Impostos para engenheiros e arquitetos. É possível reduzir?

É impossível não sentir o impacto que os impostos causam no nosso bolso todos os dias. O Brasil é o segundo país mais cobrador de tributos da América Latina, perdendo apenas para Cuba. Em 2017, a carga tributária nacional chegou a 32,4% do PIB, conforme dados da Receita Federal. Diante desse cenário, tornar e manter seu empreendimento um sucesso vai além de ser bom nesse mercado que já está saturado há tempos. É necessário ter um planejamento tributário especializado que entenda o seu negócio e que busque soluções realmente eficientes para você economizar e lucrar mais.

Pensando nisso, a Proativa Consultoria Contábil reuniu algumas dicas direcionadas para Engenheiros e Arquitetos que buscam uma ajuda especializada para reduzir o volume de impostos de sua empresa, sem entrar em desacordo com a lei.

 

  • Aposte em ajuda especializada
    Já falamos acima, mas é importante reforçar que uma consultoria especializada faz toda diferença. Uma equipe contábil que conhece a realidade do seu negócio é capaz de encontrar soluções com mais eficiência. Empresas de Engenharia e Arquitetura fazem parte de um nicho muito específico, e podem ter oportunidades de redução de impostos que empresas contábeis não especializadas não consigam identificar. Procure a ajuda correta e torne seu negócio ainda mais rentável!

    Escolha o regime tributário correto
    Determinar o regime tributário da sua empresa, muitas vezes, não é uma tarefa fácil. Essa é uma escolha que deve ser tomada diante de uma análise do seu negócio, assim você garante que tudo está dentro da lei e que você não está pagando mais impostos que o necessário. Existem três tipos de regime: Simples Nacional, Lucro Real e Lucro Presumido. Eles se diferenciam, basicamente, pelo limite de faturamento. Caso você tenha dúvidas na hora de escolher o regime tributário da sua empresa, falamos novamente, procure uma ajuda especializada e evite perdas de dinheiro e de tempo!

    Aproveite os incentivos fiscais
    Investir em uma consultoria especializada permite que profissionais estudem com você possibilidades reais de encontrar incentivos fiscais para o seu negócio. Essa é uma saída para utilizar a lei ao seu favor e aproveitar os recursos que seriam destinados ao pagamento de impostos para investir na sua empresa, como na compra de recursos materiais, softwares de gerenciamento ou treinamentos para colaboradores.

    Tudo isso faz parte do planejamento
    Quem planeja, tem mais chances de tornar seu empreendimento bem-sucedido. Não cansamos de dizer isso aqui porque há muitos anos a Proativa Consultoria Contábil atua no mercado auxiliando empresas a alavancarem seus rendimentos. Existem diferentes tipos de planejamento tributário e você pode conhecê-los clicando aqui.

 

Respondendo à pergunta do título: é possível reduzir a carga tributária da sua empresa de engenharia ou arquitetura a partir de um estudo personalizado do seu negócio. Para isso, conte sempre com a qualidade técnica e atendimento diferenciado da Proativa! Entre em contato conosco e previna, corrija ou impulsione seu planejamento tributário!

Especial Dia dos Pais: licença-paternidade

Neste domingo (11), comemora-se o Dia dos Pais no Brasil e nós aproveitamos essa data tão significativa para fazer um post especial para aqueles que estão prestes a entrar nesse mundo cheio de desafios, alegrias e muitas descobertas. Geralmente, os marinheiros de primeira viagem colecionam muitas dúvidas em relação à licença-paternidade, seus direitos e deveres. Por isso, a Proativa Consultoria Contábil e Empresarial separou tudo que quem está nessa fase precisa saber para curtir os primeiros dias dessa nova experiência com tranquilidade.

Um ponto muito importante é frisar que a licença-paternidade é um direito para pais biológicos e adotivos, funcionando da mesma maneira para ambas as situações. Agora, sobre o período que o funcionário CLT pode retirar para curtir a criança, recentemente o Brasil registrou uma mudança nas possibilidades.

Desde 1988, a Constituição Federal prevê o direito dos pais terem a licença de cinco dias. Mas, em 2008, o Governo lançou um programa chamado “Empresa Cidadã” que busca valorizar as relações entre empresas e funcionários, proporcionando alternativas mais humanizadas. 

O Empresa Cidadã não é obrigatório, mas as organizações que aderirem, garantem benefícios para os funcionários e também incentivos fiscais. Então, com essa saída, os pais podem acrescentar mais 15 dias, totalizando 20 dias de pausa remunerada. 

Durante a licença, o funcionário tem o direito de receber seu salário integral. Já na lista de deveres, os papais não podem realizar qualquer outra atividade remunerada, nem deixar o filho em alguma creche. A ideia do programa é proporcionar que os pais vivam essa experiência sem preocupações.  

E para as empresas, como funciona?

É muito simples! As pessoas jurídicas poderão aderir ao Programa Empresa Cidadã por meio do Atendimento Virtual (e-CAC). Basta acessar o link utilizando o código de acesso ou certificado  digital. 

As empresas tributadas com base no lucro real, poderão deduzir do Imposto sobre a Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ) devido, em cada período de apuração, o total pago ao funcionário durante o período de prorrogação da licença. É importante saber que não é permitida essa dedução como despesa operacional.

Além disso, a dedução também se aplica ao IRPJ determinado com base no lucro estimado, recebendo algumas regras específicas, que você pode conferir aqui.

Tanto a licença maternidade quanto a paternidade são fatores determinantes no desenvolvimento da criança e da rotina da família. Principalmente nos primeiros dias, a mãe precisa de todo apoio possível e a presença paterna pode fazer parte disso.

Que tal fazer parte deste programa que só traz benefícios para todos? Além disso, sua empresa pode ser inspiração para outras organizações. Conte com a Proativa para tirar todas as suas dúvidas e realizar o melhor planejamento tributário para o seu negócio!

Veja como fazer o faturamento de convênios e evitar glosas

Quando um profissional de saúde resolve abrir sua própria clínica ou consultório, além dos conhecimentos técnicos específicos de sua área, ele também acaba se tornando responsável pela administração de seu negócio. Essa nova função exige outras habilidades desse médico ou dentista, que precisa ser ainda mais organizado, consciente de suas decisões e, muitas vezes, metódico para que todos os processos funcionem perfeitamente.

Se o profissional opta por realizar seus atendimentos via operadoras de convênios, essa escolha se torna um dos principais fatores para a saúde financeira da empresa e deve ser tratada com muita dedicação, especialmente porque as chamadas glosas, que são faturamentos não recebidos ou recusados, podem afetar significativamente o negócio como um todo.

Fuja das glosas e tenha vantagens para a sua clínica ou consultório

Evitar glosas permite que o seu planejamento financeiro seja mantido, proporciona um controle maior do fluxo de caixa, evita retrabalho, perda de tempo, prejuízos e também abre um espaço maior para dedicação à uma gestão de pacientes, que gera serviços de qualidade e fidelização.

As glosas são classificadas de três formas: administrativas, técnicas e lineares

Glosa administrativa: normalmente mais fáceis de resolver, são falhas nos processos administrativos, como preenchimento incorreto de informações do beneficiário do plano de saúde, inclusão de serviços que não fazem parte das coberturas, falta de assinaturas etc.

Glosa técnica: esse tipo exige uma auditoria para avaliar os procedimentos que foram cobrados sem argumentações técnico-científicas.

Glosa linear: acontecem de acordo com um posicionamento unilateral dos convênios. Podem caracterizar práticas irregulares e necessitarem de medidas regulatórias da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

Confira as dicas que a Proativa separou para você

1. Entenda o processo como um todo e invista em treinamento

Os procedimentos para faturar com os convênios são realmente complexos. O passo número um para evitar erros é entender como tudo funciona e garantir que todos os profissionais que fazem parte das etapas estejam alinhados. Investir em treinamento e ter recursos para consultas, em caso de dúvidas, faz com que a equipe se torne capacitada e gere resultados bem-sucedidos.

2. Tenha uma gestão diária das informações

Esse controle do fluxo das informações, desde o momento da chegada do paciente até a realização do último procedimento, é fundamental para evitar prejuízos e perda de tempo. Afinal, se o responsável por aquela etapa tiver acesso facilitado a esse banco de dados (que muitas vezes pode ser uma simples planilha), ele não perde tempo procurando em lugares diferentes e resolve qualquer eventual pendência mais rápido.

3. Use a tecnologia ao seu favor

Atualmente existem softwares de gestão que facilitam muito o dia a dia das clínicas e consultórios, permitindo que o trabalho manual seja reduzido e resultando em menos oportunidades de erros. Esses programas são ótimas ferramentas para organização e integração das informações. Existem inúmeras opções no mercado, por isso, pesquise a que se encaixe melhor às necessidades do seu negócio.

Quer manter a saúde financeira da sua clínica ou consultório? Conte com os serviços especializados da Proativa Consultoria Contábil e Empresarial. Entre em contato conosco!

Coworking para profissionais de saúde – as vantagens da economia colaborativa

Compartilhar. Essa palavra tem agregado cada vez mais sentido e valor na rotina da sociedade moderna. E não estamos falando de compartilhamento de postagens nas mídias sociais, mas de uma economia colaborativa que gerou uma nova percepção de mundo: substituir o acúmulo pela divisão.

Essa tendência é muito bem representada por aplicativos como Airbnb, Yellow e Uber que geraram soluções que transformaram formas de consumo. Dentro dessas novas formas, não poderíamos deixar de falar do coworking, modelo de trabalho que é baseado no compartilhamento de espaço e recursos de escritório. Esse modelo tem se expandido e alcançou os profissionais de saúde, se tornando uma alternativa bem interessante para quem não tem (ou não quer gastar) uma reserva financeira investindo na própria clínica ou consultório.

Fora a questão da economia, esses espaços são vantajosos por oferecerem experiências tanto para os profissionais quanto para os pacientes. Esses diferenciais vão desde a arquitetura e design dos ambientes, que esbanjam modernidade e fogem completamente dos padrões de consultórios tradicionais, até a possibilidade de networking, pois a oportunidade de conhecer outros profissionais, trocar conhecimentos e realizar parcerias não pode ser desperdiçada.

Como médicos e dentistas podem utilizar espaços de coworking?

No Brasil já existem espaços de coworking especializados para profissionais de saúde. Eles possuem facilidades para agendamento de consultas, recepcionistas, café, cozinha, armários, bicicletários, áreas para exames e equipamentos específicos para a área. Muitos também oferecem serviços personalizados que permitem que o médico ou dentista tenha uma linha telefônica, website, cartão de visita, entre outros itens de papelaria.

Quanto custa trabalhar em um coworking?

Existem diferentes tipos de pacotes, mas um dos mais comuns é o pay-per-use, no qual os profissionais só pagam pelo tempo que utilizarem o espaço escolhido. Esse recurso evita a geração de gastos quando o profissional não estiver atendendo.

Juntando com o fato de que as despesas de espaço, equipamentos de escritório, mobiliário e funcionários acabam sendo compartilhados, atender em um coworking permite uma economia expressiva.

Quem atende em espaços de coworking precisa de um contador?

Segundo Marcelo Henrique Pereira da Silva, sócio da Proativa Consultoria Contábil e Empresarial, mesmo os profissionais que optarem por atender no modelo de economia colaborativa irão precisar dos serviços de um contador. “Na verdade, toda empresa precisa. Além das obrigações fiscais e conformidades perante o fisco, o contador irá desenvolver planejamentos tributários e de custos, proporcionando um apoio financeiro diferenciado para o negócio”.

Marcelo também aproveita para dar dicas para os profissionais que estão em início de carreira e pensam em fazer parte da tendência do coworking. “É importante prestar atenção na escolha do local. Dê preferência para lugares que não sejam tão impessoais e que, mesmo que sejam tão grandes, tenham uma boa infraestrutura, localidade e conforto para os seus pacientes. Também é necessário verificar a viabilidade da utilização do endereço fiscal para a atividade médica”.

Vai iniciar seus atendimentos em algum coworking?

Entre em contato conosco e deixe sua empresa com as obrigações fiscais em dia.

Regime Caixa – Entenda o que é melhor para sua empresa

Hoje vamos falar do Regime Caixa e das vantagens que este oferece para as empresas que costumam trabalhar com venda a prazo. Se você faz parte da parcela de empresários que sofre com a falta de verba para pagar impostos sobre uma receita que você ainda não recebeu, temos uma solução para o seu negócio!
Sabia que é possível contabilizar suas despesas e receitas apenas quando entram no seu caixa e não no momento que são realizadas as vendas ou prestações de serviço?
A vantagem deste regime é maior para empresas que trabalham com vendas a prazo e prestações de serviços, assim o pagamento dos impostos incidentes só será realizado após o seu cliente efetuar o pagamento.

Regime Caixa para Compras parceladas

Neste caso o imposto será cobrado do fornecedor sobre cada parcela que for paga pelo cliente e não mais em cima da emissão da nota fiscal, ou seja, o imposto será pago no total de parcelas que o seu cliente realizará o pagamento da compra, o numero de parcelas que você repassou seu produto.

Regime Caixa para prestadoras de serviços

O tributo Incide sobre as prestadoras de serviço quase que da mesma forma que para as vendas parceladas, quando for efetuado o pagamento pelo serviço solicitado. Após o serviço ser realizado, a nota fiscal emitida e o prestador receber pelos seus serviços, o imposto será cobrado.

Será que sua empresa pode optar por este Regime?

As empresas que podem se enquadrar neste regime são Micro e Pequenas empresas, e empresas que aderem ao Lucro Presumido e o Simples Nacional. O Regime Caixa uma vez que só serão incididos os impostos sobre os valores no caixa da empresa, representa um menor comprometimento da renda empresarial. Sendo assim um maior capital de giro.

Entenda Porquê o Regime Caixa Sem Um Bom Fluxo de Caixa Não é Uma Boa Ideia

O registro meticuloso das operações financeiras da empresa e de tudo que entra ou sai do caixa, principalmente o que se recebeu e o que ainda esta por receber é extremamente importante para o funcionamento do Regime Caixa. Um fluxo de caixa bem organizado é a garantia que sua empresa não pagará os impostos mais de uma vez ou deixará de paga-los.
Esta movimentação deve ser registrada em um formulário da Receita Federal.
Optar por este regime permite que a empresa evite o pagamento de impostos sobre quantias ainda não recebidas. Outra vantagem é que neste regime evita-se o pagamento de impostos para quantias não recebidas, em caso de cheques sem fundo ou calotes, o empresário recorra até o ano subsequente, ainda que seja necessário efetuar o pagamento do imposto a primeiro momento.

Deseja estabelecer o Regime Caixa na sua empresa?
Converse conosco podemos te ajudar!

O que é Empreendedorismo Online e como ele pode transformar o meu negócio?

 

Você sabe o que é um empreendedor digital? Sabe como realmente tirar proveito da era do “imediato”? Entenda agora o que é Empreendedorismo Online e como ele pode transformar o seu negócio!

Antes da chegada da era digital aos meios de comunicação, ações promocionais, campanhas e qualquer outro tipo de estratégia destinada a vendas exigiam uma carga demasiada de tempo e dinheiro.
Empresas de grande porte eram preferencialmente ouvidas pelos seus compradores, onde devido à escassez de escolha, o empreendedor que decidisse iniciar seu negócio dependia de um crescimento a passos largos em um cenário dominado pela repetição de comerciais vinculados à televisão, folhas de revista, outdoors, panfletos, entre outros.

Com a chegada da internet, mais especificamente a web 2.0, os pequenos empreendedores conseguiram comunicar-se com seus consumidores de maneira muito mais direta, objetiva e eficiente, sem a necessidade de grandes orçamentos.

Mas, para entender melhor esta transformação da maneira de se comunicar, é necessário entender a mudança na maneira de consumir.
O consumidor do agora: opções ele já possui, o que ele realmente precisa é de valor!

Embora muito tenha-se facilitado para a propagação das marcas no cenário virtual, junto a estes benefícios vieram alguns desafios ao empreendedor digital.
Devido à abundante quantidade de opções no mercado, o consumidor apropriou-se do poder de escolha. O que antes era determinado pelo “eu vi na tevê, então é bom”, hoje pode ser pesquisado, comparado e avaliado para que haja a melhor escolha possível.

Fora isso, ainda existe a questão da empatia com o produto, importante lembrar que, neste caso, empatia não é desejar ao outro o que eu desejo, mas sim me colocar no papel do consumidor e entender o que ele necessita.

O papel do empreendedorismo online neste cenário de constantes transformações é motivar o empreendedor a entender quais são estas necessidades e saná-las, partindo do princípio de percepção de valor do consumidor moderno.

No entanto, não pense que tudo se resume a vender, nem sempre esse será seu objetivo, você deve priorizar o engajamento dos seus consumidores com sua marca, uma vez que fidelizados, os mesmos trarão consigo relevância à sua marca. É o marketing boca-a-boca se transformando em marketing chat a chat.

Então como o empreendedorismo online pode transformar o meu negócio?

Mesmo que a internet seja o tempo do “agora”, suas ações de engajamento demandam um pouco mais de tempo para se converterem em vendas.
Você precisa seguir um planejamento que, lembre-se bem disto, deve seguir o ritmo do seu negócio. Então:

  • Defina seu nicho de mercado;
  • Elabore um pesquisa de público-alvo;
  • Entenda as dores dos seus clientes;
  • Estabeleça um identidade.
  • Analise suas ações;
  • Aprimore seus resultados.

Mantenha-se em um ciclo que busque sempre entender o seu público, fornecer o que ele precisa e depois corrigir os erros encontrados no caminho.

O ponto principal é manter-se em constante desenvolvimento, pois assim como o cenário virtual, os hábitos de consumo dos seus consumidores vão se adaptando conforme demanda a evolução das tecnologias e a maneira como elas impactam a sociedade.

Caso queira estar apto a ingressar neste mercado, é importante possuir as finanças em dia, e podemos te ajudar!

Conte com nossos serviços de contabilidade e esteja em paralelo às adaptações do empreendedorismo online.

Saiba como o Direito Empresarial pode ajudar sua empresa nas transações econômicas

As empresas do mundo todo estão vendo a importância do Direito Empresarial e de como essa área pode ajudar no seu desenvolvimento.

O Direito Empresarial oferece não apenas as soluções para os problemas, como também pode ajudar na ampliação das transações econômicas através de suas ferramentas, que podem ser aplicadas para que a empresa possa planejar seu crescimento no mercado.

Uma das áreas do Direito Empresarial que permitem melhorar as condições financeiras é a capacidade de análise de riscos, permitindo que o empresário tenha mais confiança para investir em capital de risco ou adquirir uma nova companhia, por exemplo. O advogado especializado em Direito Empresarial tem condições de informar sobre ocultos trabalhistas, tributários e outros, garantindo confiança em suas informações.

Os riscos alertados pelo Direito Empresarial

Além do risco do negócio, já bastante conhecido de empresários de todos os segmentos, o Direito Financeiro permite alertar o empresário sobre todas as possibilidades que podem atacar a empresa, como o risco trabalhista indireto, com relação a não cumprimento de obrigações trabalhistas, seja de períodos anteriores ou de terceirização de serviços, ou de riscos tributários indiretos.

Uma das ferramentas oferecidas pelo Direito Empresarial, uma área que é bem pouco conhecida, é a possibilidade de ampliar as transações econômicas através do investimento em um misto de sistemas, como, por exemplo, os fundos mezaninos e as denominadas Partes Beneficiárias. Esse tipo de operação permite que o investidor possa criar um fundo mezanino, um veículo através do qual o valor investido na empresa alvo poderá ser aportado.

A empresa de onde o fundo deve ser aplicado irá emitir as Partes Beneficiárias, que irão servir para representar o crédito do investidor na companhia alvo, permitindo que o detentor das Partes Beneficiárias possa receber participação nos lucros durante todo o tempo em que elas estiverem vigentes.

No modelo de transações econômicas aplicado nas Partes Beneficiárias, depois de um tempo determinado, considerado o ciclo para o prazo de resgate, se o investidor entender que a companhia onde investiu vale a pena, o Direito Empresarial garante que ele pode converter as Partes Beneficiárias em ações, tornando-se um acionista na empresa alvo.

Se o investidor não pretender se tornar acionista da companhia alvo, poderá solicitar o pagamento do seu crédito, representado pelas Partes Beneficiárias, podendo fazer o seu resgate, extinguindo esse tipo de transação e dissociando-se da empresa.

Nesse caso, o investidor terá o conforto de esperar pelos resultados da empresa, sem a responsabilidade direta decorrente do poder das ações e das responsabilidades a ela inerentes. O modelo permite manter transações econômicas de forma segura.

Arbitragem e mediação no Direito Empresarial

O Direito Empresarial possibilita a aplicação de outra ferramenta ainda pouco utilizada, o Instituto da Arbitragem e da Mediação.

Essa ferramenta, na prática, permite ao empresário, em quaisquer transações econômicas estabelecidas através de contrato ou de constituição de uma sociedade, eleger que, antes de entrar em conflito com o seu sócio ou com a pessoa parte do contrato, as partes devem resolver a questão através de mediadores profissionais.

A mediação permite reduzir os conflitos societários no Poder Judiciário de forma relevante. Os mediadores, especializados em Direito Empresarial, conseguem, através de técnicas de reconhecimento eficientes e representando legitimamente as partes, conseguir sucesso na solução de impasses entre os sócios, já que não estão emocionalmente envolvidos no problema.

Se a mediação não conseguir uma boa solução para o conflito, existe ainda a possibilidade de se inserir uma cláusula para eleição de uma Câmara Arbitral, podendo substituir uma demanda judicial que pode ser bastante longa em um resultado que possibilite ou não a continuidade das transações comerciais.

Esses são institutos já inseridos no campo do Direito Empresarial, estando em plena atividade na Justiça brasileira, amparados pela legislação, e vêm funcionando para conferir a contratantes e sócios maior segurança jurídica nas transações comerciais, trazendo maior confiança na hora de fechar qualquer negócio.

O advogado especialista em Direito Empresarial é o profissional mais capacitado para atender as necessidades empresariais. Portanto, manter uma assessoria de confiança é fator fundamental para qualquer empresário, uma vez que as transações econômicas exigem detalhamento para que quaisquer partes não incorram em erros ou não sofram prejuízos decorrentes de negociações estabelecidas sem o devido conhecimento do que é permitido em lei.

O Direito Empresarial é mais que uma possibilidade – é uma necessidade para toda e qualquer empresa!

Sucesso e até a próxima.

Desenvolvimento econômico sustentável, um dos maiores benefícios da governança corporativa

Atualmente, os empresários encontram desafios relacionados à alta concorrência, além de se verem inseridos em um cenário repleto de instabilidade econômica. Onde será que o Desenvolvimento Econômico Sustentável entra nessa história?

Vamos lá… O cenário econômico não é favorável, certo?

Diante disso, é perfeitamente compreensível que as organizações construam modelos organizacionais próprios, visando aumentar a lucratividade para os acionistas, assim como criar modelos administrativos que sejam mais claros e objetivos.

Assim, é grande a probabilidade de você já ter ouvido falar da governança corporativa, afinal, atualmente, esse sistema se tornou muito importante quando os assuntos são negócios.

Os benefícios trazidos pela aplicação da governança corporativa são muitos, mas hoje nós falaremos sobre o desenvolvimento econômico sustentável, algo imprescindível para uma empresa!

Governança Corporativa – o que é isso, afinal?

Assim como vários outros conceitos que existem no mundo dos negócios, a governança corporativa pode ser definida de várias formas. Mas, contaremos com um significado mais claro e preciso, que é fornecido pelo Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC).

Nessa definição, é possível observar que o termo representa a adoção de várias práticas, que tem como finalidade:

  1. Englobar uma melhoria significativa no crescimento da empresa, em seus processos.
  2. Trazendo mais integração entre os níveis hierárquicos da empresa.
  3. E principalmente, aumentando a transparência referente à prestação de contas de acionistas.

O objetivo é obter uma entrada maior de dinheiro, promovendo um crescimento sustentável para o negócio.

E os benefícios?

Não dá para discutir: ter transparência em cada um dos processos administrativos é algo que gera benefícios muito grandes para um negócio. De todos os benefícios que nós podemos citar com aplicação da governança corporativa, o mais importante é o que agrega maior valor a uma organização é o seu desenvolvimento econômico sustentável.

Para uma empresa é muito importante que este desenvolvimento seja significativo, porque além de estimular a entrada do capital financeiro, também aumenta o nível de confiança para a empresa, tanto para os acionistas quanto para os investidores.

Além de ter esse benefício, que é algo que toda empresa busca, ter uma governança corporativa de qualidade ainda consegue te ajudar a prever e evitar desafios que possam danificar de maneira muito séria uma empresa que está sempre buscando crescer e superar seus obstáculos.

Quanto a essa questão, nós podemos citar o benefício de prevenir fraudes relacionadas à utilização do dinheiro do negócio, além de uma visão estratégica bem mais ampla que, por sua vez, faz com que a tomada de decisões seja muito mais estratégica, minimizando as falhas de gestão e de planejamento.

Para que tenha uma aplicação correta, a governança corporativa possui 8 características indispensáveis. São elas:

  • A participação: onde é preciso o envolvimento de diversas esferas de uma empresa;
  • Estado de direito: tem como objetivo permitir validar as normas conforme as leis de um estado democrático;
  • Transparência: o primeiro foco das organizações que escolhem a governança corporativa;
  • Responsabilidade: onde está incluso os membros de uma empresa em diferentes níveis hierárquicos;
  • Orientação por consenso: buscando mais agilidade e melhoria dos processos;
  • Igualdade: que repudia qualquer espécie ou demonstração de abusos de poder;
  • Eficiência: sua aplicação permite que a empresa tenha um crescimento sustentável;
  • Accountability, prestação de contas: sendo respeitados tanto os acionistas, como os investidores.

Entende como a governança corporativa pode ajudar no desenvolvimento sustentável da sua empresa?

Por isso é extremamente importante que você busque implantar esses métodos agora mesmo e assim consiga começar a usufruir dos benefícios desse sistema que está crescendo cada vez mais dentro das organizações.

Precisa de ajuda com sua contabilidade? Entre em contato conosco!

Sucesso!

Processo de gestão de riscos: 5 dicas para conseguir bons resultados

A palavra, risco costuma ser entendida como a possibilidade de algo não dar certo, no entanto, no mundo corporativo, ela assume o significado de “incerteza”, tanto para ganhos como para perdas. Podendo levar tanto para um lado, quanto para outro, a depender da atuação e performance da gestão.

Nos dias de hoje, eventos que afetam as empresas de maneira negativa, não podem ser tratados como simples acidentes ou coincidência, a verdade é que todo empreendimento tem seus riscos, no entanto, é necessário ter uma base sólida e boa experiência para combater esses efeitos.

Sendo assim, é necessário o processo de gestão de riscos, que tem como principal objetivo diminuir ou até mesmo acabar com os resultados negativos que o negócio possa porventura vir a sofrer.

É importante lembrar que uma análise bem-feita sobre as propostas, projetos e plano de negócio da empresa como um todo, é essencial para qualquer tomada de decisão, buscando assim organizar um bom planejamento para identificar e aliviar os riscos.

O processo de gestão de riscos exige disciplina e se divide em várias etapas e a sua aplicação traz para organização grandes benefícios, como:

  • Promove transparência em todas as informações;
  • Melhoria na comunicação, tanto interna, quanto externa;
  • Identificar e priorizar grandes riscos;
  • Aumento do valor da empresa;
  • Mas, como anteceder os riscos?
  • Como prever o que pode acontecer?
  • Como analisar seus impactos?

Veja agora 5 dicas para conseguir bons resultados com a gestão de risco

Identificar e classificar os Riscos;

É preciso sempre relacionar qualquer evento, seja ele interno ou externo, que possa ter impacto na organização. Esse processo deve ser constante, isso irá nortear qual estratégia deverá ser tomada para manter a empresa segura.

A classificação de risco deve ser de acordo com as particularidades da organização, levando em conta mercado e setor de atuação.

Com essa identificação e classificação de riscos, as estratégias e ações podem ser bem mais assertivas, trazendo uma visão mais ampla e abrangente de todos os pontos da organização, sejam eles fortes ou fracos.

Avaliação de Riscos;

É necessário entender o quanto a empresa está exposta a um risco, identificando dessa forma qual a frequência e quais seus impactos financeiros, ou seja, qual será sua repercussão na organização. Legal, não é mesmo?

Sabendo disso, será possível avaliar as consequências em todas as áreas que compõe a corporação seja ela, operacional financeira ou tecnológica.

Uma empresa que possui esse conhecimento, reduz significativamente perdas e, consequentemente, aumenta ganhos, além de ter uma previsão maior de resultados quanto ao futuro do empreendimento.

Tratando o Risco;

Após entender todos os riscos, a empresa deve definir qual o tratamento a seguir, contudo, a completa eliminação de eventos negativos na prática é bem difícil. Assim sendo, deverão ser tomadas ações que visam minimizar as chances ou o impacto sobre a empresa.

Um dos objetivos da gestão de risco é conseguir atingir um nível equilibrado de retenção, redução e transferência de risco, uma vez identificado, deve-se adotar um plano para eliminar falhas e assegurar um gerenciamento eficaz.

Monitoramento de Riscos:

Após todo o processo de identificação, avaliação e tratamento do risco, precisa haver uma monitoração constantemente, com objetivo de fazer com que o negócio se mantenha seguro e em pleno funcionamento em todos os processos aplicados.

Vale lembrar a importância de relatar e documentar todas as deficiências encontradas e aquelas que já foram tratadas, para que haja controle, revisão ou reforços de ações.

Comunicação e informação;

A comunicação de diversas partes da empresa, como acionistas, analistas financeiros, gestores e todo corpo colaborativo interno e externo que admitem interesse direto da gestão de risco deve ser clara e objetiva.

As informações repassadas precisam também estar alinhadas de acordo com as políticas e normas da empresa, a conduta deve ser o mais transparente possível, e acessível a vários níveis de gestão.

Aliando comunicação de qualidade com informações verdadeiras, a empresa aumenta seu potencial em gerenciar os riscos.

Por fim, vale lembrar que qualquer decisão que se possa tomar traz uma parcela de risco, mas seguindo alguns critérios e colocando em prática a gestão de riscos, a empresa pode se tornar muito mais transparente, rentável, e sólida diante de possíveis impactos.

Seguindo o ciclo de identificação, avaliação, tratamento e monitoramento, junto com comunicação e informações adequadas, o risco de perda se torna mínimo e o de ganho pode ir além das expectativas.

Interessante, não é mesmo? Agende conosco uma reunião e te explicaremos bem sobre o assunto, fornecendo o apoio total que você precisa para se desenvolver ainda mais forte!

Em caso de dúvidas, entre em contato conosco.

Potencializar seus resultados: 8 dicas para tirar os projetos do papel

A primeira coisa que um empreendedor escuta ao falar de um novo projeto é a necessidade de ter um bom “PLANEJAMENTO”. Mas para que uma ideia saia do papel, antes é preciso haver um roteiro…

Exatamente! Para muitos, o plano de negócios parece ser um grande obstáculo, pois nele precisam constar informações que às vezes ainda não estão claras, ou ainda são insuficientes para criação do documento e para o alcance dos melhores resultados.

Então que tal, antes de mergulhar de cabeça em todo esse planejamento, parar para organizar as ideias e entender se seu projeto é viável, quais são os riscos e, assim, se preparar para começar essa incrível jornada rumo ao empreendedorismo.

Claro que uma boa ideia é essencial, porém, só isso não basta, para se posicionar bem perante o mercado e ter os resultados esperados, são necessárias algumas ações.

E para que você atinja seus objetivos e potencialize seus resultados, seguem 8 dicas para tornar seu projeto em realidade!

       1-Esteja atento ao principal;

Mais do que somente desenvolver um negócio, é preciso conhecer as necessidades dos seus clientes para estar totalmente preparado para todos os riscos e obstáculos que possam vir a surgir. Isso inclui analisar quais os órgãos públicos que estarão ligados ao negócio, seus concorrentes, ponto comercial e todas as informações que, de alguma forma impactam seu empreendimento.

      2-Entenda o funcionamento;

Faça uma lista detalhada de como irá funcionar seu negócio, observando o que será necessário para cada ação! Quando se começa uma empresa, é preciso analisar o seguinte:

  • Abertura da empresa.
  • Mercado regional ou nacional.
  • Marketing digital.
  • Despesas fixas e variáveis.
  • ROI.

Entre outros que somente um contador pode oferecer.

      3-Estipule datas;

Planeje quanto tempo deve levar para conseguir todas as autorizações e documentos para a abertura de seu estabelecimento, e o quanto isso custará. É muito importante saber quais os prazos para cada ação. Exemplo:

  • Emissão de alvarás.
  • Abertura da empresa.
  • Etc.

     4-Projete as atividades;

A dica aqui é seguir um passo a passo das atividades, detalhar ao máximo que puder e seguir uma definição de responsáveis por cada parte e quanto tempo irá durar cada ação, no começo o caminho pode parecer meio confuso e longo, mas com o tempo, tudo começa a se encaixar! Paciência é imprescindível em todas as fases.

     5-Planejamento financeiramente;

É fundamental ter um bom projeto financeiro e colocá-lo em prática, de forma detalhada, especificando quando e como será aplicado o dinheiro para cada coisa, assim você evita gastos desnecessários e não foge do orçamento.

     6-Atente-se a qualidade;

Sempre entregue tudo que prometeu, cumpra os prazos e mantenha a qualidade, defina regras de garantia e pratique a empatia. Pense como se você fosse o cliente, tente enxergar cada passo do processo como se você estivesse comprando um produto ou serviço, essas práticas simples podem ampliar sua visão e promover muito a sua marca.

     7-Mantenha boas relações interpessoais;

Reserve um tempo para manter boas relações com sua equipe ou sócios, isso ajuda a mantê-los motivados e engajados em todo o processo do seu projeto, um happy hour, ou uma reunião informal fará com que se sintam integrados e produtivos no trabalho, da mesma forma que uma maior qualidade de vida auxilia na vida profissional também.

     8-Promova Reuniões;

Tenha sempre um cronograma de reuniões com sua equipe e sócios, nelas precisam ser discutidos as ações e informadas as atividades a serem realizadas, lembre-se: reunir-se é muito importante, sempre reserve um tempo para isso, comunicação é tudo!

Por mais detalhado que seja seu planejamento, ao longo do caminho podem aparecer surpresas, por isso mantenha a calma, e sempre refaça suas conjecturas e acompanhe toda a execução do seu projeto.

Empreender envolve riscos, mas se bem calculados, podem potencializar seus resultados de forma ABSOLUTA.

Em caso de dúvidas, entre em contato conosco!