Como montar uma clínica odontológica: Conceitos iniciais e Mercado

À partir de hoje começaremos uma série de artigos sobre: Como montar uma clínica odontológica, para que você, que deseja ser um dentista empreendedor possa estar por dentro de tudo que é necessário para montar uma clínica odontológica de sucesso. A Fonte destes artigos é o SEBRAEServiço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas.

Esperamos que goste da leitura.

Como montar uma clínica odontológica: Conceitos Iniciais

De acordo com o Conselho Federal de Odontologia (CFO), há dez anos o segmento de odontologia é o que mais se destaca dentre outros que integram a indústria brasileira de saúde, pois é o único setor que apresenta superávit na balança comercial. Em 2011 o saldo positivo foi de aproximadamente US$ 7 milhões. A quantidade de pessoas que vem se preocupando com a saúde bucal ou mesmo com questões estéticas vem aumentando de uma forma muito intensa. Fato esse que justifica o crescimento exponencial do segmento no país. O CFO publicou, em 2014, uma pesquisa sobre saúde bucal, revelando que cerca de 3 milhões de pessoas nunca foram ao dentista. Por outro lado, nove a cada dez brasileiros declararam ser muito importante ir regularmente ao dentista, e 72% costumam ir pelo menos uma vez por ano.

A prestação de serviços odontológicos abrange todas as classes sociais. Dependendo da especialidade de atuação da clínica odontológica e das possibilidades financeiras do empreendedor, é possível abrir uma clínica odontológica com várias especialidades, o que pode atrair mais clientes pela diversificação de serviços. Outra opção é a prestação de serviços para as camadas mais carentes da sociedade que necessitam de acesso a serviços básicos e rotineiros.

Como todo negócio, existe a fase inicial onde são necessários investimentos, sendo a fase de estabelecimento e formação da carteira de clientes, e uma última fase que compreende o retorno dos gastos iniciais, que contribuem para estruturação do negócio. Para a abertura de uma clínica odontológica, inicialmente é importante realizar uma pesquisa sobre a cidade onde o empreendimento será instalado. Informações sobre o número de profissionais na cidade, quais as suas especialidades e áreas de atendimento são informações estratégicas que podem garantir uma rápida formação de clientela e recuperar os investimentos mais rapidamente. Na maioria dos casos, para regiões mais populares ou carentes, ser generalista é suficiente, enquanto áreas onde a população tem maior poder aquisitivo exigem um nível de especialização maior, por terem maior conscientização sobre a necessidade de cuidados com a saúde bucal.

A exemplo de qualquer atividade econômica, o ramo de serviços odontológicos é competitivo e exige grandes esforços para formar uma clientela fiel. No caso da clínica odontológica, há diferenças se o empreendedor optar por se estabelecer em uma cidade interiorana ou em cidades de grande porte. Em cidades do interior, geralmente a competição é mais acirrada pela existência de profissionais que são conhecidos e atuam por muitos anos, além da formação de grupos dominantes. Em cidades de grande porte existe um fator mais impessoal, que leva a clientela a recorrer a uma busca por indicação de profissionais ou na escolha aleatória, fato que tornam os gastos com comunicação e marketing mais recorrentes.

Em resumo, é importante que o empreendedor interessado em montar uma clínica odontológica:

  • Conheça o mercado odontológico da região, por meio de pesquisa e monitoramento;
  • Desenvolva um plano de negócio;
  • Tenha domínio gerencial sobre o negócio;
  • Esteja em constante aperfeiçoamento de suas habilidades técnicas e gerenciais;
  • Participe de eventos do setor para conhecer novos fornecedores, clientes e/ou parceiros;
  • Conheça o perfil dos seus clientes;
  • Invista em campanhas de conscientização para a atração de clientes;
  • Crie pacotes de serviços que agregue maior valor para o cliente;
  • Aperfeiçoe constantemente o atendimento e capacite seus funcionários.

