorar o desempenho, aumentar o alcance e gerar resultados mais eficientes.É importante entender que essas mudanças englobam também a chegada de novos hábitos e comportamentos. Afinal, a tecnologia precisa ser utilizada como uma ferramenta para desbloquear potenciais humanos.

Na prática, já não existe outra saída. O mundo mudou e a transformação digital é algo imprescindível. Para clínicas e consultórios, isso significa melhorar a gestão, otimizar processos, diminuir a margem de erros, melhorar o atendimento e experiência do paciente e, inclusive, gerar novas oportunidades de negócio. Não é por acaso que a cada dia presenciamos o surgimento de mais e mais startups na área da saúde.

E agora, por onde começar?

Para que sua clínica ou consultório realize a transformação digital, o primeiro passo é enxergar o negócio de uma maneira completa, assim, com essa visão macro e micro, você conseguirá identificar as necessidades da empresa e investir com maior assertividade nas ferramentas de gestão.

Esse tipo de mudança exige planejamento, investimento em soluções tecnológicas e também treinamento para a equipe.

Quais são os benefícios?

As vantagens giram em torno dos pontos apresentados anteriormente. Por exemplo, a clínica ou consultório precisa ter um software de gestão que auxilie na otimização do tempo, que armazene dados relevantes para análises futuras – como entendimento de gastos, fluxo de caixa, dias e horários com mais movimento, procedimentos mais utilizados etc -, que seja de fácil consulta, que tenha uma navegação intuitiva e que também possua um serviço de suporte de qualidade.

O prontuário eletrônico também é uma solução muito eficaz. Ele permite que os profissionais tenham acesso ao histórico do paciente. Isso faz com que essas informações facilitem até um atendimento multiprofissional, sem contar que o médico ou dentista pode utilizar alguns recursos para discutir casos e encontrar alternativas melhores para os pacientes.

Também falamos sobre novas oportunidades de negócio. Um exemplo recente disso é a telemedicina que pode ser uma nova atividade na rotina dos profissionais de saúde. Essa área de atendimento ainda está sendo discutida e precisa se consolidar, mas a cada dia percebemos que a tecnologia avança e que ela continuará modificando todas as formas de consumir, trabalhar, estudar e se cuidar.

Se você ainda não iniciou o processo de transformação digital, procure profissionais especializado para te auxiliar nesse caminho. Caso precise de ajuda para planejar a gestão financeira e contábil, conte com os serviços da Proativa. É só falar com um dos nossos consultores!

Veja como fazer o faturamento de convênios e evitar glosas

Quando um profissional de saúde resolve abrir sua própria clínica ou consultório, além dos conhecimentos técnicos específicos de sua área, ele também acaba se tornando responsável pela administração de seu negócio. Essa nova função exige outras habilidades desse médico ou dentista, que precisa ser ainda mais organizado, consciente de suas decisões e, muitas vezes, metódico para que todos os processos funcionem perfeitamente.

Se o profissional opta por realizar seus atendimentos via operadoras de convênios, essa escolha se torna um dos principais fatores para a saúde financeira da empresa e deve ser tratada com muita dedicação, especialmente porque as chamadas glosas, que são faturamentos não recebidos ou recusados, podem afetar significativamente o negócio como um todo.

Fuja das glosas e tenha vantagens para a sua clínica ou consultório

Evitar glosas permite que o seu planejamento financeiro seja mantido, proporciona um controle maior do fluxo de caixa, evita retrabalho, perda de tempo, prejuízos e também abre um espaço maior para dedicação à uma gestão de pacientes, que gera serviços de qualidade e fidelização.

As glosas são classificadas de três formas: administrativas, técnicas e lineares

Glosa administrativa: normalmente mais fáceis de resolver, são falhas nos processos administrativos, como preenchimento incorreto de informações do beneficiário do plano de saúde, inclusão de serviços que não fazem parte das coberturas, falta de assinaturas etc.

Glosa técnica: esse tipo exige uma auditoria para avaliar os procedimentos que foram cobrados sem argumentações técnico-científicas.

Glosa linear: acontecem de acordo com um posicionamento unilateral dos convênios. Podem caracterizar práticas irregulares e necessitarem de medidas regulatórias da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

Confira as dicas que a Proativa separou para você

1. Entenda o processo como um todo e invista em treinamento

Os procedimentos para faturar com os convênios são realmente complexos. O passo número um para evitar erros é entender como tudo funciona e garantir que todos os profissionais que fazem parte das etapas estejam alinhados. Investir em treinamento e ter recursos para consultas, em caso de dúvidas, faz com que a equipe se torne capacitada e gere resultados bem-sucedidos.

