Conheça o eSocial e prepare-se para ele!

Sempre sonhou com um sistema que coloca todas as informações relacionadas aos deveres do empresário para com os seus funcionários de forma simples e ágil? Saiba que isso já é uma realidade! Conheça o eSocial!

Criado pelo governo federal, esse sistema tem como objetivo trazer todas as informações relacionadas aos trabalhadores para o ambiente digital, o que tornaria todo o processo de conferência e de realização das obrigações fiscais mais ágil e prático.

Apresentando o eSocial

Basicamente, o eSocial é uma plataforma que visa a eliminação de potenciais divergências no que diz respeito aos trabalhadores. Dados como a Folha de Pagamento, números e documentos de identificação como Cadastro de Pessoa Física (CPF) e o Número de Identificação Social. Com o sistema, é possível minimizar e até eliminar erros cometidos em processos manuais, seja na hora de admitir ou demitir um funcionário. Além disso, o eSocial engloba tudo que diz respeito aos direitos dos trabalhadores, questões como a previdência e tributária.

A plataforma, como já mencionado, tem como objetivo aumentar a confiabilidade das informações geradas pelas empresas sobre os seus empregados, assegurando direitos e agilizando processos.

E, ao contrário de algumas informações desencontradas que podem ser obtidas pela internet, o eSocial não muda as obrigações do empregador, apenas as coloca em um sistema informatizado. Logo, tudo que já é registrado pela empresa continuará sendo guardado, mas em um ambiente digital.

O que constará no sistema?

Toda e qualquer informação relacionada ao FGTS, além de tudo que diz respeito ao trabalho, como: admissão, demissão, avisos prévios , licenças , acidente no trabalho, férias, ajustes salariais, folha de pagamento, retenção e seguridade social, inscrição do trabalhador e IRPF retido.

O que o empresário precisa fazer para se preparar?

O empresário deverá revisar todo e qualquer arquivo de trabalho, a fim de corrigir qualquer divergência em potencial nesses arquivos. As informações no eSocial deverão ser lançadas pelos departamentos de Recursos Humanos ou Finanças da empresa. Se houver um aumento de salário para os empregados, se forem registrados pedidos de licença ou se houverem promoções de cargo, deverão ser registrar as as informações no eSocial.

Com exceção de informações lançadas em regime mensal, como folhas de pagamento e segurança social, os dados relacionados a outros acontecimentos como os já citados deverão ser lançados logo após a sua ocorrência.

Agora, todo trabalhador registrado em regime CLT poderá ter os seus direitos garantidos, conforme o cumprimento das atividades do empregador, que deverá lançar todas as informações requeridas.

Estar em dia com o eSocial também é uma garantia de segurança para a empresa, já que o não cumprimento das regras pode levar à aplicação de multas e outras penalidades.

Portanto, não deixe de se adequar a esse novo sistema e garanta que o seu negócio estará dentro dos conformes requeridos pelo governo federal no próximo ano.

Agora, você sabe tudo o que precisa sobre o eSocial! Compartilhe as informações e prepare-se. Em caso de dúvidas, entre em contato conosco! Será um prazer ajudá-lo!

Sucesso e até a próxima!

Conheça atividades físicas corporativas para ajudar a saúde do trabalhador

Você conhece a importância das atividades físicas corporativas?

Na hora de atuar no mercado, a empresa deve compreender a necessidade de atuar de maneira preventiva e ao mesmo tempo motivadora, no sentido de estimular uma maior produtividade da sua equipe de trabalho.

Sem sombra de dúvida, quando o trabalhador atua de forma ininterrupta em suas funções, passando muito tempo na produção, isso pode gerar grandes complicações, não só físicas, mas também psicológicas, além de resultar em baixa produtividade, já que corpo e mente facilmente se desgastam!

Por exemplo, um funcionário que fica muito tempo sentado pode acabar tendo problemas nas pernas e, se estiver com uma postura errada, ainda sofrerá com dores nas costas, pescoço e ombros.

Para que seja possível evitar tudo isso, é necessário que os gestores de RH invistam na qualidade de vida dos funcionários nas empresas.

Mas, como fazer isso? A resposta é bem simples: através das atividades físicas corporativas que servem para cuidar a saúde do trabalhador!

O que é a qualidade de vida no trabalho?

A qualidade de vida no trabalho, ainda conhecida como QVT, é um movimento gerado com o intuito de oferecer ao trabalhador, uma satisfação maior com relação ao seu trabalho e também com o meio corporativo do qual ele faz parte.

A proposta é bem simples: gerar uma promoção da boa interação entre empresa, funcionários e no bom atendimento ao cliente, mas também na relação com seus superiores e nas áreas onde exercem suas atividades, fazendo com que haja uma melhora nas capacidades individuais.

A qualidade de vida no trabalho não gera benefícios somente para o colaborador, mas também para a organização da qual ele faz parte.

Por isso, as atividades físicas corporativas se fazem essenciais!

Ginástica Laboral (GL)

A ginástica laboral é formada por vários exercícios, que, por sua vez, são baseados em técnicas de:

  • Respiração;
  • Controle de postura;
  • Alongamento;
  • Compensação dos músculos que são mais utilizados;
  • Percepção corporal.

Ela pode ser feita tanto no próprio ambiente de trabalho do colaborador, como também de forma individual ou em grupo.

De forma geral, a empresa contrata um profissional que seja capaz de avaliar e orientar sobre que tipo ou quais tipos de exercícios são precisos, aplicando-os da melhor maneira possível, seguindo assim um programa diário ou semanal, juntamente com os funcionários.

Benefícios das atividades físicas corporativas para sua empresa

  • Minimiza os problemas de saúde no trabalho e, consequentemente, diminui o número de ausências do colaborador gerados por problemas de saúde;
  • O funcionário se sentirá mais disposto e assim, ganhará um aumento considerável de produtividade na organização;
  • Mais disposição por parte do trabalhador para iniciar ou retomar seu trabalho;
  • Diminuição do número de acidentes que acontecem no trabalho, principalmente devido à fadiga;
  • Diminuição de despesas com serviços médicos por parte da empresa;
  • Criação de um ambiente de trabalho mais saudável e propício à produção, estimulando um clima organizacional mais positivo;
  • Ganho de vantagem competitiva diante de outras empresas, diminuindo o turnover de colaboradores.

O que o colaborador ganha com isso?

  • Possibilidade para melhor condicionamento físico;
  • Melhor prevenção de doenças;
  • Menor fadiga dos músculos;
  • Diminuição na incidência de patologias e casos de L.E.R. e D.O.R.;
  • Menos stress;
  • Aumento na massa magra;
  • Redução de percentual de gordura;
  • Ter medidas reduzidas.

Fazer um investimento na qualidade de vida e na saúde dos seus profissionais traz um enorme diferencial para a sua empresa, além de fazer com que ele reconheça que sua empresa está fazendo tudo em prol dele e para o bem dele.

Os resultados serão bem melhores e mais duradouros com a implementação de uma rotina de atividades físicas no ambiente corporativo. Com essa rotina de atividades físicas corporativas, os funcionários agregarão ainda mais valor à empresa, tornando seus resultados bem melhores.

Se ainda tiver dúvidas ou precisar de ajuda, fale com a gente! Nós podemos te ajudar com todos os processos financeiros necessários para que você tenha os benefícios das atividades físicas corporativas dentro do seu negócio! Torne seus colaboradores mais produtivos e proporcione maior qualidade de vida!

Sucesso e até a próxima!

5 filmes para empresários – motive-se para o sucesso!

Você, que deseja empreender ou já é um empresário, precisa assistir esses filmes com lições de empreendedorismo!

Hollywood é um mercado muito amplo, cujos produtos atendem públicos diversos e preenchem necessidades diferentes, ainda que o entretenimento seja a principal função. Separamos 5 filmes para empresários, para que você possa se inspirar e ter sucesso!

Um empresário de sucesso vê a possibilidade de aprender através de fontes diversas, absorver conteúdos de múltiplos formatos e aplicar novas técnicas, sem discriminar nenhuma delas.

Por isso, se você deseja ser um bom empresário, saiba que é possível aprender e se entreter ao mesmo tempo, tudo através de alguns filmes para empreendedorismo muito interessantes e com mensagens bastante importantes!

Vamos começar?

1  – Tempos Modernos (1936)

Sem dúvida alguma, um clássico. Charles Chaplin interpreta um operário de uma fábrica, em uma época onde o trabalho ainda era bem primitivo, pesado e com sérios impactos negativos na vida do trabalhador.

n1

Apesar de representar a imagem de um período onde a indústria norte americana era completamente diferente do que é hoje, o filme mudo ainda traz lições importantes sobre o ambiente empresarial, a forma como o trabalho é conduzido e como o trabalhador reage a tudo isso.

2 – O Lobo de Wall Street (2013)

Apesar do personagem de Leonardo DiCaprio ser corrupto e construir o seu negócio sobre farsas e crimes, este filme de Martin Scorsese nos passa uma mensagem muito interessante, seja você um vendedor, um empreendedor ou um empresário.

Essa mensagem é: nunca aceite um não como resposta (no trabalho, é claro)!

Significa que você deve persistir e não deixar os desafios te derrubarem, não importa o tamanho deles.

n2

E essa é justamente uma das bases do empreendedorismo, que requer bastante resiliência por parte do empreendedor.

Além de ser um ótimo filme e contar com um elenco incrível, é interessante ver como alguém pode ir da base ao topo e ter seu negócio em ruínas por conta dos seus erros.

3 – A Rede Social

Esse é um dos filmes para empresários que mais se destacam! O longa conta a história por trás da criação do Facebook por Mark Zuckerberg e Eduardo Saverin.

n3

Há muitas controvérsias, principalmente por conta da postura de Zuckerberg em relação ao seu parceiro e aos usuários da sua rede social.

Contudo, podemos aprender bastante com tudo isso. Após você assistir ao filme, certamente irá questionar a si mesmo sobre o que é ser um empreendedor de sucesso – ter visão para fazer uma ideia funcionar ou ter uma ideia incrível?

O longa retrata muito bem a realidade do que significa empreender e a necessidade de abrir mão de certas coisas, principalmente no que diz respeito às escolhas que devem ser realizadas para fazer o negócio dar certo.

4 – Forrest Gump – O Contador de Histórias (1994)

Esse é um daqueles filmes que parecem completamente absurdos. E ele é! Mas a lição aqui não chega pela história ser ou não ser crível, mas sim porque um empresário de sucesso precisa acreditar no que faz e dar o seu melhor para todas as atividades.

Gump não conquistou tanta coisa durante a trama do filme porque ele era um empresário de sucesso ou porque sabia vender o seu peixe muito bem, mas sim pela sua honestidade e pela forma como ele se dedicava a tudo que fazia. Uma ótima pedida para quem deseja aprender mais sobre empreendedorismo com filmes!

n4

Sem dúvidas, uma grande lição de Marketing e Gestão, e que faz com que Forrest Gump seja um dos melhores filmes para empresários, mesmo não tendo qualquer base na realidade!

5 – Piratas da Informática: Piratas do Vale do Silício (1999)

O longa traz a história da fundação de duas grandes empresas da tecnologia, Microsoft e Apple.

É uma história que mistura ficção e realidade, aplicando toques dramáticos à trama.

n5

É interessante entender o que levou Steve Jobs e Bill Gates a fundarem as suas empresas e os desafios que eles tiveram de enfrentar ao, praticamente, criar um mercado completamente novo.

Essa é uma história de inovação, e se você quiser inovar e ter sucesso, esse é um dos filmes para empresários que não podem faltar no seu repertório.

Agora que você já conhece esses 5 filmes para empreendedores, gestores e empresários em geral, já pode assistí-los e buscar inspirações para aplicar na sua vida profissional.

Conhece mais algum além destes? Tem alguma dúvida? Entre em contato conosco!

Vamos conversar e descobrir formas de tornar o seu negócio mais produtivo e lucrativo.

Sucesso e até logo.

Como expandir a empresa para fora do país com a Gestão de Multinacionais

Gerenciar uma multinacional não é uma tarefa fácil. É preciso ter um controle total sobre todas as ações que você precisa realizar, e ainda lidar com múltiplas diferenças!

Para saber como expandir a empresa para fora do país, é preciso compreender as divergências de idioma, de fuso-horário e de culturas, que podem fazer com que um gestor tenha muitos problemas ao tomar decisões a ao comandar seu negócio.

A gestão de multinacionais é algo que tem se tornado comum. As fronteiras geográficas não se aplicam aos empreendimentos de hoje em dia, devido à internet. Mas, ao mesmo tempo, alguns desafios surgem neste caminho. E, para isso, é necessário estar sempre atento, para evitar que imprevistos prejudiquem as suas estratégias de mercado.

Como lidar com culturas diferentes

Cada país tem sua própria cultura, seu jeito de negócios e de estabelecer parcerias. Esses valores diferentes influenciam diretamente na forma de pensar em uma organização. E isso interfere também na movimentação financeira presente entre duas empresas.

Uma ideia seria criar programas de computador para a gestão de multinacionais. Com isso, uma empresa interessada em se internacionalizar saberá como se portar diante de um potencial cliente de outro país – de acordo com as culturas da nação ao qual ele representa.

Além disso, há também a questão do fuso-horário, o maior desafio na gestão de multinacionais. Caso não seja possível negociar com um cliente internacional em uma reunião direta e presencial, reuniões precisam ser marcadas em horários que agradem as duas partes. E com isso, podem ser realizadas durante a noite ou madrugada, dependendo do local onde está o cliente.

Um exemplo: se uma empresa do Brasil for negociar com uma empresa do Japão (onde são 12 horas de diferença de fuso), em reuniões com gestores dos dois países, um destes terá de se reunir no horário da noite, e o outro durante o início da manhã, em um horário acessível para ambas as partes.

E se o idioma for muito diferente?

Existem milhares de idiomas falados e praticados no mundo inteiro. Felizmente, existem aquelas línguas que estão se tornando uma unanimidade quando se trata de negociações, como o inglês, por exemplo. Mas também existem aquelas empresas que preferem negociar no seu idioma de origem, por questões relacionadas com a sua cultura.

Portanto, falar mais de um idioma é um bom passo para a gestão de multinacionais. O inglês é muito importante, mas aprender um pouco de espanhol, alemão, francês e também o mandarim (língua mais falada do mundo) pode fazer a diferença em um momento tenso de negociação.

Em último caso, ter um tradutor pode fazer a diferença. Dessa forma, se evita o risco de que algo não seja bem compreendido, e todas as partes possam então se ajudar e formalizar algum tipo de parceria.

Gerir multinacionais não é fácil, mas pode dar certo

Os primeiros caminhos para quem está internacionalizando uma empresa podem não ser tão fáceis, mas é possível superar os desafios da gestão de multinacionais. O mais importante de tudo é ter foco em seus objetivos, a fim de aprimorar o seu negócio cada vez mais!

Você tem alguma dúvida? Entre em contato conosco! Será um prazer falar com você e ajudar na expansão do seu negócio!

COMO CAPTAR MAIS CLIENTES SEM INVESTIR MUITO?

Se você quer vender seus serviços ou produtos e captar mais clientes, está no lugar certo! No post de hoje aprenderemos a dica suprema, capaz de trazer um ótimo retorno para o seu negócio. Sem truques, sem mágica. É trabalho!

Toda empresa tem como foco aumentar a sua lucratividade e manter a competitividade do negócio. Isso é um fato inegável. Para isso, saber como captar mais clientes é essencial.

Contudo, não são poucos os empreendedores a ficarem “malucos” para descobrir qual é a mágica, o truque ou o segredo que os ajudará a conseguir mais público para comprar os seus produtos e serviços.

O pior de tudo é que existem centenas de sites, pessoas, canais do YouTube e similares, que vendem essa ideia de que há alguma fórmula mágica para fazer isso. Apostar nessas técnicas é um erro!

E se você já tivesse uma forma efetiva para captar clientes dentro da sua empresa?

UNIFIQUE A SUA EMPRESA

Pode parecer clichê dizer que uma empresa precisa trabalhar como uma unidade, formar um time e partir para o ataque de forma unida. Entretanto, essa ainda é a forma mais efetiva de captar mais clientes.

Mas por que tantas empresas sofrem para encontrar “o grande segredo”? Não é incomum que os empresários pensem em vender mais e mais, sem haver um foco em manter a clientela que já está no seu negócio. E esse é o primeiro passo para captar mais clientes para a empresa.

Um negócio de sucesso é uma empresa que pensa nos clientes que já existem, ao explorar formas de aprimorar os produtos ou serviços entregues, sem deixar de investir em formas de captação e de disseminar a imagem da sua marca.

Para que isso aconteça e funcione de forma efetiva, os vendedores, a equipe do atendimento e todos os funcionários precisam estar alinhados quanto às necessidades e os desejos do cliente, bem como as suas expectativas!

Imagine que um vendedor promete algo que foge daquilo que é oferecido pela empresa. O cliente estará esperando um produto ou serviço, alguma forma de atendimento diferenciada e, quando chega o momento, o que foi prometido não é obtido.

Não é possível pensar que isso representa uma vergonha ou qualquer tipo de constrangimento. Esse é o menor dos problemas! Quando uma promessa não é cumprida, há a quebra na confiança.

E a confiança é um dos alicerces para que você possa vender os seus serviços!

E como evitar esse tipo de situação? Alinhe a sua equipe para que todos tenham completa certeza daquilo que a empresa deve oferecer.

Dessa forma, fica mais fácil fazer um controle de qualidade, quanto todos os colaboradores se unem em prol da melhoria dos processos, produtos e serviços. O cliente se sentirá muito mais satisfeito e melhor atendido. Coloque o trabalho em equipe para valer!

NÃO VENDA PRODUTOS OU SERVIÇOS, ENTREGUE BENEFÍCIOS!

Uma empresa é mantida pelo dinheiro obtido pela venda de produtos ou serviços, não é mesmo? Mas para captar mais clientes, é necessário investir em alternativas.

O consumidor moderno não se interessa mais somente pela oferta de produtos e serviços, mas sim pelas vantagens que são oferecidas.

Na hora de buscar por algo que solucione os seus problemas, o caráter de desempate será os benefícios oferecidos pelo seu negócio.

E, talvez, esse benefício seja apenas uma caneta. Em alguns casos, tudo que você precisará para obter mais clientes é entregar um brinde. Contudo, isso não irá funcionar sempre.

Quer saber o que funciona sempre para captar mais clientes?

Então, você precisará transmitir uma mensagem para o seu público: “eu não ofereço produtos ou serviços, eu lhe darei a solução para os seus problemas!”

Porque é isso que o consumidor precisa – de soluções.

Então, alinhe a sua equipe quanto a isso, faça testes, coloque seus vendedores em contato com os clientes e com as suas oportunidades de venda, e incentive uma comunicação diferenciada, voltada para a empatia e para a resolução de problemas.

Através desse método, mesmo que a venda não aconteça, a marca ficará na memória da pessoa, que eventualmente fará propaganda gratuita para você.

Quer captar mais clientes? Então trabalhe na qualidade dos seus serviços e a eleve ao topo!

Dessa forma, você poderá vender mais produtos e serviços, tornando-se uma verdadeira referência no seu ramo de atuação.

Se você tiver qualquer dúvida, pode entrar em contato conosco. Será um grande prazer conversar com você!

Na próxima semana, trataremos de mais temas úteis para a sua empresa. Não perca!

Sucesso e até mais!

COMO ACABAR COM A DESMOTIVAÇÃO NO TRABALHO DE UMA VEZ POR TODAS?

Há quem diga que não há como acabar com a desmotivação no trabalho, já que é algo passageiro, que depende de “diversos fatores externos”.

Contudo, podemos afirmar que isso não é verdade. A motivação e a desmotivação não são coisas passageiras, muito menos causadas por fatores externos!

Há, é claro, aqueles momentos em que nos sentimos felizes ou tristes por conta de assuntos pessoais e esses estados emocionais interferem no desempenho do trabalho. Nesse caso, estamos falando de estados de espírito temporários, que nada têm em comum com a motivação e a desmotivação no trabalho.

E, antes de descobrirmos como acabar com a desmotivação no trabalho e manter um ambiente positivo e propício a motivar os colaboradores, precisamos descobrir o que são os seguintes termos:

  • Fatores Desmotivacionais;
  • Fatores Motivacionais;
  • Higiene no trabalho.

OS FATORES DESMOTIVACIONAIS

Esses são os grandes causadores da desmotivação. Os fatores desmotivacionais podem estar presentes em qualquer ambiente, relação ou produto.

Com isso, podemos compreender que absolutamente qualquer coisa pode apresentar fatores desmotivacionais, que nada mais são que elementos desagradáveis, responsáveis por prejudicar a apreciação de algo ou trazer um estado de espírito negativo para alguém.

Exemplos de fatores desmotivacionais na vida pessoal:

  • Dificuldades financeiras;
  • Problemas no relacionamento;
  • Falta de perspectiva.

E no trabalho:

  • Metas inalcançáveis;
  • Desrespeito;
  • Falta de valorização;
  • Salário abaixo da média;
  • Má gestão;
  • Impossibilidade de comunicação com colegas durante o expediente.

E há muitos mais! Os fatores desmotivacionais representam um grande risco para os resultados da empresa, já que prejudicam a produtividade e a retenção de colaboradores dentro do negócio.

Enquanto os fatores desmotivacionais existirem, é simplesmente impossível acabar com a desmotivação no trabalho de uma vez por todas.

OS FATORES MOTIVACIONAIS

São elementos que causam felicidade e trazem um bom estado de espírito para os colaboradores.

Não é incomum que esses elementos sejam aplicados para remediar a desmotivação. Normalmente, quando isso acontece, o processo de motivar os funcionários não traz resultados a longo prazo, tendo um efeito limitado a períodos de tempo menores.

Alguns fatores motivacionais podem incluir:

  • Bonificações;
  • Viagens;
  • Férias.

Agora, vamos entender o porquê de esses fatores motivacionais não serem efetivos!

COMO ACABAR COM A DESMOTIVAÇÃO NO TRABALHO

Quando buscamos entender como acabar com a desmotivação no trabalho, acabamos esbarrando na ideia de que a melhor forma de mudar a situação é motivar os colaboradores.

Isso acontece porque a gestão da empresa não costuma explorar os fatores desmotivacionais a fundo, ou sequer compreender a sua existência. O resultado é um velho conhecido: a tentativa frustrada de motivar a equipe e o retorno da desmotivação em um período de tempo não muito longo.

Mas, qual é a melhor forma para acabar com a desmotivação no trabalho de uma vez por todas?

A resposta é mais simples do que aparenta e, inclusive, já foi prevista por Frederick Herzberg, autor da teoria dos dois fatores.

Segundo ele, para acabar com a desmotivação no trabalho, primeiro é necessário remover todos os fatores desmotivacionais do ambiente, para só então começar a trabalhar no desenvolvimento da motivação.

Significa que, para começar a motivar um funcionário de forma realmente eficaz, é preciso que o colaborador esteja em um ponto de equilíbrio, um estado de neutralidade.

Só assim será possível aplicar a desmotivação. Mas como fazer isso?

A HIGIENE NO TRABALHO

O conceito de higiene no trabalho não representa, necessariamente, limpar a sujeira. Ainda assim, o nome ilustra a necessidade de realizar uma limpeza, removendo todos os fatores motivacionais ou elementos que poderão vir a causar essa sensação nos colaboradores.

É preciso haver uma pesquisa antes de começar a fazer a limpeza do ambiente de trabalho, compreendendo o que desmotiva cada um dos seus funcionários ou departamentos, garantindo assim mais precisão no processo.

Para isso, será preciso investir na comunicação com os colaboradores e na criação de uma relação mais estreita e transparente, visando o benefício da empresa e das pessoas que ali trabalham.

Que tal começar a aplicar o que aprendeu hoje e acabar com a desmotivação no trabalho de uma vez por todas?

Em caso de dúvidas, entre em contato conosco!

Eu preciso abrir uma holding?

Hoje, falaremos dos benefícios de abrir uma holding. Leia e descubra se o seu negócio se encaixa com o que iremos descrever!

Com a finalidade de constituir um elo entre o empresário, sua família e seu grupo patrimonial, a holding traz muitos benefícios para todos no sentido de organizar o patrimônio e preparar herdeiros para futura sucessão da empresa familiar.

Suas ações tendem a elaborar um melhor controle das empresas filiadas e das empresas familiares, planejamento de plano sucessório em vida e distribuição igualitária do patrimônio precursor.

Como identificar a necessidade de abrir uma holding?

As melhores vantagens de abrir uma holding são a facilidade de transmissão da herança e detenção de conflito familiar e societário.

Pense de uma forma clara e objetiva: na minha ausência, como ficarão meus familiares? Como eles irão se comportar? Quem irá tomar conta dos negócios? Eles irão saber como tudo funciona na empresa?

Se essas questões costumam tirar seu sono ou apenas rondam seu pensamento em um ou outro momento, pode ser um sinal para que as coisas tomem um rumo planejado e organizado para lhe trazer tranquilidade em todos os âmbitos.

Os benefícios de abrir uma holding

holding familiar vai auxiliar nesse sentido, trazendo uma separação entre grupo familiar e sociedade operacional, de forma a impedir que qualquer conflito na família afete os seus negócios.

Buscando eficácia nestas inscrições, é de grande importância a despersonalização do negócio familiar. Sabendo que a sociedade empresarial precisa de um bom planejamento prévio, fica então subentendido que evitar conflitos familiares significa evitar prejuízos, visando ampliar a longevidade do empreendimento.

Neste sentido, a holding familiar servirá como um instrumento de planejamento patrimonial muito interessante, que evita conflitos, auxilia em um processo de sucessão sutil e mantém o equilíbrio dos negócios.

Para que se tenha uma ideia melhor do que está sendo apresentado, demonstramos algumas razões para a formação da holding como:

  1. Manter ações e cotas de outras sociedades;
  2. Solucionar problemas de ordem administrativa, inclusive treinando futuros sucessores e profissionais da empresa;
  3. Resolver problemas de herança, com especificações de sucessores na sociedade;
  4. Benefícios tributários;
  5. Administração concentrada de bens e imóveis, resguardando patrimônios, empresariais ou familiares;

Ao aderir a uma forma contratual de ajustar as necessidades da empresa, seja esta uma sociedade limitada ou autônoma, ou algum dos outros tipos societários existentes, todos eles devem se encaixar ao processo judiciário.

A título de conhecimento, as sociedades limitadas são contratuais, que tem fator impactante, o mútuo reconhecimento e aceitação dos sócios. Nesse caso, as sociedades são constituídas essencialmente em função das pessoas.

Isso é extremamente relevante para a holding, principalmente em contextos familiares, em razão de ser montada normalmente por pessoas de uma mesma família.

Já as sociedades anônimas apresentam uma função de capital a ser investido, e costumam ter facilidade na transição das suas ações. É recomendado  que você opte por um capital fechado, pois suas ações não ficarão à disposição do mercado, evitando o risco de perdê-las

Como tomar a decisão?

Tenha em mente que fazer isso sozinho não será algo fácil! Conte com um profissional que, além de tirar suas dúvidas e ajudar no perfil mais adequado de planejamento, irá mostrar a todos as mesmas vantagens que lhe foram apresentadas.

Trazer segurança e tranquilidade À família e aos negócios são as principais motivações para aderir aos planejamentos patrimoniais. A opinião dos familiares e sócios da empresa deve ser levada em consideração.

Ouça bem e averigue todas as possibilidades. Encontre as mais cabíveis e saiba que a decisão estará sempre em suas mãos, mas que o apoio de todos fará toda a diferença na organização e no planejamento.

Agora você já conhece os benefícios de abrir uma holding!

Quer tirar algumas dúvidas, conhecer melhor as características da holding e seus processos? Entre em contato conosco! Será um prazer atendê-lo!

Saiba o que fazer quando um funcionário de sua empresa é preso.

Quando uma empresa toma conhecimento de que um funcionário é preso, é necessário pensar nas questões práticas, procurando resolver a situação do contrato de trabalho do empregado. Como se trata de situação inusitada, o empregador deve analisar com cuidado as providências a serem tomadas, principalmente porque ele não estará mais na empresa durante todo o tempo em que permanecer preso.

Numa situação em que o funcionário é preso, existem atitudes diferentes que podem ser tomadas, e o importante para o empregador é que qualquer atitude seja resolvida dentro do que determina a legislação.

Como primeira providência, o empregador, ao tomar conhecimento de que o funcionário é preso, deve solicitar à Secretaria de Segurança Pública a certidão da prisão do seu empregado, contendo a data em que foi recolhido, fazendo do documento prova.

Durante o período em que o trabalhador for mantido preso, o contrato de trabalho automaticamente fica suspenso.

As opções para o empregador quando o funcionário é preso

O empregador pode tomar uma das três atitudes quando o funcionário é preso:

  • Manter o contrato de trabalho até que o trabalhador seja libertado;
  • Rescindir o contrato sem justa causa;
  • Rescindir o contrato com justa causa.

Como o contrato de trabalho do funcionário que é preso está suspenso desde o momento da prisão, a empresa fica isenta do pagamento de salários e do recolhimento de FGTS e INSS. No período em que o funcionário é preso também não são computados tempo de serviço para efeito de férias e décimo terceiro ou de outras verbas, até o momento em que o empregado seja libertado, podendo reassumir suas atividades normalmente, restabelecendo as condições do contrato de trabalho.

Sendo esta a opção, a empresa deve notificar o empregado através de carta com aviso de recebimento, informando que o contrato está suspenso em razão da prisão e que a empresa vai aguardar até que seja posto em liberdade.

No caso de demissão sem justa causa quando o empregado é preso, a empresa deve pagar todas as verbas rescisórias a que ele tenha direito, sem exceção de nenhuma, desde o aviso prévio.

No entanto, como o funcionário não pode comparecer à empresa para receber sua rescisão, a empresa deve notificar para que ele nomeie um procurador para fazer a rescisão no Ministério do Trabalho ou no sindicato da categoria, ou, em caso de contrato com menos de um ano, enviar um representante para fazer o pagamento.

É importante que a empresa faça o depósito de todas as verbas para não arriscar pagar a multa por atraso na rescisão.

Como última forma de fazer a rescisão quando o funcionário é preso, a empresa pode optar pela justa causa. No entanto, é preciso saber que, conforme a CLT, só é possível dispensar por justa causa um condenado com condenação transitada em julgado, quando não há mais possibilidade de recursos ou quando não há suspensão da execução da pena.

Assim, além da condenação ser obrigatoriamente na esfera criminal, o empregado deve estar obrigado a cumprir a pena imposta. No caso de suspensão da execução da pena, o empregado não será preso e, portanto, poderá voltar a viver em sociedade, podendo também retornar ao emprego.

Nesse caso, é importante que a empresa saiba que a justificativa para a justa causa quando o funcionário é preso, não é a condenação, mas sim seu efeito no contrato de trabalho. Quando a condenação resulta em perda de liberdade, é impossível manter o vínculo de contrato de trabalho, já que ele não pode comparecer à empresa.

Portanto, somente a condenação criminal definitiva pode ser razão para uma rescisão por justa causa. Do contrário, a empresa pode ser surpreendida com uma reversão judicial da justa causa, devendo pagar todas as verbas rescisórias, além de uma indenização por ofensa à honra e moral, violando os direitos à dignidade do empregado.

Quando um funcionário é preso, em razão da situação de ter um funcionário recolhido e não querendo dar continuidade ao contrato de trabalho, a melhor opção é fazer a recisão sem justa causa, pagando todas as verbas rescisórias.

Independente da escolha que a empresa possa fazer quando um funcionário é preso, não pode haver qualquer tipo de apontamento na Carteira de Trabalho sobre o motivo da rescisão ou da suspensão do contrato, já que isso pode levar a uma condenação por danos morais.

A assessoria de profissionais especializados pode ajudar a empresa a tratar corretamente todas as situações relacionadas com sua área de recursos humanos.

Seguindo a legislação, a empresa não terá qualquer tipo de problema.

Você já revisou seu plano de negócios empresarial para 2018?

nao exclusivo

Um plano de negócios empresarial é uma ferramenta de gestão que serve como um guia para que seja feito o planejamento de um empreendimento, seja:

  • Uma ação mercadológica;
  • Ampliação de uma unidade de negócio.

Tendo este grande parceiro ao alcance das mãos, o empreendedor consegue ter uma melhor compreensão sobre qual a realidade em que está inserido, de uma forma a ser capaz de determinar quais as estratégias que devem ser adotadas em diferentes momentos, principalmente, para planejamento de ações futuras.

Algumas pessoas acreditam que o plano de negócios empresarial já está morto, porém, ele se modernizou, ganhando contornos mais práticos.

Essa mudança veio de um longo acompanhamento da evolução do mercado como um todo. Antigamente, os investidores tinham como preferência realizar investimentos em planos minuciosos, impecáveis.

Atualmente, os melhores planos de negócio empresariais são evoluções de testes rápidos que mostraram bons prognósticos de resultado.

E você já revisou seu plano de negócios empresarial para 2018?

A importância do plano de negócios empresarial

Para ações como:

  • Construir uma casa;
  • Organizar uma festa;
  • Viajar para o campo ou para o litoral.

É preciso fazer um plano de negócios empresarial muito cuidadoso. Isso quer dizer que, a casa, a festa e a viagem são coisas que não vão acontecer apenas pelo fato de você desejar, mesmo que seja um desejo muito forte.

Ideias assim nascem para que elas tenham a possibilidade de se tornar real e, para isso, é necessário construí-las passo a passo.

Para que as ideias possam ser organizadas, é preciso fazer uso de um plano de negócios.

Dentro do mundo dos empreendedores, este é o seu mapa de percurso. O plano de negócios empresarial é o que será capaz de te orientar na busca por informações detalhadas sobre:

  • O ramo;
  • Produtos e os serviços a serem oferecidos;
  • Possíveis clientes;
  • Concorrentes;
  • Fornecedores;
  • Pontos fortes e fracos do negócio.

Gerando uma contribuição maior para a identificação da viabilidade da ideia e na gestão da empresa.

Tipos de modelo de negócio

  • Modelo Freemium: O Modelo Freemium oferece um produto ou serviço digital que seja gratuito como maneira de atrair um alto volume de usuários, mas com o objetivo de convertê-los em usuários que paguem por meio de uma opção premium com mais recursos.
  • Modelo Cauda Longa: O Modelo Cauda Longa (Long Tail) funciona ao vender uma variedade grande de produtos de nicho, os quais vendem pouco individualmente, mas que, no total, geram alto valor em vendas.
  • Modelo Marketplace: O Modelo Marketplace funciona ao deixar disponíveis produtos de vários vendedores em um único ambiente virtual. Geralmente, em um e-commerce de grande porte, que pode ou não vender produtos próprios mas que, sobretudo, tem um alto volume de usuários que frequentam e confiam em sua marca.
  • Modelo All You Can Eat: O Modelo All You Can Eat (AYCE), que em português que dizer “coma o quanto puder” (ou Buffet-Livre), é um modelo de negócio que funciona ao dar permissão para que clientes consumam produtos ou serviços o quanto quiserem pagando um valor fixo (pagamento único ou recorrente).

Realizar seu plano de negócios empresarial é um passo muito importante na sua organização, por isso, ainda que pareça cedo, pois ainda estamos no meio de 2017, é preciso que você já comece a revisão desse plano.

O futuro da sua organização depende, principalmente, da forma como esse plano é elaborado. E ele precisa ter uma estrutura básica capaz de proporcionar todo o entendimento referente ao seu negócio como um todo.

Qualquer dúvida entre em contato conosco!

Sucesso!

Abrir empresa sem sócios – isso é possível?

nao exclusivo

Muitos empreendedores sonham em abrir sua própria empresa, mas para que esse sonho se torne realidade e não acabe se transformando em um pesadelo, é essencial saber ao certo o contexto do empreendedor, pois essa é a melhor maneira de definir qual a melhor formatação para o empreendimento.

Para definir isso, é necessário ter em mente:

  • A obrigatoriedade de ter um sócio;
  • O valor necessário para integralizar o capital social;
  • O valor e a documentação necessária para a abertura da empresa;
  • A sua localização.

Estes são assuntos extremamente importantes e devem ser considerados antes de se abrir uma empresa para que, assim, seja possível obter uma boa relação custo-benefício e eliminar quaisquer dores de cabeça futuras.

Ao abrir uma empresa, o empreendedor terá de seguir algumas regras, conforme o seu formato jurídico (MEI, Empresário Individual, EIRELLI, Sociedade Limitada ou Sociedade Anônima), seu porte/faturamento (Microempresa-ME, Empresa de Pequeno Porte-EPP ou sem enquadramento) e regime tributário (Simples Nacional, Lucro Presumido ou Lucro Real).

Veja só!

Empresa sem sócio existe?

Muitas pessoas que desejam iniciar um novo negócio possuem a dúvida sobre a possibilidade de abrir uma empresa sem ter um sócio.

A resposta para essa pergunta é sim. E você pode contar com três possibilidades para exercer uma atividade empresarial sem ter sócios.

Vamos ver quais são?

Empresário Individual

Quando você escolhe pela modalidade de ser um Empresário Individual, antes chamado de “firma individual”, pode exercer a atividade empresarial em seu nome próprio sem grandes burocracias e complicações. Também não há limitação de faturamento e é possível contratar quantos colaboradores achar necessário.

Contudo, mesmo com a obrigatoriedade do empresário individual possuir um CNPJ para fins tributários, não há uma personalidade jurídica, isso quer dizer que não existe uma pessoa jurídica, já que o empreendedor opera em seu nome próprio como pessoa física/natural.

Por isso, se você optar por empreender dessa maneira, precisa compreender que a facilidade de operar vem com um ônus bem sério: o empresário será cobrado em sua pessoa física por qualquer dívida ou problema enquanto estiver exercendo sua atividade empresarial; ou seja, sua responsabilidade pelas dívidas como empresário é ilimitada e irá até seus bens pessoais, sem um limite.

MEI

Já quando falamos do MEI (Microempreendedor Individual), a pessoa que trabalha por sua conta e risco é vista, muitas vezes, como “informal”. Esse tipo de empresário tem a oportunidade de legalizar a sua atividade como pequeno empresário, mas só se o seu faturamento por ano não passar ultrapassar 60 mil reais.

Quando as atividades empresariais são formalizadas como MEI, é possível começar a usufruir de várias facilidades do ponto de vista burocrático e fiscal. Porém, ainda existem restrições às atividades a serem exercidas, além da regra que não permite mais de um funcionário, que pode ser remunerado com um salário mínimo ou o piso da categoria.

EIRELI

Para encerrar as três opções, vamos falar da possibilidade de abrir uma EIRELI (Empresa Individual de Responsabilidade Limitada), que é a mais nova formação de abertura de empresas sem a necessidade de um sócio.

Nela, o empresário não tem envolvimento dos bens pessoais, caso algum problema relacionado a dívidas venha a ocorrer; ou seja, apenas itens que estejam ligados a empresa poderão ser utilizados para quitá-las.

No entanto, para se abrir uma EIRELI, o empresário tem de fazer uma integração com um capital social de, no mínimo, 100 salários mínimos. Caso contrário, ele ficará exposto a pagar as dívidas da empresa com seus bens pessoais.

Agora você sabe que existem três formas de se abrir um empresa sem precisar de um sócio! Fácil, não é?

Qualquer dúvida entre em contato conosco! Será um prazer falar com você!

Sucesso e até a próxima!