Como montar uma clínica odontológica: Mercado

Segundo dados do Euromonitor 2014 (órgão de pesquisa internacional que realiza o aferimento de dados de desempenho da indústria e comércio de diversos países) sobre cuidados bucais, o Brasil ocupa a quarta posição no mercado de higiene bucal do mundo e faturou, somando todos os seus segmentos, R$ 38 bilhões em 2013.

Segundo o Sindicado dos Cirurgiões Dentistas no Estado do Rio de Janeiro – SCDRJ , há 40 anos com 100 milhões de habitantes, o Brasil registrava cerca de 62 mil cirurgiões-dentistas. Com os seus 201 milhões de habitantes, o país atinge aproximadamente, 261 mil cirurgiões-dentistas, dos quais 55% se concentram em São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. Assim, os dados demonstram que a população brasileira duplicou e o número de cirurgiões- dentistas quadruplicou.

O crescimento do setor odontológico pode estar ligado ao aumento de renda da classe C, que passou a utilizar mais produtos e consumir mais serviços odontológicos, bem como ao uso de tecnologias de ponta na elaboração de produtos de maior qualidade e alcance de resultados mais satisfatórios. O aumento da qualidade e da expectativa de vida do brasileiro, que está cada dia mais ligado nos aspectos de saúde e estéticos também podem ter contribuído para esse crescimento. Em 2014, o CFO divulgou uma pesquisa em que 23% da população brasileira apresentou algum problema de ordem bucal, com ênfase aos indivíduos sem convênios, que corresponde a 82% da população. A utilização de convênios ou planos odontológicos por parte da população, mesmo que discretos se comparados aos médicos, também tem contribuído para o aumento da prestação de serviços na área. São cerca de 500 empresas credenciadas na Agência Nacional de Saúde (ANS), atendem 2 milhões de pessoas com R$ 1,5 bilhão de faturamento.

As clínicas odontológicas abrangem desde empreendimentos individuais, até franquias e grandes corporações. Neste caso, o empreendedor deve se atentar quanto ao modelo de negócio que mais atende aos seus anseios e necessidades de investimentos, rentabilidade e lucro. O setor de franquias é um segmento que vem crescendo amplamente. Hoje já somam mais de 500 unidades, em mais de 20 redes, onde atendem mais de 5 mil cirurgiões-dentistas, produzindo no total um expressivo faturamento de mais de R$ 25 milhões por mês. Porém é necessário que o empreendedor analise os valores para investimentos, bem como as taxas e percentuais praticados por cada franquia.

Uma clínica odontológica atuará por meio da educação, prevenção, ações de recuperação, tratamento curativo e reabilitador, de forma a proporcionar uma melhor condição de saúde bucal a todos os indivíduos, a qual refletirá numa melhor qualidade de vida. A saúde bucal constitui fator de grande interferência na qualidade de vida dos indivíduos. A cárie dentária e a doença periodontal representam as doenças de maior prevalência na população brasileira e as maiores causas de perdas dentárias, consequência que reflete diretamente na qualidade de vida das pessoas, seja física, funcional, nutricional e até mesmo psicossocial (CROSC, 2014).

Uma clínica odontológica pode atender especialidades distintas como:

  • Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial
  • Dentística
  • Disfunção Têmporo-Mandibular e Dor-Orofacial
  • Endodontia
  • Estomatologia
  • Radiologia Odontológica e Imaginologia
  • Implantodontia
  • Odontologia Legal
  • Odontogeriatria
  • Odontopediatria
  • Odontologia do Trabalho
  • Odontologia para Pacientes com Necessidades Especiais
  • Ortodontia
  • Ortopedia Funcional dos Maxilares
  • Patologia Bucal
  • Periodontia
  • Prótese Buco-Maxilo-Facial
  • Prótese Dentária
  • Saúde Coletiva

Os serviços de saúde bucal são generalistas quanto à seleção de mercado consumidor, por possuir grande diversidade de especialidades. Por isso, é importante que o empreendedor conheça o seu mercado de atuação e o perfil dos seus clientes, para que as especialidades estejam de acordo com a necessidade de atendimento. No caso da especialidade de odontogeriatria, a maior parte de seu clientes ocupará a faixa de homens e mulheres acima dos 60 anos de idade. Caso opte pela clínica geral e pequenas cirurgias, o consumidor alvo é mais amplo, abrangendo todas as faixas etárias, sexo e classes sociais, não há restrições. Entretanto, se decidir pela odontopediatria, fica estabelecido que a o público consumidor compreende crianças de ambos os sexos, com idade entre 0 a 9 anos.

Uma especialidade que vem ganhando destaque é a implantodontia. Os brasileiros cada vez mais utilizam implantes dentários, além de uma questão estética o objetivo é eliminar o mal estar causado pela falta de dentes.

Anualmente, cerca de 800 mil implantes e 2,4 milhões de próteses dentárias são colocadas em pacientes por todo o país, de acordo com dados da ABIMO – Associação Brasileira da Indústria Médica, Odontológica e Hospitalar.

Um outro caso recorrente é a ortodontia, que leva 12 milhões de brasileiros a consultar o dentista para correções na arcada dentária, melhorar a qualidade de vida e a estética. Geralmente a maior procura se dá entre jovens por este problema representar barreiras de relacionamento e trabalho.

Uma das tendências do segmento de clínica odontológica é a unificação de profissionais com especialidades distintas em um mesmo estabelecimento, de modo a captar a maior quantidade de clientes que podem não apenas se submeterem a um tipo de tratamento, caso exista a necessidade. Esse fator gera maior comodidade ao cliente, que não precisa se deslocar a outro local para contratar um serviço diferente.

Para superar o mercado, cada vez mais concorrido, o que se observa é um esforço conjunto para a entrega de conveniência ao consumidor. Uma forte tendência é a concepção de modelos de negócios inovadores que conseguem manter um nível de qualidade aceitável, a um custo moderado, fato que permite ao empreendimento gerar lucro através do volume de atendimento.

Geralmente o mercado fornecedor é atendido pelas grandes empresas produtoras de equipamentos, produtos e utensílios. A exemplo da indústria farmacêutica, os estabelecimentos odontológicos recebem visitas de promotores de vendas contratados pela indústria, que se encarregam de realizar apresentações particulares em clínicas e consultórios, demonstrando a efetividade dos produtos. Nessas situações, os empresários podem realizar pedidos, receber informações necessárias ao controle de estoques e se manterem informados quanto às tendências do setor.

O empreendedor que deseja abrir uma clínica odontológica necessita deter as informações sobre o mercado e seus clientes. Para isso, deve estar atento às tecnologias que emergem constantemente no mercado, sejam tecnologias específicas para execução do ofício, ou tecnologias complementares que apoiam a atividade, como aplicativos para celulares, programas para computador, dentre outros.

Algumas atitudes podem ser o diferencial competitivo do empreendedor nesta atividade, como a participação em eventos do segmento, que denotem o envolvimento e a busca pelo aperfeiçoamento e aquisição de conhecimento. Exposições, congressos, simpósios e seminários são ótimas oportunidades para conhecer novos fornecedores, além do trabalho de empresas que estão intimamente ligadas ao desenvolvimento tecnológico com potencial inovador. A utilização de tecnologias atuais que possibilitem melhores resultados, bem como a utilização de equipamentos e materiais atuais podem garantir vantagem competitiva entre seus concorrentes e a atração de clientes. Além disso, a busca constante pelo aperfeiçoamento e qualificação técnica dos funcionários e profissionais da clínica odontológica, também contribuem para o sucesso da empresa.

Se você gostou deste artigo, não deixe de ler o próximo: Como montar uma clínica odontológica: A importância da Localização.

Até a próxima!

Fonte: SEBRAE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *