Contabilidade para Médicos: 4 coisas que você precisa saber!

Contabilidade para médicos é um assunto que atrai muito a atenção dos profissionais de saúde, que procuram meios de pagar menos impostos, ou, no mínimo, pagar aquilo que realmente representa o percentual exigido pela legislação sem prejuízo do padrão de vida do profissional.

A maior parte das dúvidas com relação à contabilidade para médicos são sobre a necessidade ou não de abertura de uma clínica médica legalizada, ou se tornar uma pessoa jurídica para prestar serviços a empresas de saúde ou hospitais, e assim pagar seus tributos como pessoa jurídica, que representa algumas vantagens sobre o trabalho de profissional liberal, dentre outras.

O médico empreendedor deve considerar, a princípio, os valores totais de faturamento, fazendo a comparação entre os valores de impostos pagos como pessoa jurídica ou como autônomo. Nesse caso, é importante destacar que, como pessoa jurídica, é possível reduzir consideravelmente sua carga tributária.

Um médico que pretende trabalhar como profissional liberal vai ser tributado com a aplicação da tabela de Imposto de Renda Pessoa Física, não exigindo assim, uma assessoria constante da contabilidade para médicos, portanto, teoricamente o seu processo será menos oneroso, havendo apenas a necessidade da confecção do livro caixa para suas receitas e despesas.. Porém sua carga de tributos será bem maior do que se fosse uma pessoa jurídica.

Como autônomo, é necessário lançar todas as despesas dedutíveis no livro caixa, reduzindo o lucro tributável, possibilitando abater as despesas como folha de pagamento, aluguel, energia, telefone e INSS, entre outras.

Quando criar a sua empresa, o médico poderá escolher entre três tipos de tributação: o Lucro Presumido, o Lucro Real e o Simples Nacional O Lucro Presumido, para uma empresa de pequeno porte, pode se apresentar como a melhor opção.

Para escolher a melhor modalidade é necessário fazer uma análise mais aprofundada, antecipando desde logo a exigência de algumas clínicas e hospitais que exigem a apresentação de uma pessoa jurídica para contratação.

Com relação à tributação, a contabilidade para médicos pessoa jurídica mostra que a tributação é bem menor que uma pessoa física, o que torna importante buscar uma empresa de contabilidade, especializada em contabilidade para médicos, pois os mesmos possuem o know how para realizar a análise de tributação e apontar o melhor caminho.

Comparando a contabilidade para médicos nas diversas modalidades

Devemos observar que um médico pode escolher trabalhar nas duas formas em conjunto, como liberal ou como empresa jurídica, buscando a menor tributação possível permitida pela legislação.

De acordo com o Conselho Regional de Medicina, existem algumas resoluções que devem ser seguidas com relação ao objeto social das empresas ou instituições, considerando sua finalidade como intermediadores de assistência médica. Portanto, para fazer a comparação da contabilidade para médicos, é necessário esclarecer algumas dúvidas:

Questões sobre a contabilidade para médicos

Vamos falar sobre a contabilidade para médicos e as principais dúvidas que surgem para o profissional com relação ao exercício de sua profissão:

      Para um médico, é mais vantajoso abrir uma empresa?

O profissional médico deve analisar os valores de impostos exigidos para trabalhar nas duas modalidades, como pessoa física ou como pessoa jurídica. O questionamento deve ser estudado com bastante cuidado, calculando os valores nas duas formas de trabalho.

Como pessoa física, o profissional médico irá pagar o Imposto de Renda Pessoa Física, ou seja, poderá chegar ao máximo das alíquotas de imposto de renda, devendo pagar até 27,5% sobre o seu faturamento anual. Pagando o Carnê Leão, poderá deduzir algumas despesas operacionais sobre o faturamento, como salários, aluguel e outros, mas nem sempre poderá ser vantajoso, quando comparado com uma empresa.

Como pessoa jurídica, o médico também irá pagar tributos sobre o valor do faturamento, mas com alíquotas menores do que as exigidas da pessoa física. Assim, é necessário fazer uma previsão, contando com o auxílio da contabilidade para médicos, simulando entre as duas modalidades para verificar qual será a opção menos onerosa.

Além disso, ao abrir uma clínica médica, ou se tornar uma pessoa jurídica, o profissional ainda terá a vantagem de emitir notas fiscais e de obter mais abatimentos através do lançamento de todas as despesas inerentes à sua clínica ou empresa.

      Como proceder para abrir uma clínica médica?

Para abrir uma clínica médica, o profissional irá precisar do apoio de um contador, que poderá fazer todos os procedimentos burocráticos exigidos. Algumas informações, nesse caso, são importantes para a tomada de decisão:

A legislação permite diversas modalidades de empresas, sempre de acordo com os interesses do profissional médico, como uma sociedade simples, uma sociedade limitada, uma empresa individual ou uma EIRELI.

A escolha vai depender de o profissional trabalhar sozinho ou em companhia de outros médicos, ou mesmo com profissionais de áreas distintas, mas voltadas para a medicina. Além disso também é necessário saber o quanto será preciso de investimentos, quantos funcionários a clínica terá e a forma de alocação do capital.

Ao escolher montar uma empresa, é preciso fazer o registro da mesma em todos os órgãos: Junta Comercial, Cartório de Registro de pessoas jurídicas, Receita Federal, Prefeitura Municipal, INSS, Conselho Regional de Medicina e Sindicato, entre outros.

      Quanto a empresa deve pagar mensalmente?

O valor a ser pago mensalmente pela empresa vai depender de alguns fatores, havendo diferenciação entre a cobrança dos tributos e obrigações.

As principais opções de tributação para empresas médicas são o Simples Nacional e o Lucro Presumido e dependendo do faturamento o Lucro Real. Mas hoje falaremos apenas das principais: Simples Nacional e Lucro Presumido.

Cada uma das modalidades apresenta características e alíquotas diferentes e esses valores impactam diretamente sobre o total de tributos mensais. Além da escolha, há que se considerar também a quantidade de empregados registrados para o cálculo de recolhimentos de INSS e de FGTS.

Optando pelo Lucro Presumido, o médico deverá pagar uma alíquota em torno de 11,33% sobre o faturamento e o ISS, que varia de acordo com a legislação municipal. Esse percentual inclui todos os tributos federais e obrigações.

Com a opção pelo Simples Nacional, a primeira faixa de faturamento é de 16,93% sobre o faturamento, para os tributos federais, além do ISS, que pode variar entre 2 e 5%, dependendo de cada município.

      O médico pode abrir a empresa em seu endereço residencial?

Para médicos que trabalham somente para empresas, é possível manter o endereço residencial também para sua empresa. No entanto, se o caso é de atendimento de clientes, deverá ter um endereço apropriado, com todos os requisitos exigidos pela legislação.

Se você é um profissional médico e pretende abrir uma empresa, procure profissionais especializados em contabilidade para médicos e encontre a melhor opção para suas atividades.

Até a próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *