COMO MONTAR UMA CLÍNICA ODONTOLÓGICA: MATÉRIA PRIMA E MERCADORIAS PARA OS TRATAMENTOS ODONTOLÓGICOS!

Chegamos ao nosso 7º artigo da série COMO MONTAR UMA CLINICA ODONTOLÓGICA. Até aqui falamos desde os conceitos iniciais até os equipamentos necessários para se montar uma clínica odontológica de sucesso. Hoje os especialistas do SEBRAE falam sobre a compra de materiais e estoque dos suprimentos necessários para que os tratamentos odontológicos sejam bem sucedidos.

Matéria Prima/Mercadoria

A gestão de estoques no varejo é a procura do constante equilíbrio entre a oferta e a demanda. Este equilíbrio deve ser sistematicamente aferido através de, entre outros, os seguintes três importantes indicadores de desempenho:

Giro dos estoques: o giro dos estoques é um indicador do número de vezes em que o capital investido em estoques é recuperado através das vendas. Usualmente é medido em base anual e tem a característica de representar o que aconteceu no passado. Obs.: Quanto maior for a frequência de entregas dos fornecedores, logicamente em menores lotes, maior será o índice de giro dos estoques, também chamado de índice de rotação de estoques.

Cobertura dos estoques: o índice de cobertura dos estoques é a indicação do período de tempo que o estoque, em determinado momento, consegue cobrir as vendas futuras, sem que haja suprimento.

Nível de serviço ao cliente: o indicador de nível de serviço ao cliente para o ambiente do varejo de pronta entrega, isto é, aquele segmento de negócio em que o cliente quer receber a mercadoria, ou serviço, imediatamente após a escolha; demonstra o número de oportunidades de venda que podem ter sido perdidas, pelo fato de não existir a mercadoria em estoque ou não se poder executar o serviço com prontidão.

Portanto, o estoque dos produtos em uma clínica odontológica deve ser mínimo, visando gerar o menor impacto na alocação de capital de giro. O estoque mínimo deve ser calculado levando-se em conta o número de dias entre o pedido de compra e a entrega dos produtos na sede da empresa.

Abaixo segue relação de materiais destinados à atividade básica, considerando a atuação em clínica geral e pequenas cirurgias.

  • IRM (Intermediate Restorative Material) – Material Restaurativo Intermediário;
  • Ionômero de vidro;
  • Resinas (A1, A2, A3, A3,5, A4, B1, T, 0A2, OA3);
  • Pasta de polimento resinas;
  • Tiras de poliéster;
  • Matriz metálica;
  • Tiras de lixa metálicas;
  • Cunhas de madeira;
  • Discos soflex;
  • Pasta profilática;
  • Flúor tópico;
  • Flúor verniz;
  • Selante;
  • Paramono;
  • Tricresol;
  • Formocresol;
  • Tartarite;
  • Bicarbonato de sódio;
  • Cariostático;
  • Cimento cirúrgico;
  • Hemostesin;
  • Dycal;
  • Anestésicos com vaso;
  • Anestésico sem vaso;
  • Anestésico tópico;
  • Dessensibilizante;
  • Cimento endodôntico;
  • Cones guta;
  • Cones acessórios;
  • Hipoclorito;
  • EDTA;
  • Clorexidine 0,12%;
  • Clorexidine 2%;
  • Sugadores;
  • Roletes de algodão;

 

Para a aquisição do material é necessário que o empreendedor dentista realize um bom planejamento, contando com a realização de orçamentos para a compra dos produtos e materiais necessários para o consumo da clínica odontológica. É necessário dimensionar adequadamente os materiais a serem adquiridos para não incorrer em erros.

A relação com fornecedores deve ser estabelecida com muito cautela. Existem vários profissionais interessados em comercializar produtos que podem ter origem duvidosa ou em vias de serem proibidos pela ANVISA. Assim, ao escolher seus fornecedores, verifique se atendem às exigências dos demais órgãos de controle, como a Vigilância Sanitária. É necessário estar atento às notícias sobre legislação, além de produções científicas advindas de fontes seguras de pesquisa.

Ao montar uma clínica odontológica, você, como dentista empreendedor, deve levar em consideração que o planejamento é o que mais importa no início das atividades.

Há um ditado que diz: Se você deixar de planejar, você planeja falhar.” Isso é especialmente verdadeiro no início de qualquer novo negócio. Logo, pense nisso ao planejar a compra de equipamentos e dos materiais e suprimentos necessários para o funcionamento de sua clínica odontológica.

No 8º artigo de nossa série, falaremos sobre:

Como montar uma Clínica Odontológica: A Organização dos Processos Produtivos.

Até a próxima!

Fonte: SEBRAE

Leia Também: A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE NO CONSULTÓRIO ODONTOLÓGICO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *