13 coisas que você precisa saber sobre marketing para médicos

O marketing é essencial nos dias atuais, sendo uma importante ferramenta para divulgação de qualquer empresa ou profissional. Na área da saúde, o marketing para médicos também se torna necessário, principalmente quando o profissional está em início de carreira ou sua clínica está em início de atividades e deseja construir sua própria reputação numa determinada região.

Contudo, o marketing para médicos deve ser praticado de uma forma diferente do marketing para outros tipos de profissionais, empresas e segmentos, devendo obedecer às restrições estabelecidas pelo CRM – Conselho Regional de Medicina.

O CRM possui um Manual de Publicidade Médica que deve ser seguido por todos os profissionais médicos, independente de suas especialidades, atendendo às condições éticas da profissão e os limites estabelecidos para respeitar os clientes.

O manual foi desenvolvido pelo CFM – Conselho Federal de Medicina, sendo depois distribuído para todos os CRM de todos os Estados, criando regras para coibir eventuais abusos e devendo ser respeitado em todo o território nacional.

Como deve ser o marketing para médicos

A  foi quem debateu os critérios do manual, procurando eliminar interpretações suCodame – Comissão de Divulgação de Assuntos Médicosbjetivas, apresentando uma linguagem bastante clara e direta.

O manual não proíbe a publicidade de serviços profissionais, permitindo a qualquer médico ou clínica fazer a divulgação, mas estabelece restrições bastante delimitadas. Veja a seguir os 13 pontos principais que limitam o marketing para médicos:

      1-Proibido o uso de fotos de pacientes no marketing para médicos

A utilização de fotos de pacientes, mesmo com a autorização dos mesmos, é totalmente proibida para demonstração de resultados de tratamentos em qualquer meio de divulgação, evitando-se até mesmo os populares selfies. No caso de eventos ou de apresentação de trabalhos científicos, desde que haja autorização prévia do paciente, as fotos são permitidas.

     2-Marketing para médicos nas redes sociais

Sabemos que as redes sociais são excelentes canais de comunicação de massa para se compartilhar conhecimentos e divulgar serviços e trabalhos, e o médico pode fazer uso das redes como estratégia de marketing, podendo, inclusive, divulgar telefone e endereço do empreendimento. O cuidado exigido é com relação ao conteúdo das postagens, que não podem ser sensacionalistas ou darem a entender que os resultados dos tratamentos são garantidos. As redes sociais podem ser usadas como um canal de comunicação com os pacientes, onde eles podem tirar dúvidas e conhecer novos tratamentos, ou até mesmo fazer agendamentos online.

      3-Divulgar o uso de tecnologia avançada nos tratamentos é uma ótima estratégia de marketing para médicos

O médico ou a clínica médica podem anunciar o uso de tecnologia de última geração para auxílio dos mais diversos tratamentos em sua estratégia de marketing. A única restrição é com relação à divulgação de garantia de sucesso do tratamento.

      4-Divulgar Especialidades na estratégia de marketing para médicos

O profissional médico tem permissão para fazer propaganda de títulos de especialidades e do registro no CRM. No entanto, o anúncio só pode mencionar, no máximo, duas especialidades, embora possa divulgar todas as sociedades médicas às quais é filiado.

     5-Titulação acadêmica no marketing para médicos

O manual não faz qualquer restrição com relação a títulos acadêmicos em cartões, material promocional ou itens de papelaria, desde que os títulos estejam relacionados à área de atuação do profissional, lembrando apenas que os títulos acadêmicos anunciados devem ser obrigatoriamente registrados no CRM. Além disso, o profissional médico não pode divulgar especialidades ou áreas de atuação que não sejam reconhecidas pelo CFM ou pela Comissão Mista de Especialidades.

      6-O marketing no catálogo de clínica

Havendo um catálogo da clínica, as informações devem se limitar àquelas sobre as especialidades de cada profissional que ali trabalha, trazendo o nome e o CRM do responsável técnico pela instituição.

      7-Material Gráfico para divulgação da clínica médica

De acordo com o manual, todo e qualquer material impresso de uma clínica deve trazer o nome do médico, a sua especialidade, o CRM do mesmo e o Registro de Qualificação de Especialista (RQE). Se o consultório for uma pessoa jurídica, o material deve apresentar o nome e o CRM do responsável técnico.

       8-Expressões vetadas no marketing para médicos

O médico não poderá usar em nenhuma peça promocional de divulgação de suas especialidades expressões como “o melhor”, “o mais eficiente”, “o único capacitado”, “resultados garantidos” ou coisas do gênero. São termos considerados sensacionalistas e que podem caracterizar propaganda enganosa. Além disso, é proibido oferecer qualquer garantia de resultados nos tratamentos, seja a pacientes ou familiares, entendendo que cada organismo reage de uma forma e que nenhum médico pode garantir sucesso.

       9-A participação em anúncios alheios é proibida pelo CFM

O CFM proíbe de forma categórica a participação de médicos em qualquer tipo de anúncios de produtos ou de marcas comerciais, de métodos ou técnicas não aceitos pela comunidade científica ou de divulgação de técnicas exclusivas, aplicando essa proibição também a entidades sindicais e associações médicas.

       10-Entrevistas podem ser o diferencial em uma estratégia de marketing para médicos

O médico especialista ou generalista pode participar de programas de tv, de rádio ou conceder entrevistas para qualquer órgão de imprensa, desde que seja com a função de esclarecimentos à sociedade. O médico não pode se autopromover, fornecer endereço ou telefone com a intenção de captar pacientes, além de não poder receber valores ou obter lucros para dar entrevistas. No caso de qualquer matéria divulgada com alguma incorreção, o médico deve encaminhar um ofício ao órgão de imprensa e ao CRM para retificar. A intenção desta estratégia de marketing é transformar o profissional médico em uma autoridade em sua especialidade.

       11-Prêmios NÃO devem e nem podem ser evidenciados no planejamento de marketing para médicos

Premiaçoes como “Destaque do Ano”, “Melhor Médico” e similares em relação ao profissional médico ou à sua clínica estão totalmente proibidos pelo CFM, já que são considerados como publicidade, com o objetivo promocional ou de propaganda, seja individual ou coletivo. As homenagens aos médicos estão restritas àquelas prestadas por instituições acadêmicas, sociedades médicas ou órgãos públicos.

         12-O médico não pode divulgar preços nas propagandas de sua clínica médica

Em nenhum material de marketing da clínica médica é permitido divulgar preços de procedimentos ou formas de pagamento ou de parcelamento, não sendo também permitido conceder descontos como diferencial ou como promoção de serviços.

         13-Sites e blogs são ferramentas essenciais de marketing para  médicos

Segundo o manual, um site institucional e/ou um blog podem ser considerados ferramentas de disseminação de conhecimento científico. O site pode conter informações institucionais da clínica, tipos de tratamentos oferecidos, currículo da equipe de médicos e informações para contato. Já a iniciativa de criar um blog é encorajada, já que pode passar informações relevantes e verídicas sobre a medicina. Portanto, um profissional médico ou sua clínica médica pode ter um blog corporativo ou até mesmo um blog pessoal em sua estratégia de marketing, desde que publique conteúdos interessantes, não devendo ser usado para prestar qualquer tipo de consultoria aos pacientes. O cunho das matérias deve ser exclusivamente educativo, de modo a orientar ao público em geral sobre os benefícios da medicina.

Conclusão

O médico empreendedor pode e deve utilizar das estratégias de marketing para médicos para divulgação dos serviços prestados dentro das estratégias permitidas, atraindo maior número de pacientes para a sua clínica ou para evidenciar suas especialidades.

Para isso, basta procurar por profissionais ou agências especializadas em marketing para médicos, que conheçam as restrições impostas pelo CFM, de modo a estabelecer os canais de divulgação, as mídias, os tipos de materiais impressos, dentre outros recursos que podem ser utilizados a fim de manter a sua reputação e/ou de seu empreendimento em sempre em alta.

Se ainda restarem dúvidas sobre como deve ser praticado o marketing para médicos, registre seus comentários logo abaixo. É muito importante para nós interagirmos com você!

Se você gostou da matéria COMPARTILHE em suas redes sociais. Deixe-nos também, suas sugestões sobre matérias que gostaria de ler em nosso blog.

Até breve!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *