Regras para se tornar um MEI – Microempreendedor Individual

Muitos empreendedores sonham em ter uma empresa… Trabalhar de forma legalizada em seu ramo de atuação e ter os benefícios que uma empresa ativa tem.

Você sabia que existe alternativa para que isso aconteça e está totalmente ao alcance de todos?

Você já pensou em se tornar um MEI – Microempreendedor Individual?

Essa é uma boa alternativa para os microempreendedores que desejam se lançar no mundo dos negócios.

Leia este artigo que preparamos especialmente para você que quer formalizar a sua atividade empreendedora! Fique por dentro de todas as regras para se tornar um MEI – Microempreendedor Individual

O que é o MEI – Microempreendedor Individual?

O MEI – Microempreendedor Individual é alguém que trabalha por conta própria, mas de maneira legalizada.

A Lei Complementar/128 que formaliza a atividade do MEI – Microempreendedor Individual foi aprovada em 2008, e passou a valer em 2009. A partir da vigência desta LC, aproximadamente seis milhões de empreendedores deixaram o empreendedorismo informal e desde então gerenciam suas pequenas empresas dentro da legalidade e gozam dos benefícios que a Lei lhes garante.

Hoje já são mais de 500 atividades que se encaixam nesse regime empresarial.

Quais são as regras para ser um MEI – Microempreendedor Individual?

nao ex 1

Se você se interessou pelo assunto, saiba que para se cadastrar como um MEI – Microempreendedor Individual a legislação determina algumas regras.

São elas:

  • Faturamento de até máximo do que R$ 60 mil por ano;
  • Não ser sócio de nenhuma outra empresa;
  • Ter apenas um funcionário com salário mínimo ou piso da categoria
  • Estar entre as atividades permitidas pelas regras estabelecidas pela legislação do MEI;
  • Ter local apropriado para o funcionamento da empresa (verifique na prefeitura de sua cidade se é permitido realizar a atividade em sua residência).
  • Importante: O novo limite de faturamento para o MEI em 2018 será de 81.000,00 – R$ (média de recebimento mensal de 6.750,99)

É importante lembrar que a abertura da empresa é feita de maneira rápida e fácil, podendo ser até pela internet, e o mais importante, completamente isenta de taxas de registro.

Se seu negócio se encaixa em todas essas exigências legais…Parabéns! Entre no Portal do Empreendedor, faça o seu cadastro e torne-se um MEI – Microempreendedor Individual de sucesso!

Se mesmo entrando no Portal do Empreendedor ainda lhe restarem dúvidas, fale com um contador de sua preferência. Dentro do próprio portal do empreendedor você encontrará a ajuda de contadores que terão um imenso prazer em lhe atender. Confira o que os Contadores do Bem podem fazer por você clicando aqui .

Quais os benefícios em se tornar um MEI?

nao exclusivo 2

O MEI – Microempreendedor Individual se enquadra no regime tributário do  Simples Nacional, um regime simplificado de tributação que reúne oito impostos em uma mesma alíquota. Porém o MEI está isento de pagar os tributos federais (IRPJ, PIS, Cofins, IPI e CSLL).

O MEI terá que pagar apenas os seguintes impostos unificados:

  • INSS a 5% do salário mínimo
  • ICMS à R$1 sem alterações (Comércio e Indústria)
  • ISS à R$ 5 sem alterações (Prestação de Serviços)

Em 2017 os valores do impostos para o MEI são:

  • R$ 51,85 para empresas de serviços;
  • R$ 52,85 para comércio e serviços;
  • R$ 47,85 para Indústria e comércio.

Esses impostos são pagos mensalmente, mesmo que não haja faturamento no mês de referência.

Caso o MEI contrate funcionários, terá de pagar alguns outros tributos.

Obrigações de um MEI

É importante que o empreendedor tenha em mente que ao se tornar um MEI – Microempreendedor Individual, algumas obrigações devem ser cumpridas, a fim de que sua empresa esteja sempre em conformidade com as leis fiscais e pronta para atuar.

São elas:

  1. Concessão do Alvará de funcionamento, esse documento deve ser solicitado junto ao governo municipal.
  2. Normas sanitárias (para quem manuseia alimentos)
  3. Relatório mensal de receita bruta, que deve ser anexado aos demais documentos da empresa (N.F de compra e N.F emitidas)
  4. Declaração de Imposto de renda anual simplificada.
  5. Se houver um empregado contratado o empreendedor deve manter todos os seus direitos assegurados e o depósito do FGTS em dia, além de recolher a previdência social do colaborador.

Com essas simples ações, você, como empreendedor estará completamente dentro das regras impostas pelo governo para ter sua empresa legalizada.

Agora que você já conhece todas as regras para se tornar um MEI – Microempreendedor Individual, que tal começar a colocar seus planos em prática?

Temos certeza que você tem uma grande ideia, ou até mesmo já é um empreendedor, porém , de modo informal, não é mesmo? Que tal sair da informalidade hoje mesmo e aproveitar essa grande oportunidade de atuar profissionalmente com seu próprio negócio totalmente legalizado?

Acredite nos seus sonhos, confie no seu potencial, perceba o tamanho dos seus objetivos e entenda como eles podem mudar sua vida!

Você tem duas alternativas, ficar sonhando sem pretensões ou…

Acordar e realizar todos os seus objetivos…

E aí qual sua escolha?

Você é do tamanho dos seus sonhos… e sonhar grande ou sonhar pequeno dá o mesmo trabalho!

Força, foco, fé e uma ajudinha extra com os benefícios do MEI e você conquistará tudo aquilo que estiver disposto a conquistar!

Sucesso!!!!

Se houver algo que possamos ajudar entre em contato, teremos prazer em atendê-lo.

Até a próxima!

Você quer uma empresa de sucesso? Empreender requer disciplina!

Você deseja ter uma empresa de sucesso?

Ser um grande empresário e atingir todos seus sonhos e metas profissionais?

Não é raro no ser humano o desejo de empreender.

Segundo estatísticas coletadas pela Randstad Workmonitor, mais de 65% dos brasileiros querem se tornar empresários. Porém, o caminho que o empreendedor deve percorrer entre o sonho e a realidade requer muita dedicação e foco.

Ter uma boa ideia e querer colocá-la em prática já é um excelente começo, mas não é o suficiente.

A seguir, veja dicas valiosas de como ser um empreendedor de sucesso!!!

Tenha um plano!

Uma pessoa que deseja empreender e ter sucesso não deve contar com sorte. Abrir uma empresa envolve decisões e riscos, e para ter resultados positivos é preciso se planejar e agir assertivamente! Assim sua empresa sai do papel, como também terá chances incríveis de crescer e se desenvolver.

O planejamento deve englobar todas as possíveis áreas da empresa, como por exemplo, a financeira e a comercial e nelas devem constar informações como investimento e prioridades. Além disso você deve incluir no seu planejamento:

  • Tarefas e metas a serem realizadas
  • Avaliar público-alvo e localização
  • Entender mercado e concorrência
  • Entender investimento e custo benefícios.

Assim o planejamento deve estar presente no seu dia a dia, desde a concepção da ideia, até as atividades rotineiras da empresa. Portanto, foque em planejar e empenhe-se em se organizar.

Amor pelo que faz

Tendo em mente que empreender requer dedicação, foco e muita disciplina, é importante gostar daquilo que faz, para isso não se tornar um fardo na sua vida.

Pode até parecer desnecessário pensar em sentimentos no mundo corporativo, mas acredite, criar uma empresa consolidada em bases sólidas de amor e motivação, fará toda a diferença na sua vida profissional.

Quando você desempenha uma atividade qualquer que seja, tendo prazer no que faz, os resultados são sempre melhores.

Um empresário apaixonado pelo seu projeto, certamente transmite isso para todas as áreas, seja no momento de abrir uma empresa ou de desenvolvê-la ano a ano!

Liderança

Guarde bem essa dica, ela é preciosa.

A visão sobre o futuro, e em como fazer a diferença no mercado, são características fundamentais em um líder. E para ser um bom líder, mais uma vez é necessário pensar em disciplina e grupo. Liderar de forma eficiente exige grande empenho, disposição e ideias inovadoras, sempre com foco em melhorias empresariais.

Para isso esteja atento a vários sentidos de sua atuação, pois há chefes que são um fracasso e há líderes que são um sucesso e como gestor, você precisa e deve operar mudanças incríveis no contexto geral da empresa, para isso é preciso aprender a LIDERAR!

Fique atento às oportunidades!

Se sua meta é ter uma empresa de sucesso, mantenha-se em constante evolução. A pior coisa que pode acontecer a um empresário, é se perder dentro da sua zona de conforto. Ficar parado no tempo sem novos projetos e ambições.

Novas ideias e oportunidades podem surgir nas situações mais inusitadas, portanto, mantenha a mente aberta para coisas que inicialmente possam parecer sem sentido, talvez elas sejam ótimas oportunidades de negócio.

Como um bom líder e empreendedor de sucesso você deve aprender a perceber as oportunidades em qualquer situação!

O mais importante ao pensar em abrir sua empresa é entender completamente que o processo requer muita responsabilidade e foco e que manter a disciplina e organização irá facilitar muito a concretização de seus sonhos e ideais.

Acredite, se você se mantiver perseverante e determinado em seu processo criativo quanto ao empreendimento que deseja realizar, tudo fluirá mais facilmente.

Quando você consegue manter o equilíbrio, aliando boas ideias e ações estratégicas, a possibilidade de ter excelentes resultados e muito sucesso são altíssimas.

Portanto, concentre-se nos seus objetivos, mantenha sempre a firmeza de seus propósitos e assim atinja todas as suas expectativas!

Sucesso!

Caso queira ter um negócio realmente eficiente e produtivo, consulte-nos! Nós podemos ajudar!

7 erros cometidos por empreendedores antes de abrir uma empresa

Ao decidir abrir uma empresa, muitos empreendedores cometem alguns tipos de erros que podem ser fatais para o crescimento e a longevidade de seu empreendimento. Os erros mais comuns ocorrem quando um empreendedor acredita que apenas ter uma grande ideia de negócio e colocá-la em prática já é o suficiente para lançar um empreendimento de sucesso.

Grandes ideias  são essenciais para se fazer grandes negócios, porém, as empresas que iniciam suas atividades e que mais perduram em seu segmento de atuação, são lideradas por empresários que querem começar do modo certo, de modo a evitar erros ou aprender rapidamente para não repetir erros do passado ou de outros empreendedores que eram grandes promessas, mas que sucumbiram diante da miopia corporativa.

Neste artigo falamos sobre os 7 erros cometidos por empreendedores antes de abrir uma empresa. Fique atento para não cometer os mesmos erros. Boa leitura!

# 1 Indefinição das metas

As metas SMART de longo alcance (Específicas, Mensuráveis, Alcançáveis, Realistas e Temporais – relacionadas ao tempo) ajudam a guiá-lo durante os primeiros e mais caóticos dias da abertura de uma empresa, e são muito valiosas para direcionar seus esforços de planejamento de longo prazo. As empresas mais bem sucedidas são o resultado de um plano de negócios bem elaborado, com metas comerciais, metas financeiras, metas de marketing, dentre outras, muito bem definidas, de modo a perseguir o alcance dos objetivos traçados para o sucesso do empreendimento.

# 2 Não saber quem é seu “cliente ideal”

Do que adianta ter um novo produto ou serviço se você não sabe para quem vender? Antes de abrir uma empresa, você precisa realizar pesquisas de mercado e assim ter, total certeza, de que existe demanda para seus produtos e serviços, para quem você deseja vender, onde você pode encontrá-los e o tipo de abordagem de marketing mais adequado à necessidade de seu público alvo.

# 3 Negligenciar o Marketing é um pecado mortal

Digamos que você identificou seu público-alvo. Qual é a maneira mais eficaz para eles conhecerem o que sua empresa faz? A resposta está no tipo de estratégia de marketing que você irá traçar e implementar para divulgar o seu negócio. Pode ser através da publicidade tradicional, campanhas de mala direta, marketing digital, site da empresa, postagens em seu blog de conteúdo relevante para este público, otimização do site para os motores de busca na web (como o Google), investir em mídias sociais ou contar com boas referências à moda antiga. De algum modo você precisa mostrar ao mercado que existe uma nova opção para os consumidores ou nada irá acontecer. Não cometa o erro fatal de acreditar que os clientes virão até você. Quem não é visto, não é lembrado!

# 4 Insistir em fazer tudo sozinho

Ao abrir uma empresa, a maioria dos empresários dá um verdadeiro “show de empreendedorismo”, isto é, cuida de cada detalhe do negócio, seja este grande ou pequeno. Porém, os processos operacionais começam a aumentar e fica impossível para qualquer empreendedor, mesmo que este seja um “showman”, cuidar de tudo sozinho.

Uma empresa precisa contar com habilidades diversificadas nas mais variadas áreas para ser um sucesso. Logo, apenas um indivíduo não dará conta de tudo. Entre os erros mais comuns cometidos por empreendedores ao abrir uma empresa está a persistência na crença de que podem fazer tudo sozinho. Essa atitude não deixa tempo para elaborar estratégias, pesquisar a concorrência, adaptar-se às constantes mudanças de seu mercado – ou mesmo ter ótimas noites de sono. A solução? Contrate uma equipe capacitada para te ajudar!

# 5 Contratações sem critério

Contratar as pessoas certas para “se juntar” ao seu empreendimento é fundamental. Mas não espere que estes profissionais “caiam do céu em seu colo”. Portanto, não se apresse para contratar a primeira pessoa que “aparentar” qualificações para um determinado cargo. Reconhecer a necessidade de ter profissionais talentosos ao seu lado é o primeiro passo crítico para formar uma equipe capacitada. Em seguida, certifique-se de contratar certo – e depois delegue sabiamente.

Saber delegar de modo eficiente é a melhor maneira de qualquer empreendedor – dono de um novo negócio – ter tempo para se dedicar às atividades empresariais que exijam realmente a sua especialização. Construir uma equipe posicionada e bem preparada é fundamental para o sucesso empresarial em longo prazo.

# 6 Não estimar o tempo e os custos envolvidos

Alguns empresários tornam-se excessivamente otimista sobre o quão bem eles podem gerenciar sozinhos tanto o seu tempo, quanto suas finanças. Qualquer empresário mais experiente pode confirmar que as coisas não funcionam dessa forma. Abrir uma empresa sempre leva mais tempo do que o esperado e os custos inesperados  podem surgir a qualquer momento.

Faça um planejamento seguro, com estratégias de contingência, tanto para o fator tempo, quanto para o fator finanças. Por isso é essencial contar com o apoio de uma assessoria contábil experiente para lhe ajudar no planejamento e cuidar de toda a burocracia inevitável ao abrir uma empresa.

# 7 Esquecem-se de se divertir

Abrir uma empresa é um compromisso enorme e você deve levar isso muito a sério. Mas você será um empresário melhor (e uma pessoa melhor) se evitar perder aquele brilho no olhar e aquela garra que o levou a querer empreender em primeiro lugar.

Qual era o seu propósito? O que você tinha em mente? Você ama realmente o que você faz? Quem ama o que faz, apesar de toda seriedade que o mundo corporativo exige, se diverte dando o seu melhor.

Se você não gostar do processo, então, o que você deve fazer? Continuar se sacrificando apenas em nome do sucesso? E ai, você parou de se divertir?

Leve seus negócios a sério, porém, não se leve tão a sério assim. De vez em quando “fazer algo bobo”,  pode fazer você se sentir como uma criança novamente. E ninguém pode tirar a crença e a esperança de uma criança em um futuro melhor. E o principal, crianças constroem o futuro se divertindo!

Continue se divertindo ao empreender e seja um sucesso em tudo que você fizer e não apenas nos negócios!

Pense nisso e até a próxima!

Às vezes você tem que apenas “dizer não” a um cliente

Ao lidar com um cliente difícil, quando e como você deve dizer “Não?

As empresas mais bem sucedidas em todos os segmentos de mercado, valorizam a todos os seus clientes, mas também compreendem que nem todos os clientes devem ser tratado de igual maneira. Clientes difíceis podem custar à sua empresa um valioso tempo e muito dinheiro, além de drenar sua energia e a de sua equipe. E ao final de todo o seu esforço, você percebe que foram inúteis todas as tentativas de tentar agradá-los e torná-los felizes, pois eles simplesmente não valorizam a sua dedicação e o trocam por uma “caneta” de alguém que oferecer um negócio mais barato.

Ao mesmo tempo, muitas vezes é possível dizer não a um cliente, e não perder o negócio.

Clientes difíceis são classificados como aqueles que:

  • Demonstram algum interesse generalizado em um negócio, mas não se igualam ao público-alvo segmentado e que você está buscando (perfil de cliente ideal);
  • Gostam de exigir produtos ou serviços que se afastam significativamente do seu core business e do escopo do contrato ora assinado;
  • Querem sempre diminuir suas obrigações financeiras ao seu bel prazer, isto é, pedem descontos ou abatimentos em suas faturas e ainda ameaçam cancelar o contrato se você não ceder;
  • Fazem você perder um tempo precioso para ouvir suas reclamações sobre seus serviços, produtos e preços;
  • Sempre são “mal educados” e respondem muito mal às melhores tentativas de sua equipe em tentar satisfazê-los;

Obviamente, como empreendedor, você não quer adquirir o hábito de dizer não aos seus clientes. Mas quando houver necessidade, aqui estão algumas sugestões para ajudar a aliviar a tensão no relacionamento comercial e manter a boa vontade do cliente:

Seja direto –  No caso de você não poder ajudar um cliente, seja muito direto e sincero ao responder às suas perguntas. Tentar rodear, arrumar desculpas para ganhar tempo, ou mesmo tentar “dar um jeitinho” ou fazer “um favorzinho paliativo” só aumentará o nível de tensão e colocará o relacionamento entre vocês em uma situação pior.

Ofereça uma alternativa útilUm ótimo serviço de atendimento ao cliente envolve oferecer uma alternativa à palavra “não”. Sempre que possível, tente sugerir outra solução, negócio ou recurso que possa resolver a questão ou atender a uma necessidade específica do cliente. Se esta sugestão resultar em um acordo favorável, a maioria dos clientes irá se lembrar de como você os ajudou de forma satisfatória.

Simpatia é fundamental Competências de pessoas moderadas são muito valiosas  ao lidar com clientes difíceis. Portanto, delegue a função de atendimento à estes clientes para os membros mais equilibrados e serenos da equipe. Isto implica em habilidades de escuta ativa (que são muito úteis tanto em interações negativas, quanto  positivas) e podem ajudar a aliviar a frustração do cliente e fazer-lhe sentir que alguém se interessa por ele e está disposto a ouvi-lo atentamente, de modo a entender suas queixas e resolver seus problemas.

Prevenir é melhor que “remediar” – Outra estratégia eficaz é prevenir situações que podem levá-lo a dizer um “não” para um cliente, antes de precisar fazê-lo. Se os chamados “clientes difíceis”  continuarem solicitando serviços e/ou benefícios que você classifique como muito caros ou trabalhosos para atender, se livre desses serviços imediatamente. Transforme o seu foco, mude seus objetivos corporativos e se dedique ao que você faz de melhor. Isso reduzirá consideravelmente as ocasiões em que a palavra “não” estará envolvida em sua comunicação regular com seus clientes.

Conclusão

Tenha em mente que os  custos da aquisição de novos clientes  pode ser substancialmente maior do que a despesa de manter uma base de clientes leais. Por isso, honre e recompense seus melhores clientes, mesmo que isso, por vezes, diminua os seus esforços em conquistar novos clientes. Enquanto um cliente se sentir especial, ele estará propenso em se manter por perto.

O mais importante é você identificar e reconhecer “os clientes errados para o seu negócio, antes que suas expectativas e exigências descabidas lhe tragam mais prejuízos do que lucro”.

A melhor estratégia é sempre garantir que você manterá em sua base de clientes o seu perfil de cliente ideal, isto é, aqueles que você identificou em seu plano de negócios, os que são realmente vitais para o seu crescimento contínuo e sucesso empresarial.

E você, já precisou dizer não a algum cliente? Compartilhe a sua história conosco! Se achou que ainda faltam coisas a se acrescentar sobre a relação com clientes difíceis, por gentileza, comente abaixo e cocrie este artigo conosco adicionando outras dicas úteis.

Pense nisso e muito sucesso!

5 dicas de gerenciamento de tempo para proprietários de pequenas empresas

Organize-se, aumente a produtividade e mantenha a eficiência com estas cinco dicas para melhorar suas habilidades de gerenciamento de tempo

Qualquer empresário sabe que tempo é dinheiro. Não é incomum para proprietários de pequenas empresas trabalharem de 12 a 16 horas por dia, muitas vezes sete dias por semana, especialmente nos estágios iniciais de um negócio. Parece muito tempo, mas para a maioria, não é suficiente. Grande parte desse tempo é gasto em e-mails, em reuniões e em tarefas tediosas.

Logo, temos algumas perguntas a lhe fazer:

  • Quando você conseguirá usar seu precioso tempo com aquilo que realmente influencia no crescimento de sua empresa?
  • Como você consegue se focar somente nas tarefas tediosas enquanto sua empresa deixa de crescer?

Aqui estão cinco dicas de gerenciamento de tempo para ajudá-lo a permanecer organizado e focado ao longo de cada dia:

  1. Não seja Multitarefa

Isso é contra intuitivo em relação ao que muitos de nós fomos ensinados em toda a nossa vida. Porém vários estudos e pesquisas comprovam que ser multitarefa é ineficaz. Se você se concentrar em uma coisa de cada vez, você será mais produtivo e eficiente, pode ter certeza!

  1. Mantenha uma Lista de Tarefas Prioritárias

Seu maior trunfo será construir uma lista de tarefas prioritárias. Isso irá ajudá-lo a manter cada tarefa organizada mediante seu nível de prioridade e lhe dará uma ideia tangível do que precisa ser feito. Coloque os projetos mais importantes no topo, e trabalhe as demais prioridades abaixo. Existem vários programas de gerenciamento de tarefas disponíveis online e em forma de aplicativo que podem ajudar a mantê-lo organizado e concentrar-se nas prioridades.

  1. Trabalhe em blocos de tempo

Trabalhar em blocos de tempo pode ajudá-lo a se concentrar em tarefas específicas. Vários donos de empresas e CEO’s bem sucedidos usam este método e aprovam sua eficácia. Você pode bloquear uma hora – ou mesmo um dia inteiro – e dedicar esse tempo a um projeto. As possibilidades são infinitas. Apenas certifique-se de dar a cada tarefa ou projeto um intervalo de tempo.

  1. Contrate um treinador ou mentor

Ter alguém para responsabilizá-lo, cobrá-lo e fornecer suporte onde você precisar também ajudará com produtividade. É bom ter alguém desafiando você ou orientando-o quando as coisas ficam esmagadoramente complicadas.

  1. Estabeleça uma jornada regular de trabalho

Estabeleça um cronograma regular de trabalho e mantenha-o. Na maioria das vezes é melhor criar uma jornada de trabalho baseada em ritmos naturais do seu corpo, assim você não viverá lutando constantemente com a fadiga e os bloqueios mentais gerados por ela. Além disso, é importante que você cuide de si mesmo fisicamente, emocionalmente, mentalmente e espiritualmente. Se você não fizer isso, isso se refletirá negativamente em seu trabalho e em sua produtividade.

Um dia tem apenas 24 horas e você precisa definir quantas dessas horas serão necessárias para você gerenciar com eficácia e eficiência o seu negócio. Muitos empresários, principalmente os donos de pequenas empresas, costumam trabalhar regularmente no limite, alguns trabalhando até 18 horas por dia. Concluir as tarefas diárias é um desafio para o pequeno empresário, especialmente quando elas começam a se acumular.

Esperamos que essas dicas possam ajudar a tirar um pouco do estresse de seus ombros e ajudá-lo a permanecer produtivo e principalmente saudável física e emocionalmente.

Pense nisso e muito sucesso!

5 erros chave no serviço de atendimento ao cliente que sua empresa precisa evitar

O serviço de atendimento ao cliente é a espinha dorsal de qualquer negócio bem sucedido. Este serviço pode ser a grande diferença entre os excelentes comentários que os clientes fazem sobre sua empresa no seu segmento de mercado, levando outros a comprarem de você, e os clientes insatisfeitos que espalham sua insatisfação por onde passam relatando suas experiências negativas com o atendimento de sua empresa. Este tipo de comentário faz com que os consumidores evitem o seu negócio completamente.

Dado que o serviço de atendimento ao cliente é tão importante, é vital que você saiba alguns dos erros mais comuns que seus atendentes podem cometer durante o atendimento aos clientes, para que você trabalhe de modo à evitá-los e também corrigi-los a qualquer custo.

Os erros mais comuns

  1. Automação total do Atendimento

Só porque o atendimento pode ser automatizado não significa que deve ser, e também não significa que a automação irá se traduzir automaticamente em economia de custos.

Não automatize apenas porque você pode. Evite apagar toda a personalização e o contato direto com o cliente. Quando possível, forneça ao seu cliente uma variedade de canais de comunicação diferentes. Por exemplo, alguns clientes preferem chat online, outros preferem e-mail, porém alguns outros querem falar com alguém por telefone.

Dê a eles todas essas opções e não force os seus clientes a utilizarem os  frustrantes sistemas de “help desk” para abrir um chamado. Se ele preferir falar com você, abra o chamado por ele para documentar a sua solicitação.

  1. Não ouvir os clientes

Assumir que você sabe o que o cliente quer, ao invés de ouvi-lo, é um grande erro.

Portanto, é preciso ensinar e treinar habilidades de escuta ativa em toda a sua empresa, especialmente para os colaboradores que atendem aos clientes efetivamente.  Crie processos que estimulem os atendentes a realmente ouvirem os clientes e livre-se dos tradicionais scripts de atendimento

  1. Ser reativo ao invés de proativo

Ao invés de preocuparem em como encantar os clientes no futuro para evitar ao máximo que eles precisem reclamar dos seus serviços, muitas empresas caem na abordagem reativa, achando que o cliente deveria estar satisfeito com os produtos medíocres ou os serviços precários que prestam, e ao invés de solucionarem o problema do cliente, reagem de modo a argumentar com o mesmo tentando explicar o motivo de sua mediocridade quando recebem uma queixa.

Não crie essa cultura em sua empresa. Tire um tempo para realizar análises de processo, trabalhe a melhoria contínua dos mesmos e analise as causas raiz de cada queixa de cliente, para realmente melhorar o seu serviço ou seu produto.

Exija que cada funcionário realize pelo menos cinco chamadas para os clientes por mês, para assim manter a conexão com os clientes. Incorpore metas de atendimento ao cliente na estrutura de indicadores de cada funcionário, e premie os que as alcançarem positivamente.

  1. Não valorizar os funcionários do atendimento ao cliente

É uma vergonha que muitas vezes os membros da equipe que interagem diretamente com os clientes são os menos valorizados financeiramente em suas empresas. Para evitar esse erro, contrate funcionários mais capacitados, remunere-os melhor e estipule premiações por executarem ótimos serviços.

  1. Não dar aos clientes o que eles querem

Os clientes querem respostas precisas ou soluções rápidas, eficientes e respeitadoras para seus problemas. E conseguir isso para o cliente é a coisa mais importante, mesmo que a resposta ou solução não seja a ideal. O que ele quer é saber que foi ouvido e está sendo atendido em sua solicitação.

Portanto, certifique-se de que seus funcionários – que interagem com os clientes – têm acesso às informações corretas e estão ouvindo as preocupações dos clientes.  Assegure-se de que a comunicação seja realista – não prometa aquilo que não pode cumprir, porém, nunca diga que não tem a solução. Em última instância, diga que vai pesquisar a solução e que retorna em seguida, porém, jamais deixe o cliente no vácuo.

Como evitar os erros no atendimento ao cliente?

Está provado que o serviço de atendimento ao cliente é realmente uma parte vital de um negócio bem sucedido. Mas por onde este serviço deve começar? Seus funcionários sabem onde procurar aconselhamento sobre o atendimento ao cliente ou como obter as informações corretas para solucionar os problemas que os mesmos trazem à tona?

Uma cultura excepcional de atendimento ao cliente deve começar pelo topo, pela direção da empresa. Não pode ser apenas um slide em uma apresentação ou um “clichê” dizendo aquilo que os funcionários devem seguir. O presidente ou proprietário da empresa precisa dar o tom desse atendimento, investir em treinamento e especialização dos membros da equipe e também em tecnologia, mas principalmente, deve liderar pelo exemplo, não somente com palavras.

Pesquisas mostram que os scripts não são a melhor maneira de lidar com reclamações de clientes. Equipes de atendimento ao cliente precisam ser treinadas para trabalhar e resolver cada situação específica de um cliente, em detrimento à abordagem do script que diz: “se um cliente reclamar disso, então você deve dizer isso”. Evite os scripts prontos a todo custo.

Corrija os erros quando os mesmos acontecerem

Ninguém é perfeito. Seja devido a uma falta do foco, desatenção, falta de compreensão, de orientação ou mesmo de diligência, os erros sempre acontecerão.

Às vezes nós avançamos muito rapidamente rumo a excelência, porém, às vezes as coisas simplesmente acontecem. No final do dia, como você se recupera e corrige esses erros é o que realmente importa. As melhores empresas prestam os melhores serviços, porém, ainda assim, coisas ruins acontecem.

A chave é saber como corrigir a situação, uma vez que a mesma se apresenta e ter certeza de que o cliente ainda receberá o melhor serviço possível, apesar de alguns solavancos ao longo do caminho para uma resolução eficiente.

Converse com o cliente, se inteire do problema e mantenha uma comunicação empática e sincera. Formule uma estratégia de respostas, como um cronograma para esta comunicação, e execute-o rapidamente.

Também é fundamental para a sua equipe de atendimento ao cliente se desculpar em nome da empresa imediatamente quando a empresa comete um erro, seja de quem for este erro. Isso demonstra profissionalismo!

Não há nada de errado em simplesmente lamentar pelo problema que está causando angústia no cliente, mesmo que ainda não exista a certeza de culpabilidade da empresa no ocorrido.

Uma vez que a situação tenha sido corrigida e o cliente esteja satisfeito, tome atitudes internas para que o problema não venha a se repetir, nem com este e nem com outros clientes.

Sente-se com sua equipe para entender todos os detalhes, incluindo o que aconteceu especificamente na eventual reclamação, o porquê aconteceu o erro, e as ações que podem ser tomadas para evitar problemas semelhantes no futuro. Esta será a melhor atitude que você poderá tomar, de modo a liderar pelo exemplo e multiplicar em seus atendentes o seu propósito da excelência na sua prestação de serviços.

Muito sucesso e até a próxima!

Crie um plano de negócios perfeito para ter sucesso nos negócios!

Por que você precisa de um plano de negócios para abrir uma empresa?

Você pode estar se perguntando: Por que eu preciso criar um plano de negócios antes de abrir minha empresa? Este tipo de questionamento é muito natural e totalmente compreensível quando realizados por novos empreendedores, ou mesmo empreendedores experientes que querem expandir seus negócios. E isto se dá, pois, para o empreendedor, ele já tem uma ideia clara em sua mente sobre como será sua empresa e os objetivos que almeja alcançar. Além disso, ele conhece o mercado e possui as habilidades necessárias para atender as necessidades do seu público alvo.

Então, por que ele precisa de um plano de negócios? Muitas vezes isso não faz sentido para alguns.

Por isso, hoje resolvemos explicar a importância da criação de um plano de negócios perfeito, para que você tenha muito sucesso nos negócios.

Separamos algumas excelentes razões para responder sua pergunta. Você precisa criar um plano de negócios:

  • Para esclarecer suas ideias 

Escrever sobre como será sua empresa tornará suas ideias mais claras e objetivas do que mantê-las apenas em sua cabeça.

  • Para descobrir e resolver problemas

A ideia de negócio que você tem em mente pode ter alguns buracos e falhas, e com certeza, você pode não ter considerado todos os aspectos relevantes para que o mesmo seja um sucesso e tenha longevidade. Logo, ao escrever o plano de negócios tudo se tornará muito mais claro  e visível para que você possa ser certeiro em sua decisão de empreender.

  • Para obter feedback dos outros 

Um plano de negócios devidamente escrito pode ser compartilhado com pessoas confiáveis para obter seus conselhos.

  • Para ter um documento formal 

Bancos,  investidores e possíveis parceiros vão querer prova de que você é sério e está estruturando um negócio confiável. Um plano de negócios bem redigido fornecerá essa prova.

  • Para orientá-lo sobre o crescimento do seu negócio

Um bom plano de negócios irá mantê-lo na pista e sempre focado, mesmo que o trabalho do dia-a-dia se torna uma distração.

Se você nunca escreveu um plano de negócios antes, e não tem ideia de como fazê-lo agora, tudo que estamos lhe falando pode ser uma perspectiva assustadora. Mas, preparamos 10 dicas bem legais para que você escreva o seu plano por etapas. Essas dicas irão ajudá-lo a criar o plano de negócios perfeito para que você tenha muito sucesso nos negócios.

  1. Descreva um Resumo Executivo

O Resumo Executivo a parte do plano onde você irá descrever sua empresa e os produtos ou serviços que você irá vender. Este resumo, como o próprio nome diz, deve ser breve, para capturar e manter a atenção das pessoas.

Tente descrever o objetivo e a missão de seu negócio em apenas algumas frases. Trabalhe duro e tente torná-las memorável.

Trate esta parte do plano como um documento de ‘comunicado do elevador’ – ele deve ser sucinto e fácil de lembrar.

  1. Defina quem são seus clientes?

Você tem uma ideia clara do tipo de pessoas (ou empresas) que irão comprar o seu produto ou serviço? Se não, pense cuidadosamente até que você tenha esta definição clara em sua mente.

Esta é uma das primeiras perguntas que qualquer investidor irá lhe fazer sobre o seu plano de negócios. Tenha suas respostas prontas:

  • Saiba se seus clientes serão pessoas físicas ou empresas. Se o seu foco for empresas, quem você vai mirar dentro dessas empresas? Você irá contatar o departamento de compras ou diretamente os diretores?
  • Determine se você terá clientes regulares ou compradores eventuais.
  • Certifique-se de que você realmente falou com alguns de seus potenciais clientes.
  1. Estude o seu público-alvo

Não há espaço para suposições em negócios. Você precisa identificar as pessoas que vão comprar de você. Pense sobre o seguinte:

  • Demografia – idade, sexo e status social.
  • Segmentação – tamanho da empresa, receitas da empresa e serviços ou produtos da empresa.
  • Localização – talvez uma área específica, cidade, ou mesmo país.
  • Profissão – talvez seu público alvo seja contabilistas, professores ou advogados, por exemplo.
  • Grupos – pessoas com interesses ou hábitos comuns.

Quanto melhor for a avaliação sobre o seu público-alvo, mais abrangente será seu plano de negócios.

  1. Quais são as suas oportunidades?

As empresas bem sucedidas pensam grande. Você pode estar começando pequeno, mas você não tem que continuar assim. Então anote as oportunidades possíveis para o seu negócio à medida que o mesmo cresce.

Por exemplo, talvez você esteja planejando começar vendendo pela internet. Isso é ótimo, mas como você obterá tráfego para seu site? Como as pessoas vão encontrá-lo on-line? Você vai precisar de vendedores? Se não, como você vai convencer as pessoas a comprar de você?

Com o negócio crescendo, você tem planos para estruturar uma loja física? Quais outras oportunidades você terá se seu negócio crescer conforme o planejado?

  1. Quem são os seus concorrentes?

Toda empresa tem concorrência. Se você não mencionar os seus concorrentes, os investidores irão pensar que você ainda é muito amador e não está maduro para os negócios – estudar a concorrência a fundo demonstra profissionalismo e maturidade corporativa. Seja minucioso e liste todos os seus concorrentes existentes e potenciais:

  • Quem são seus concorrentes diretos – aqueles que vendem os mesmos produtos que você?
  • Quem são seus concorrentes indiretos – aqueles cujo mercado se sobrepõe ao seu?
  • O que impedirá que outras empresas concorram com você – quais são as barreiras à entrada dessas empresas no mercado?
  • Defina sua USP – ou Unique Selling Proposition (em português, Proposta Única de Venda) – Em outras palavras, qual é o seu ponto de exclusividade que o torna diferente de seus concorrentes?

Esse último ponto é importante. Você precisa explicar como sua empresa irá se diferenciar de todas as outras. Isso pode ser baseado no preço, serviço, qualidade, alcance ou valor. Certifique-se de s-o-l-e-t-r-a-r isso em seu plano de negócios.

  1. Crie um plano financeiro simples

Todos os planos de negócios devem conter algumas informações financeiras. Isso deve incluir os custos gerais de criação de sua empresa. Por exemplo:

  • Custo para produzir ou comprar produtos.
  • Custos de mão-de-obra e fabricação, incluindo matérias-primas.
  • Custos de pessoal, especialmente para empresas de serviços.
  • Custos de distribuição e comercialização.
  • Custos fixos e variáveis.

O apoio de uma assessoria contábil é essencial para ajudá-lo a criar um plano orçamentário ou um modelo de plano financeiro adequado ao seu empreendimento.

  1. Estruture um planejamento de marketing

Para esta seção de seu plano de negócios, você precisa pensar sobre as estratégias básicas de marketing:

  • Preços – como você vai compor o preço do produto final?
  • Posicionamento – como seu produto ou serviço se encaixa no mercado?
  • Promoção – que canais você usará para atrair e se comunicar com os clientes?
  • Lucro – quanto você espera fazer por item vendido?
  • Lugar – quais são seus pontos de venda?
  1. Planeje suas operações

Coloque sua visão de lado por um momento. Quais são as tarefas diárias que precisam ser executadas ao gerenciar o negócio? Inclua todos os processos operacionais e administrativos do negócio, tais como fabricação e embalagem. Tente cobrir todos os departamentos também, incluindo vendas e atendimento ao cliente.

  1. Contrate as pessoas certas

Este é um dos fatores mais importantes. Pense sobre  quem você quer contratar como colaborador para lhe ajudar no dia a dia. Como você vai encontrar pessoas cujas habilidades complementam a sua? E como você vai convencê-los a trabalhar para você?

Também pense sobre quem você quer como seus consultores de negócios. Você precisará de pessoas em quem possa confiar, para guiá-lo e orientá-lo quando precisar delas.

  1. A simplicidade é a chave para o sucesso

Simplifique seu plano de negócios. Documentos complexos e longos não serão lidos – nem por você nem por potenciais investidores. Um plano de negócios deve ser breve, relevante e focado.

Se você começar a “viajar” enquanto escreve, pare e faça uma pausa. Em seguida, volte e edite o que você escreveu. Quanto mais curto e simples melhor. O núcleo de um bom plano de negócios deve ser apenas algumas páginas.

  1. Planeje seu negócio em torno de seus pontos fortes

Ao escrever seu plano de negócios, tenham em mente seus pontos fortes – e também descreva todos os seus pontos de melhoria. Isso irá ajudá-lo a construir um plano que aproveite ao máximo suas habilidades e demonstre que você é realista. Este será um fator crucial para convencer os investidores que você é um empreendedor sério e consciente.

Conclusão

Seu plano de negócios é um roteiro para sua jornada empreendedora – mas não é nada que deva ser “esculpido em pedra”, pelo contrário, você deve revê-lo pelo menos uma vez por ano e fazer alterações, quando necessário.

Acima de tudo, continue recebendo feedback de seus conselheiros – oficiais e não oficiais. Com a ajuda deles, você vai criar o plano de negócios perfeito, que irá levar você exatamente para onde onde você planeja ir, isto é, ao sucesso absoluto nos negócios.

Até a próxima!

Como melhorar o Serviço de Atendimento ao Cliente de sua Empresa

Prestar um excelente serviço de atendimento ao cliente pode ajudar sua empresa a manter e principalmente aumentar sua base de clientes. E isso é fundamental para a sobrevivência de um negócio, principalmente em tempos de crise.

Você sabia que pode custar até 10 vezes mais para atrair um novo cliente do que para manter satisfeito um cliente que já está em sua carteira?

Um cliente feliz e satisfeito se torna um cliente leal à marca e sempre retorna para comprar novamente. É por isso que oferecer um excelente serviço de atendimento ao cliente e construir relacionamentos duradouros com cada cliente de forma personalizada é tão importante.

Por que você deve oferecer um excelente serviço de atendimento ao cliente?

Um excelente serviço de atendimento ao cliente pode ajudar o seu negócio a se manter no mercado e principalmente, ajudar a sua empresa a crescer!

Prestando um excelente serviço de atendimento ao cliente você pode:

  • Aumentar a quantidade de clientes em sua base através de uma reputação positiva (Marketing Boca-a-Boca);
  • Aumentar o ticket médio gasto por cada cliente, de acordo com a variedade de sua cesta de produtos/serviços. Clientes satisfeitos sempre compram mais;
  • Aumentar a frequência de visitas dos clientes ao seu estabelecimento/empresa, e consequentemente, aumentar as possibilidades de novas vendas;

Como saber o que os seus clientes consideram um excelente serviço de atendimento?

Pode ser difícil saber quais os tipos de serviços seus clientes querem de seu negócio, por isso, procurar conhecer seus anseios é tão importante. Para isso, você deve responder às seguintes perguntas:

  • Será que eles querem que você realize um contato telefônico após uma compra para saber se conseguiram, por exemplo, instalar um equipamento?
  • Será que após uma compra, eles aguardam um contato para saber se estão precisando de sua ajuda?
  • Será que gostariam que você oferecesse um programa de fidelidade, para gozarem de benefícios por serem leais a sua marca?
  • Será que gostariam de um sistema automatizado de pagamento on-line?

Seja o que for, é importante que você dedique seu tempo para descobrir as expectativas dos seus consumidores quando se trata de oferecer um bom serviço de atendimento ao cliente.

Aqui estão algumas dicas para você conseguir oferecer um excelente serviço de atendimento aos clientes de sua empresa:

  • Ouça seus clientes, e mostre que os feedbacks, tanto positivos quanto negativos são muito importantes para sua empresa;
  • Certifique-se de oferecer um serviço de atendimento ao cliente qualitativo em todos os aspectos de sua empresa (por exemplo, no retorno aos telefonemas, transações de balcão, acompanhamento pós-venda, etc);
  • Transforme isso em uma cultura interna, e procure continuamente maneiras de melhorar o nível de atendimento ao cliente oferecido por sua empresa;

Como você pode melhorar o relacionamento com seus clientes?

Estas dicas são bem legais para ajudá-lo a construir relacionamentos positivos e duradouros com seus clientes:

  • Cumprimente seus clientes e aborde-os sempre de uma forma naturalmente cordial e que se encaixe com sua personalidade, preferências e ambiente de negócios;
  • Mostre aos clientes que você entende quais são suas necessidades. Por exemplo, se você é um cabeleireiro, ofereça champanhe ou revistas durante a espera de seus clientes;
  • Seja útil! Por exemplo, informe os seus clientes sobre eventos importantes relativos ao seu mercado de atuação;
  • Mantenha seus clientes conscientes de que, ao fazerem negócio com sua empresa, sempre serão beneficiados;
  • Ouça as reclamações dos clientes – você com certeza irá aprender algo sobre seu produto ou serviço que poderá mudar sua história corporativa;

Dica: Demonstre gratidão aos seus clientes por cada interação com sua empresa, sejam elas positivas ou negativas. Mostre que a opinião deles é valiosa e que eles são importantes para o negócio.

O que você e sua equipe podem fazer para melhorar o serviço de atendimento ao cliente?

Se você quiser oferecer o melhor serviço de atendimento ao cliente, você precisará treinar sua equipe, para que os mesmos desenvolvam uma linha de comunicação coerente com os propósitos da empresa e tenham habilidades para se relacionarem sempre de forma positiva com cada cliente antes, durante e no pós-vendas. Você também deve certificar-se de que você tem um padrão de atendimento excelente e é um exemplo a ser seguido por toda a equipe por fornecer um excelente serviço de atendimento ao cliente em todos os momentos de sua jornada de compra.

Procure alinhar com a equipe as seguintes ações:

  • Treinamentos constantes são muito importantes para a melhoria contínua da equipe no serviço de atendimento ao cliente, portanto: Treine, treine novamente, e quando achar que já está bom, treine mais ainda.
  • Crie um sistema de rotatividade interna com todos os funcionários, para que eles possam aumentar seu conhecimento de outras áreas em seu negócio.
  • Incentive e apoie o trabalho em equipe dentro de sua empresa. Uma comunicação eficaz e relações de trabalho colaborativas entre os membros de cada equipe podem ajudar a melhorar a qualidade dos serviços de atendimento aos clientes oferecidos por sua empresa;
  • Acompanhe os procedimentos de recrutamento e seleção, e procure sempre contratar pessoas que estejam conectadas com o seu propósito empresarial. Se a pessoa tiver habilidades de atendimento ao cliente ótimo, porém, se a mesma demonstrar um perfil conectado aos propósitos da empresa, mas não demonstrar ter tantas habilidades, lembre-se que você pode treinar essas habilidades e transformar este profissional num excelente colaborador;

Conclusão

Quando se trata de sua empresa, nada fará sentido se você oferecer um péssimo serviço de atendimento ao cliente. Por isso, mantenha essas dicas tatuadas em sua mente para que você possa entender o quão importante é o serviço de atendimento ao cliente para o sucesso do seu negócio. Portanto, certifique-se de que você está oferecendo o melhor serviço de atendimento aos seus clientes, e desfrute de resultados altamente positivos.

Até a próxima!

6 dicas para construir um ambiente colaborativo em sua empresa e ter muito sucesso nos negócios!

Muitas características definem um negócio bem sucedido, tais como, uma abordagem inovadora, estratégias bem definidas, exclusividade, liderança forte e bem preparada, inteligência criativa, confiança, a cultura da empresa, funcionários criativos e que pensem fora da caixa, trabalho em equipe, desenvolvimento colaborativo, dentre outros fatores.

Porém, um dos maiores fatores mais importantes e que deve ser levado muito a sério, para que pequenas, médias e grandes empresas tenham sucesso é conscientização de sua equipe de profissionais sobre o valor da comunicação e da colaboração.

Construir um ambiente de confiança dentro de uma equipe, e capacitar o espírito colaborativo, é primordial para o crescimento de qualquer empresa”

Hoje em dia, empresas e organizações têm criado diversos ambientes virtuais para a comunicação entre os membros das diversas equipes envolvidas no planejamento, desenvolvimento e conclusão de um projeto. Este tipo de ambiente possibilita também, caso haja necessidade, a participação de especialistas altamente qualificados – até de fora da empresa – para atender as demandas de um projeto desafiador. Além, é claro, de permitir a interação ativa do cliente para que o projeto esteja sempre alinhado com suas expectativas.

Em tais projetos, os membros da equipe devem se comunicar livremente, compartilharem conhecimentos e habilidades, compreenderem e respeitarem a inteligência emocional de cada um, serem capazes de aprender uns com os outros, compartilharem recursos, serem flexíveis e terem objetivos em comum – todas as qualidades de uma cultura colaborativa forte.

Como as empresas podem capacitar suas equipes de modo a se tornarem fortemente colaborativas?

Se você quer saber realmente o que faz uma empresa ser muito bem sucedida, então leia as 6 dicas que preparamos para você sobre como construir uma cultura de colaboração mútua em sua empresa.

1º Defina expectativas realistas

  • Por que a equipe foi criada?
  • Cada membro da equipe compreende seu papel?
  • Eles compreendem suas tarefas?

Quando as expectativas não estão claramente definidas e os papéis não são muito bem definidos e compreendidos, a equipe não é capaz de se concentrar nas tarefas e objetivos da empresa.

O sucesso da equipe depende de expectativas realistas

Para transformar um grupo de estranhos em uma equipe unida, você como gestor, precisa permitir que a equipe participe ativamente de sua formação e tomadas de decisão. Dê-lhes também a oportunidade para apresentarem suas ideias e fundamentalmente, dê apoio às mesmas.

2º Crie uma liderança forte

O fracasso ou sucesso em colaborar reflete a liderança da empresa.

Se os líderes e gerentes possuem uma abordagem inovadora para a formação de equipes, demonstram comportamento colaborativo, apoiam à criatividade e as relações sociais, as equipes são focadas e eficientes, conseguem resultados expressivos e o seu desempenho é excelente.

Líderes inovadores, que são solidários, flexíveis, orientados a tarefas e relacionamentos, lideram as equipes mais produtivas.” 

 3º Estimule um ambiente de confiança mútua

Inovação e criatividade prosperam quando as pessoas confiam umas nas outras e têm confiança em sua organização.

Sempre há certo risco envolvido na inovação, pois algumas ideias e sugestões podem parecer irrelevantes, ridículas e até estúpidas.

“Para que sua equipe se comunique livre e facilmente, é preciso construir um ambiente de confiança”

Se os funcionários não se sentem confiáveis e respeitados, eles não serão participativos e também não irão compartilhar suas ideias.

O medo de ser ridicularizado é uma grande barreira para a inovação e o sucesso empresarial. Se você promover a autonomia da equipe, você estará apoiando sua equipe a descobrir novas maneiras de atingirem suas metas.

Enquanto a autonomia pode resultar em erros de execução e erros de julgamento, é essencial ter uma equipe que esteja pronta para aprender com seus erros e ineficiências.

4º Apoie o espírito comunitário

Empresas bem-sucedidas compreendem a importância de promover e reforçar a ideia de que uma empresa é uma comunidade, uma família.

A importância das atividades de construção de equipes, redes informais ocasionais e atividades aleatórias e de alívio do estresse são muitas vezes subestimadas. O networking informal e formal desempenha um papel crítico no cultivo do espírito de equipe. Através dessas atividades, a empresa estará construindo uma comunidade forte. Além disso, uma comunidade forte e unida capacita e motiva a criatividade.

 5º Invista nas habilidades e nos conhecimentos de seus funcionários

A empresa que apoia seus funcionários através de seminários, orientação, treinamentos, mentorias e participação em conferências e eventos relevantes, capacita o comportamento colaborativo, apoia a comunidade e promove o ambiente no qual as pessoas sabem que podem se destacar. Essa política da empresa é especialmente importante para o trabalho em equipe.

“Os funcionários mais produtivos são aqueles prontos para aprender e melhorar sempre sua atuação em seu campo de interesse.”

Agindo assim, você terá uma equipe altamente motivada para participar ativamente e contribuir para o sucesso do negócio.

6º Invista em tecnologia colaborativa

O que acontece quando você tem uma equipe que quer colaborar, compartilhar conhecimento e se comunicar livremente, porém não possui meios para que isso aconteça?

Hoje, a tecnologia colaborativa é crucial para uma comunicação eficaz. Uma equipe pode ter uma cultura colaborativa, mas ainda lhe faltam as habilidades necessárias para se trabalhar em ferramentas colaborativas. Investir em treinamento e na tecnologia que realmente se adapte às necessidades de sua equipe e as tarefas que estão executando, é o primeiro passo para a criação de uma cultura colaborativa eficiente.

O fortalecimento do espírito colaborativo em sua equipe depende de uma série de fatores, como, atitudes colaborativas da liderança, habilidades de comunicação, confiança mútua e um cenário realista e bem estruturado, onde cada um entenda efetivamente o seu papel.  Entretanto, o mais importante é entender que desenvolver as capacidades da sua equipe leva tempo e investimentos de longo prazo.

Agora que você se conscientizou sobre a importância de incentivar e proporcionar condições para a criação e fortalecimento de um ambiente colaborativo em sua empresa, que tal colocar essas dicas em prática?

Você precisa entender que as empresas precisam se ajustar ao ambiente de negócios que mais lhes trazem resultados!

Construir um ambiente de trabalho colaborativo é um processo de longo prazo. 

Pense nisso e muito sucesso!

8 dicas para manter as finanças de uma pequena empresa sempre em dia

Gerenciar uma pequena empresa é um grande desafio, especialmente quando o assunto é: MANTER AS FINANÇAS SEMPRE EM DIA!

Dizem que no Brasil o ano só começa após o Carnaval. Pois bem, o Carnaval já passou, o novo já está em curso e nós já estamos finalizando o 1º trimestre de 2017. O tempo passa rápido meu caro empreendedor! Por isso, resolvemos dar a você, que é um pequeno empresário e enfrenta todos os dias o desafio de gerir uma pequena empresa, 8 dicas que irão ajudá-lo a manter as finanças do seu negócio em “excelente forma”.

Vamos tomar apenas 4 minutos do seu tempo, mas que valerão muito à pena se você seguir essas dicas. Boa leitura!

  1. Faça um planejamento financeiro realista

Se você abriu sua empresa em 2016 ou este foi o ano em que você finalmente começou a expandir seus negócios, talvez você ainda não tenha um planejamento financeiro detalhado e bem ajustado às suas reais necessidades do negócio. Porém, uma vez que você já tem uma ideia da média mensal de suas contas a pagar e contas a receber, você já pode criar uma projeção orçamentária realista para definir um planejamento financeiro bem ajustado às suas necessidades do novo ano calendário. Se você já tem um planejamento financeiro configurado para este ano, não se esqueça de sempre revisá-lo, e se for necessário ajustes, faça-o sempre que possível, para que você esteja sempre ciente do real estado da saúde financeira do negócio.

  1. Saiba lidar com um fluxo de caixa negativo

Um fluxo de caixa negativo pode gerar sérios problemas para uma pequena empresa. Sendo assim, você precisa colocar como prioridade zero neste novo ano mudar este cenário e reverter esta situação.

Acabar com a inadimplência pode ser o primeiro passo para manter o coração de sua pequena empresa (seu financeiro) sempre com batimentos bem compassados e firmes. Para fazer isso, chame seus clientes para um bate-papo amigável, negocie prazos de pagamento mais adequados, considere talvez abrir mão de juros e multas sobre as parcelas vencidas e dê a oportunidade ao seu cliente de se tornar adimplente novamente. Mostre aos seus clientes que vocês são parceiros e estão no “mesmo barco”. Você vai ver que isso pode fazer uma grande diferença para tornar o seu fluxo de caixa positivo novamente.

  1. Invista em um bom sistema de gestão

Existe uma variedade muito grande de sistemas de gestão para pequenas empresas disponíveis no mercado. Isto significa que nunca foi tão fácil manter suas finanças organizadas e em dia. Um sistema de gestão adequado ao seu tipo de negócio irá facilitar seu controle sobre suas despesas e recebimentos, lhe trará ciência sobre a situação de adimplência de seus clientes. Isso, com certeza, lhe trará uma visão holística das finanças de sua empresa.

Opte por sistemas online, para que você tenha acesso aos dados de gestão de sua empresa de onde você estiver.

  1. Cuidado com seus limites de crédito

Muitas empresas de pequeno porte utilizam cartão de crédito e possuem linhas de financiamento junto às instituições financeiras, e muitas vezes se valem desses recursos para “equilibrar” o fluxo de caixa. Se este for o seu caso, é importante que você nunca exceda seus limites, pois isso pode ter um efeito negativo sobre seu “score” (pontuação de crédito) junto às estas instituições e pode prejudicar suas chances futuras de obter outros tipos de financiamento empresarial, como um empréstimo para custear uma inovação ou ampliação de sua estrutura, por exemplo.

Controlar seus gastos é muito importante, pois, se regularmente você ultrapassar seus limites de crédito, mesmo que você consiga regularizar sua situação, as instituições financeiras entenderão que você está com dificuldades em seu fluxo de caixa e dificultarão a cessão de novos créditos quando necessário.

Em um mundo ideal, o negócio teria sempre que ter reservas de recursos financeiros aplicados para momentos de dificuldade. Naturalmente, esta não é a realidade de 99% das pequenas empresas no Brasil e os custos inesperados estão a todo o momento adulterando o planejamento financeiro.  Por isso, é muito importante manter uma “bandeira verde” para suas linhas de crédito em momentos de dificuldades ou expansão.

  1. Tenha um planejamento tributário

Na mesma linha, é muito importante que você tenha em seu planejamento financeiro a inclusão de seus impostos a pagar. O planejamento tributário irá definir o melhor regime de apuração, quais os tipos e quando você devera recolher estes impostos de acordo com a sua atividade. Para que seu orçamento seja preciso, você precisa ter ciência da situação fiscal de sua empresa. Portanto, é muito prudente e sábio ter um planejamento tributário bem estruturado para que sua empresa esteja sempre em dia com o fisco e evite a descapitalização desnecessária com multas e autuações.

  1. Pare de misturar despesas pessoais e empresariais

Uma das melhores estratégias de gestão financeira para uma pequena empresa é nunca se misturar as despesas pessoais dos sócios com as despesas da empresa. Isso traz um nível de organização e um controle exato da situação da empresa, e mais, contabilmente aumenta a credibilidade da empresa junto a possíveis credores e investidores.

  1. Mantenha uma organização dos arquivos financeiros

Existem muitas razões para se manter, de forma rigorosa, a organização dos arquivos financeiros de uma pequena empresa. Porém, a razão mais importante é que ao se manter uma organização e atualização de todas as contas de gerenciamento do negócio em dia, você terá uma visão clara de onde você realmente está, o que pode ajudá-lo, por exemplo, a obter um financiamento empresarial rapidamente, se você precisar.

Embora muitas empresas esperem o final do ano calendário para organizar seus arquivos financeiros, se você criar uma rotina de organização mensal ou pelo menos bimestral, você terá sempre uma visão realista da saúde financeira do negócio e demonstrativos contábeis/financeiros precisos e atualizados, caso precise apresentá-los a um investidor ou credor.

  1. Contrate uma Assessoria Contábil  

Desde os dias do ábaco, contadores são considerados profissionais confiáveis e são respeitados e tratados como os melhores aliados dos proprietários de pequenas empresas bem-sucedidas em todos os lugares do mundo. O profundo conhecimento da profissão, bem como das leis tributárias vigentes no país por parte destes profissionais, sempre ajudarão as empresas a economizarem em vários aspectos financeiros, e isto é uma realidade irrefutável.

Sabemos o quão tentador pode ser para um empreendedor ser o “salvador da pátria” e querer executar todas as tarefas de sua empresa sozinho, bem como, resolver todos os seus problemas corporativos. Porém, quase sempre isto é um verdadeiro desastre para o negócio. É preciso contar com o auxílio de especialistas em cada área, principalmente em se tratando de contabilidade e finanças.

O contador será o responsável por confeccionar, através da análise de dados, o planejamento tributário citado na dica 5 deste post, o que o ajudará a economizar em impostos e o manterá livre da mira do Fisco. Ele também será o responsável por cobrá-lo de manter uma organização das contas de gerenciamento financeiro para que suas demonstrações contábeis estejam sempre atualizadas, o que fará com que você esteja sempre muito bem informado sobre a saúde financeira do negócio durante todo o ano.

Para que as finanças de sua pequena empresa estejam sempre em dia, necessariamente você precisa contar com o apoio de um contador.

Conclusão

Embora ser dono de próprio negócio e poder gerenciá-lo da forma que melhor lhe convir possa lhe parecer ser “um sonho de liberdade emocionante”, também pode se tornar uma “nevralgia crônica”, especialmente quando se trata do gerenciamento financeiro de modo a tornar o negócio rentável e lucrativo.

Por isso, não deixe seu negócio sofrer devido à má gestão das finanças. Mantenha as dicas acima sempre em mente, procure segui-las com regularidade e garanta a sua empresa um futuro brilhante.

Conte sempre com um contador!

Até a próxima!