2. Tenha uma gestão diária das informações

Esse controle do fluxo das informações, desde o momento da chegada do paciente até a realização do último procedimento, é fundamental para evitar prejuízos e perda de tempo. Afinal, se o responsável por aquela etapa tiver acesso facilitado a esse banco de dados (que muitas vezes pode ser uma simples planilha), ele não perde tempo procurando em lugares diferentes e resolve qualquer eventual pendência mais rápido.

3. Use a tecnologia ao seu favor

Atualmente existem softwares de gestão que facilitam muito o dia a dia das clínicas e consultórios, permitindo que o trabalho manual seja reduzido e resultando em menos oportunidades de erros. Esses programas são ótimas ferramentas para organização e integração das informações. Existem inúmeras opções no mercado, por isso, pesquise a que se encaixe melhor às necessidades do seu negócio.

Quer manter a saúde financeira da sua clínica ou consultório? Conte com os serviços especializados da Proativa Consultoria Contábil e Empresarial. Entre em contato conosco!

Coworking para profissionais de saúde – as vantagens da economia colaborativa

Compartilhar. Essa palavra tem agregado cada vez mais sentido e valor na rotina da sociedade moderna. E não estamos falando de compartilhamento de postagens nas mídias sociais, mas de uma economia colaborativa que gerou uma nova percepção de mundo: substituir o acúmulo pela divisão.

Essa tendência é muito bem representada por aplicativos como Airbnb, Yellow e Uber que geraram soluções que transformaram formas de consumo. Dentro dessas novas formas, não poderíamos deixar de falar do coworking, modelo de trabalho que é baseado no compartilhamento de espaço e recursos de escritório. Esse modelo tem se expandido e alcançou os profissionais de saúde, se tornando uma alternativa bem interessante para quem não tem (ou não quer gastar) uma reserva financeira investindo na própria clínica ou consultório.

Fora a questão da economia, esses espaços são vantajosos por oferecerem experiências tanto para os profissionais quanto para os pacientes. Esses diferenciais vão desde a arquitetura e design dos ambientes, que esbanjam modernidade e fogem completamente dos padrões de consultórios tradicionais, até a possibilidade de networking, pois a oportunidade de conhecer outros profissionais, trocar conhecimentos e realizar parcerias não pode ser desperdiçada.

Como médicos e dentistas podem utilizar espaços de coworking?

No Brasil já existem espaços de coworking especializados para profissionais de saúde. Eles possuem facilidades para agendamento de consultas, recepcionistas, café, cozinha, armários, bicicletários, áreas para exames e equipamentos específicos para a área. Muitos também oferecem serviços personalizados que permitem que o médico ou dentista tenha uma linha telefônica, website, cartão de visita, entre outros itens de papelaria.

Quanto custa trabalhar em um coworking?

Existem diferentes tipos de pacotes, mas um dos mais comuns é o pay-per-use, no qual os profissionais só pagam pelo tempo que utilizarem o espaço escolhido. Esse recurso evita a geração de gastos quando o profissional não estiver atendendo.

Juntando com o fato de que as despesas de espaço, equipamentos de escritório, mobiliário e funcionários acabam sendo compartilhados, atender em um coworking permite uma economia expressiva.

Quem atende em espaços de coworking precisa de um contador?

Segundo Marcelo Henrique Pereira da Silva, sócio da Proativa Consultoria Contábil e Empresarial, mesmo os profissionais que optarem por atender no modelo de economia colaborativa irão precisar dos serviços de um contador. “Na verdade, toda empresa precisa. Além das obrigações fiscais e conformidades perante o fisco, o contador irá desenvolver planejamentos tributários e de custos, proporcionando um apoio financeiro diferenciado para o negócio”.

Marcelo também aproveita para dar dicas para os profissionais que estão em início de carreira e pensam em fazer parte da tendência do coworking. “É importante prestar atenção na escolha do local. Dê preferência para lugares que não sejam tão impessoais e que, mesmo que sejam tão grandes, tenham uma boa infraestrutura, localidade e conforto para os seus pacientes. Também é necessário verificar a viabilidade da utilização do endereço fiscal para a atividade médica”.

Vai iniciar seus atendimentos em algum coworking?

Entre em contato conosco e deixe sua empresa com as obrigações fiscais em dia.

Planejamento Financeiro para Clínicas Médicas: todos os fatos que você precisa saber!

O planejamento financeiro para clínicas médicas é uma das bases para o sucesso do empreendimento. Da mesma maneira como o empresário médico cuida da vida de seus pacientes, deve também cuidar da saúde financeira de sua empresa.

Os pacientes procuram a clínica para cuidar de sua saúde, que precisa estar em perfeita ordem para suas atividades e, assim também, a clínica precisa dos cuidados específicos, principalmente com relação à área financeira, o principal alicerce para a estrutura empresarial.

O planejamento financeiro para clínicas médicas deve ser feito com critério e metodologia, já que, se o setor não for levado a sério, quem corre risco é a própria clínica, que pode correr sérios riscos com relação à sua manutenção no mercado.

Torna-se claro que, para responsável por uma clínica médica a maior preocupação está relacionada com o bem estar do paciente, mas quem administra uma clínica não pode se esquecer de que, para mantê-la com saúde financeira, com os melhores equipamentos e com as condições de atendimento necessárias, o gerenciamento financeiro deve ser eficiente.

Conheça as principais recomendações para manter o bom planejamento financeiro para clínicas médicas:

        1-Manter em dia o fluxo de caixa

O fluxo de caixa é uma necessidade para toda e qualquer empresa. A administração financeira exige alguns cuidados especiais com relação à sua estrutura, como equipamentos e pessoal. O profissional responsável deve registrar todas as movimentações financeiras do empreendimento, até mesmo as menores despesas.

A manutenção do fluxo de caixa de uma clínica médica pode ser feita através de um sistema de gestão informatizado, atendendo melhor às necessidades da empresa e permitindo ao profissional cuidar de todas as atividades sem grandes preocupações.

         2-Criar um plano financeiro para a clínica

O planejamento financeiro para clínicas médicas deve orientar-se pelas atividades normais do dia a dia da empresa. A utilização de dados concretos permite ao médico estabelecer um plano para o futuro da clínica com mais praticidade.

Utilizando os dados obtidos através de um sistema de gestão financeira cria-se a possibilidade de projetar os dados para o futuro, considerando as receitas e as despesas necessárias e gerando condições para redução de custos sem perda de qualidade no atendimento, ao mesmo tempo em que se abre a possibilidade de novos investimentos.

Para o médico, é importante entender que a tecnologia está em constante evolução e a medicina não fica fora dessa evolução. A aplicação de novas tecnologias exige investimentos, que somente será possível mediante um planejamento financeiro consciente e criterioso.

        3-Contratar assessoria contábil especializada

Devemos lembrar, contudo, que o médico foi preparado para cuidar da saúde e não especificamente para administrar uma empresa. Em determinados casos, a melhor alternativa é contratar uma assessoria contábil especializada em contabilidade para clínicas médicas  que possa direcionar a gestão financeira e montar o planejamento financeiro para clínicas médicas.

A assessoria contábil, através de um contador qualificado, poderá montar o planejamento financeiro de uma forma organizada, simulando condições e permitindo que o profissional médico responsável tenha mais tranquilidade para conduzir suas próprias atividades profissionais.

Vale dizer, no entanto, que o profissional responsável pela empresa é quem conduz os destinos de sua clínica médica. Embora tenha uma assessoria especializada em contabilidade para clínicas médicas para poder direcionar melhor as atividades financeiras da empresa, é ele quem decide os destinos de sua clínica, com o acompanhamento direto dos processos empresariais.

         4-Criar uma estrutura para a contabilidade

Para ter mais tempo para suas atividades profissionais e, ao mesmo tempo, conduzir o planejamento financeiro para clínicas médicas, o responsável pela empresa deve montar uma estrutura para a contabilidade, mantendo sempre em ordem as contas a pagar e contas a receber.

Com essa estrutura montada, ficará mais fácil verificar com antecedência as atitudes a tomar, evitando contas a receber em atraso e permitindo a liquidação de contas a pagar dentro dos prazos.

        5-Manter um fundo de reserva

Para viabilizar o planejamento financeiro para clínicas médicas, é necessário estabelecer um fundo de reserva para enfrentar possíveis momentos de crise na empresa, como a necessidade de manutenção de equipamentos ou a queda nos serviços.

O capital de giro deve ser analisado para os próximos meses e a reserva deve ser suficiente para cobrir qualquer necessidade futura. Com a reserva, se a clínica passar por momentos de crise será possível superar e encontrar meios para dar continuidade às atividades empresariais.

       6-Separar contas pessoais das contas da clínica médica

Mesmo sendo uma clínica conduzida por um só profissional, trata-se de uma empresa. Desta maneira, o planejamento financeiro para clínicas médicas exige a total separação das contas pessoais daquelas da empresa.

O profissional, embora proprietário, deve conduzir seus gastos através de um pró-labore previamente estabelecido, sem recorrer ao caixa da empresa para cobrir seus custos pessoais, da mesma forma que não deve usar de seus recursos para cobrir gastos da empresa, como a utilização do cartão de crédito, por exemplo.

Manter o planejamento atualizado

O planejamento financeiro para clínicas médicas deve ser visto através de seu próprio conceito: trata-se de um plano que ainda não foi concretizado e que, portanto, está sujeito a alterações.

A atualização do planejamento financeiro deve ser constante, fazendo-se o seu manejo sempre que se apresentar necessário. O empresário deve estabelecer metas que possam ser atingidas, dentro das possibilidades da clínica médica, cumprindo com essas metas e mantendo as previsões de acordo com as alterações percebidas pela contabilidade.

O planejamento financeiro para clínicas médicas deve ser analisado constantemente, verificando o crescimento da empresa, suas necessidades de atualização tecnológica, previsão de custos e necessidade de investimentos.

Conclusão

Da mesma forma que qualquer outro tipo de atividade, a clínica médica também exige constante atualização por parte de seu dirigente. À medida que está aprendendo novas técnicas de planejamento financeiro para clínicas médicas, o próprio profissional poderá encontrar meios de conduzir sua empresa e torná-la viável no concorrido mercado de saúde.

Contudo, é preciso entender que vivemos num mundo em constante evolução, onde quem não busca aprender pode ser atropelado pela concorrência. Assim, é necessário sempre buscar novas informações e novas ferramentas, conhecendo os conceitos de gestão financeira e participando de cursos que possam melhorar a área financeira da empresa.

Se tiver alguma dúvida sobre como fazer um bom planejamento financeiro para clínicas médicas, e precisar do auxílio de uma assessoria contábil especializada em contabilidade para clínicas médicas, entre em contato conosco.

Nós da Proativa Contabilidade conhecemos todos os trâmites legais da área da saúde, a atuamos lado a lado com médicos empreendedores há muito tempo buscando encontrar as mais diversas soluções que melhor se adaptem ao propósito do crescimento e sustentabilidade financeira e contábil de suas clínicas médicas.

Venha tomar um café conosco Doutor e vamos atuar juntos rumo ao sucesso total de seu empreendimento!

Muito boa sorte!

Meu faturamento aumentou, quero deixar de ser MEI, e agora?

Obviamente todo empreendedor que deseja crescer fará tudo o que é possível para aumentar sua lucratividade empresarial. Naturalmente existe em todo ser humano que empreende, o desejo de ganhar mais dinheiro e faturar bem.

Pensando em ajudar os empresários, o Governo dispôs aos microempreendedores uma forma de tributação mais simples e enxuta, e isso simplificou o processo para abertura e gestão do empreendimento de micro porte.

Claramente, vender é uma das funções mais importantes da empresa e é justamente ela quem define o quanto o empreendedor será capaz de receber. Quando se abre um negócio, ainda que pequeno, o empresário pode optar por ser MEI.

Várias situações que geram maior renda

Quando o empreendedor é criativo e se determina a crescer, mesmo em meio à crise, é possível que ele venda mais e melhor, o que resulta em uma maior arrecadação de capital.

Várias estratégias podem ser utilizadas e de acordo com que a demanda aumenta com relação aos compradores, consequentemente se obtém mais lucro.

Nesse caso, como MEI, o valor mensal recebido, não pode ultrapassar os 5 mil reais. Para muitos que estão começando; como uma empresa de porte pequeno, ser MEI pode ser mais vantajoso, mas quando a demanda aumenta e a receita ultrapassa esse valor, é hora do empreendedor mudar!

Então, se a pessoa porventura estiver enquadrada na Lei do MEI – Microempreendedor Individual e estourar a cota estipulada de 60 mil por ano, o que fazer?

Veja bem, nesse caso existem duas situações.

  • Se o seu faturamento for mais que 60 mil por ano, mas você não ultrapassou o valor de 72 mil, seu negócio passa a ser considerado como uma

Nesse caso, o pagamento dos impostos passará a ser de um percentual do faturamento mensal, havendo variação de 4 a 17,42%, isso é definido de acordo com o tipo de negócio que você tem e também de acordo com o faturamento do mês.

O valor excedente deve ser acrescentado ao faturamento do mês de janeiro e os tributos devem ser pagos juntos com o DAS referente aos meses de cada período.

  • Já se seu faturamento for superior a 72 mil, aí o recolhimento sobre o faturamento do enquadramento do Simples Nacional é retroativo e passa a ser feito conforme a primeira situação – com acréscimo de multas e juros.

Por esse motivo que passa a ser tão importante que o empreendedor, assim que perceber que seu faturamento foi alterado, e que há grandes chances de ser maior do que 72 mil reais, deve iniciar o quanto antes a base de cálculo com um contador para o pagamento dos tributos.

É válido salientar que não pagar a tributação devida é CRIME e consiste em alta penalidades legais e judiciais. Por esse motivo, não vale a pena arriscar um império por achar que dá para fugir da Receita Federal.

O empreendedor precisa entender que sua empresa, seu nome e sua paz estão em jogo e por isso, somente com uma assessoria contábil, a empresa e o empresário estarão tranquilos, pois esse especialista poderá ajudar de forma consistente, fazendo com que o negócio ganhe autoridade, transparência, agindo dentro das conformidades e exigências da Lei do País.

Portanto, não deixe de contabilizar bem seu faturamento, tenha esse apoio contábil e não terá que arcar com multas e juros exorbitantes, pelo contrário, poderá estar enquadrado dentro da realidade da empresa, estando alinhado ao regime tributário correto!

Entre em contato e esteja atento ao seu faturamento, pois a Receita Federal não “dorme”, nem brinca em serviço!

Você sabe como lidar com a inadimplência em plena crise?

Sem dúvida alguma, a inadimplência pode colocar a saúde financeira do negócio em risco. Isso é fato, pois causa um impacto profundo no fluxo de caixa.

Ainda mais com a crise latente que se inseriu no País, fica evidente que às vezes a única opção é pedir empréstimo para cobrir os gastos e os “buracos” dentro da empresa. Mas a formação de outras dívidas, não seria um modo de ter ainda mais prejuízos e débitos?

Se você deseja que sua empresa não corra o risco de continuar no prejuízo, evitar mais inadimplência e ainda possuindo estratégias para remediar a situação, fique atento ao que compartilhamos com você neste artigo!

Como evitar a inadimplência e resolver esse problema?

Toda empresa ainda no cálculo do preço de venda, precisa considerar os riscos de o cliente não pagar. Seja qual for o seu segmento.

É preciso, portanto, embutir nesse preço os juros de um eventual atraso. Além disso, os contratos devem ter a previsão de multas, juros e também as garantias legais de recebimento. Uma forma interessante de se prevenir das inadimplências é usar uma boa ferramenta de cadastros positivos.

“Como assim”?

A empresa precisa realizar um cadastro dos clientes que de fato são bons pagadores e poder quem sabe, ter também esse feedback de outras empresas parceiras a ela.

Outra opção é oferecer parcelamento por meio do cartão de crédito e nos casos em que o cliente já está em inadimplência, antes de recorrer à Justiça, é bom antes tentar um acordo amigável. Algo que fique bom para ambas às partes, já que abrir processo custa caro, além de levar anos para serem resolvidos.

Selecionar profissionais de cobrança que tenham poder em persuasão

Se você possui um setor financeiro em sua empresa, pode selecionar profissionais que tenham uma experiência no setor de cobrança. Nesse sentido é preciso ter um grande cuidado ao falar com o devedor.

O profissional, portanto, deve ser educado, mas ao mesmo tempo, saber sensibilizar o cliente, de maneira que ele se sinta “tocado” pelo fato da dívida e se dedique a pagá-la, conforme for acordado.

O poder da persuasão é muito útil nesse sentido. Inclusive há várias palestras e cursos de como um vendedor e colaborador pode ser inteligente na hora de conseguir fazer com que o cliente pague a dívida.

Quanto está a dívida e quanto ela pode ficar?

Uma forma eficaz nesse sentido, é dizer que a dívida segundo análise já vai em (exemplo) “1.000 reais”, mas com o desconto para pagamento à vista, o valor cai para 850 reais, e em caso de parcelamento, há a possibilidade de dividir o total em até 4 vezes.

Antes de terminar a negociação, a empresa precisa lembrar ao cliente dos benefícios de ter o nome retirado do SPC SERASA, podendo também fazer uso novamente do sistema de compras da empresa, já que a mesma dispõe de diversidade e itens que agregam valor ao cliente.

Apesar de parecer que neste momento não seja o momento adequado para vender, a possibilidade de poder comprar mais, dá ao cliente a lembrança das vantagens de quitar suas dívidas.

É preciso lembrar que o cliente não deve porque gosta de dever, mas que existe uma influência correlacionada à crise que o colocou nessa situação.

Contabilidade como coadjuvante do seu negócio

O empreendedor precisa também compreender que a contabilidade é na verdade sua amiga, pois por meio de uma assessoria contábil, o empresário pode não somente ter relatórios preciso sobre quem está inadimplente, como quanto cada cliente deve e como a empresa pode sair desse sufoco. Seu contador já atua como um dos gestores do seu negócio? Consulte-o à respeito, com certeza ele irá querer participar do seu sucesso!

Por meio de uma boa equipe de contabilidade isso e muito mais pode ser feito!

Pense nisso e até a próxima!

6 Valiosas lições sobre contabilidade que você não pode deixar de ler!

O mundo da contabilidade deixou de ser apenas uma obrigação das empresas para declarar seus movimentos financeiros à órgãos reguladores ou de fiscalização.

Na era do empreendedorismo, a contabilidade é uma estratégia de negócio, sendo o balizador da saúde financeira dos empreendimentos.

Atualmente os comércios varejistas ou até mesmo atacadistas têm trazido maior variedade de produtos dentro do seu segmento, aumentando o nicho de mercado a atender.

Com isso muitos empreendedores do ramo de restaurantes, padarias e até mesmo mercados, tem trazido mais novidades a seus clientes e com isso aumentando a oferta e a procura pelo seu negócio. Com esse dinamismo do empreendedorismo atual, a contabilidade também evolui e traz facilitações estratégicas para o perfeito desempenho destes.

Se você é um empreendedor e busca a melhoria contínua no seu negócio, não pode deixar passar essas 06 lições valiosas sobre contabilidade.

Vamos lá?

Lição 01: Tenha a contabilidade como um hábito

É importante criar um hábito para ter controle das finanças da sua empresa. Esse é o primeiro passo para a saúde financeira do seu negócio.

Ter controle sobre qualquer situação, principalmente a financeira, pode facilmente indicar os riscos futuros e as ações de tomadas de decisões tendem a ser mais assertivas baseada nos bons hábitos.

É essencial contabilizar tudo e realizar um bom gerenciamento do caixa, receitas e gastos.

Crie a rotina diária de gerenciar as finanças da empresa. Criar lembretes através da utilização de agendas, smartphones e e-mails se tornam práticos no dia a dia além de trazer comodidades a custo baixo.

Lição 02: Utilize da tecnologia para facilitar seu controle financeiro.

Com a variedade de produtos e a flexibilidade de desenvolver produtos de acordo com a necessidade dos clientes, ter um programa para controlar as ações diárias ajuda muito a acelerar a contabilidade de todas empresas, principalmente nesses segmentos.

Opte pela simplicidade e a segurança na hora de realizar a gestão da sua empresa, utilize um software que atenda as necessidades do seu empreendimento e que, principalmente, integre ao software de sua contabilidade.

Ter um serviço automatizado facilita muito o processo contábil.

Lição 03: Só contabilize contas da empresa

Um dos erros mais comuns da contabilidade é misturar os gastos pessoais com os da empresa, esta ação é muito séria, pois causa a perda do controle financeiro, se tornando um erro fatal para seu negócio.

Separe os gastos pessoais dos gastos de seu negócio. Essa é uma lição que pode fazer toda a diferença na hora de realizar a gestão contábil de sua empresa de modo a apurar seus custos e faturamento.

Lição 04: Tenha ajuda de um profissional

Empreendedores eventualmente acreditam que podem cuidar da contabilidade sozinhos, principalmente quando estão no início dos seus negócios.

Embora disponham de poucos recursos financeiros, é muito importante ter o auxílio de um bom profissional. Ele está apto a te indicar o que fazer e como fazer de modo a incidir o mínimo possível no bolso da sua empresa.

A Assessoria Contábil te auxilia em todas as movimentações financeiras, como por exemplo, prestar contas ao FISCO, além de ajudar no Planejamento Tributário, que de modo estratégico traz grandes benefícios para as empresas por deixarem de pagar impostos desnecessários.

O fato é que grande parte dos microempresários se arriscam cuidando da contabilidade e por não possuírem o conhecimento necessário para isso, acabam por colocar em risco a saúde financeira da própria empresa.

Lição 05: Organização é palavra de ordem na contabilidade de sua empresa

A organização é fundamental para qualquer segmento. Uma mesa cheia de papéis, pastas e documentos, além de assustar qualquer um, traz perda de tempo e tempo no mundo dos negócios significa dinheiro.

Além disso, pilhas de documentos atrapalham execução normal do trabalho. Exatamente por isso, algumas ferramentas simplificam o serviço e proporcionam maior controle de documentos como, por exemplo, os softwares de integração contábil.

Esse tipo de software possui um sistema de armazenamento em nuvem, onde os documentos ficam guardados em armazenamentos digitais, podendo ser acessados a qualquer momento, tanto por clientes quanto por contadores. Consulte seu contador à respeito.

Lição 06: Planejamento estratégico é crucial para uma gestão contábil eficiente

Que empresa vive sem recursos financeiros? Que recursos sobrevivem sem controle?

Não há fórmula mágica para crescer em qualquer negócio. É necessário ter total controle financeiro e contábil para tomar decisões importantes de como seguir no mercado. Deste modo, a contabilidade é aliada ao planejamento. Somente planejando através das informações contábeis é que a empresa sobrevive de modo economicamente sustentável.

A contabilidade tem papel importante no desenvolvimento de qualquer negócio. Se você quer sua empresa tenha um desempenho extraordinário, quando o assunto for finanças e contabilidade, basta seguir essas lições e certamente sua empresa estará definitivamente no caminho do sucesso!

Pense nisso e até a próxima!

Você vai gostar de ler:


A importância do Contador para pequenas empresas!

21 motivos que provam que o contador pode ser o maior aliado do pequeno empresário!

Se você é um Pequeno Empresário ou Microempreendedor Individual e esta iniciando uma pequena empresa, ou até mesmo gerindo um pequeno negócio há algum tempo com um orçamento limitado, provavelmente você deve estar gastando um tempo precioso tentando encontrar formas de como cortar custos, para que o seu negócio se torne financeiramente rentável, não é mesmo?

Talvez um pensamento que lhe passe pela cabeça seja: “Acho que vou começar a cortar custos dispensando o meu contador. Fazer o que ele faz é fácil, e eu posso tocar sozinho! Afinal, eu sou um empreendedor de sucesso e ninguém melhor que eu para gerir financeiramente meu próprio negócio”

Uau… Pensamento interessante! Concordo com você! Se tem uma coisa que você pode fazer sozinho é a contabilidade de sua própria empresa ao invés de continuar pagando um contador, principalmente se você tiver boa noção sobre procedimentos contábeis, sobre toda legislação vigente, processos burocráticos legais,  e também uma sólida compreensão das finanças do negócio, então este pode ser um bom lugar para iniciar seu corte de custos.  Será mesmo?

No entanto, se você não tiver experiência na gestão contábil e legal de um negócio e tiver que contar com a sorte ou com a sua intuição apenas para saber como andam as finanças da sua pequena empresa? Você deve pensar duas vezes antes de dispensar o seu contador. Gerir incorretamente a contabilidade do seu negócio certamente pode e vai prejudicar o seu negócio não só agora, mas também em longo prazo, tanto financeiramente como perante aos órgãos competentes de fiscalização e arrecadação do governo.

Por isso preparamos para você um pequeno resumo, dividido em 21 motivos que provam que o contador pode ser o maior aliado do pequeno empresário.

Peço a você que leia com muito carinho este conteúdo, se possível releia-o quantas vezes julgar necessário, especialmente se você ainda não tem certeza do por que um contador pode ser a melhor contratação para apoiá-lo na gestão do seu pequeno negócio.

Então vamos começar?

O contador pode ser o maior aliado do pequeno empresário…

Durante o processo de arranque

Ao iniciar um negócio, há uma série de ações que você precisa tomar, para determinar formas de gerir seus processos estratégicos e operacionais a fim de criar uma base para que o seu negócio seja bem sucedido. Por isso, aqui estão algumas maneiras que um contador pode ser o seu maior aliado no começo ou arranque inicial do seu negócio.

Portanto, o contador vai…

  1. Determinar o tipo de empresa que você precisa abrir, ou seja, se Sociedade Ltda. Empresário Individual, Eireli, MEI (Microempreendedor individual), dentre outras opções e cuidar de todo processo burocrático de abertura e registro junto aos órgãos competentes;
  2. Ajudar com a análise da melhor forma de tributação para o seu tipo de atividade (Lucro Real, Lucro Presumido, MEI ou Simples Nacional) e também com as análises financeiras em seu plano de negócios;
  3. Auxiliar na escolha de um software de gestão adequado para o seu tipo de operação comercial e financeiro;
  4. Aconselhar e dar assistência na abertura de uma conta bancária corporativa e sobre os melhores meios de se obter créditos das instituições financeiras;
  5. Certificar-se de que seus procedimentos fiscais, contábeis, trabalhistas e previdenciários estão em conformidade com os regulamentos e exigências governamentais;
  6. Ajudar na criação de um Planejamento Financeiro adequado, para que você entenda como controlar as despesas durante suas atividades no dia a dia da empresa;
  7. Explicar e lhe mostrar na prática a importância de você manter as despesas pessoais separadas das despesas e receitas do negócio;

Durante suas operações comerciais regulares

Depois que sua empresa estiver estabilizada, isto é, totalmente legalizada, com o plano de negócios bem estruturado, planejamento financeiro configurado e funcionando á todo vapor, você vai precisar do contador para manter toda esta estabilidade que o mesmo o ajudou a estabelecer. Por isso, vamos à mais algumas ações específicas que seu contador irá realizar para ajudá-lo em uma base contínua.

Seu contador vai…

  1. Ajudar a garantir que suas contratações de funcionários estão totalmente de acordo com as normas trabalhistas vigentes no país. Vai também ajuda-lo na contratação de seus prestadores de serviços, se for o caso, confeccionando os contratos adequados dentro das referidas normas para que não seja configurado o famoso e perigoso vínculo empregatício;
  1. Gerar relatórios e explicar suas demonstrações financeiras para que possa que você possa compreender melhor os meandros de seu negócio e ter uma visão de futuro sobre o mesmo;
  1. Revisar, gerar e supervisionar a sua folha de pagamento;
  1. Determinar a melhor forma de tributação, isto é, planejar e orientar sobre as melhores formas de tributação para o seu tipo de negócio e quais são as estimativas de pagamentos dos impostos que você deverá recolher durante o ano, para que você não tenha prejuízos financeiros recolhendo tributos à maior;
  2. Compilar e gerar todas as suas obrigações acessórias e enviá-las de forma adequada ao Fisco, evitando multas e autuações;
  1. Apurar os impostos e gerar as guias de recolhimento dos mesmos dentro dos prazos estabelecidos pelos órgãos competentes
  2. Fechar seus livros fiscais e contábeis e criar relatórios financeiros e balanços no final do ano;

Durante o Estágio de Crescimento do Negócio

Quando todas as etapas anteriores estiverem devidamente cumpridas e o seu negócio estiver pronto para crescer, o contador será um membro integrante de seu conselho gestor, para lhe fornecer aconselhamento e lhe ajudar a gerenciar os processos. Aqui estão alguns exemplos do que o contador pode fazer nesta etapa.

O contador vai…

  1. Ajudar a determinar as áreas de crescimento do negócio, fornecendo uma visão baseada sobre os padrões de fluxo de caixa, gestão de estoque, formação de preços, financiamentos e investimentos necessários;
  2. Orientar sobre o processo de compra e venda de bens e equipamentos;
  1. Realizar um Compliance Fiscal e Contábil para evitar fiscalizações e autuações por parte do FISCO;
  1. Prepará-lo e orientá-lo sobre a necessidade de uma auditoria fiscal e contábil periódica;
  1. Gerar relatórios contábeis gerenciais, com previsões financeiras para que possa tomar as melhores decisões sobre o futuro de sua empresa;
  1. Trabalhar com você para criar um novo planejamento financeiro que irá apoiar seus objetivos de crescimento do negócio;
  1. Fornecer dados de avaliação de todo seu patrimônio empresarial para ajuda-lo numa eventual venda de seu negócio, afinal, sua empresa cresceu e chamou a atenção dos grandes investidores. Por que não?

Conclusão

Estes são apenas alguns dos motivos que provam que o contador deve ser o maior aliado dos pequenos empresários. 

Ainda pensando em cortar custos? Então, você pode optar por contratar um contador/gestor para lhe auxiliar com todas as suas atividades financeiras, o que deve ser um investimento maior, porém lhe trazendo inúmeros benefícios como mencionamos acima, ou você pode escolher contratar uma abordagem combinada que limita as ações do contador apenas ao que compete às suas obrigações acessórias com o fisco, reduzindo um pouco as sua despesas. E você cuida da gestão financeira do negócio.

Por exemplo, você pode contratar um contador durante a fase de arranque (abertura da empresa), e o mesmo terá apenas obrigações burocráticas sobre o processo de abertura e registro da empresa, de apurar seus impostos, gerar suas declarações, escriturar seus livros fiscais  e lhe enviar um balanço anual de seus negócios. Seu investimento será menor, porém, você terá uma segurança tributária tão necessária para manter o seu negócio em funcionamento.

No entanto, a coisa mais importante que você pode fazer quando se trata das finanças do seu negócio é reconhecer quando você precisa recorrer a ajuda de profissionais competentes para tomar as melhores e mais assertivas decisões à fim de garantir a estabilidade e o crescimento contínuo da empresa.

O contador, como seu maior aliado, é este profissional que vai ajudar a manter a saúde fiscal e financeira garantindo crescimento sustentável ao seu negócio”.

O mais aconselhável então, é que você contrate uma assessoria contábil completa, que vai lhe fornecer uma equipe totalmente especializada e eficiente para lidar com o seu pequeno negócio e fazê-lo se tornar um grande negócio!

Se você é um pequeno empresário, tome a melhor decisão da sua vida e contrate um contador!

O contador será o seu maior aliado com certeza, durante toda sua jornada empreendedora!

Até a próxima!